O mundo sem luz: ensinando física a alunos com deficiência visual

Autores

  • Felipe Correa Silvano Universidade Federal de Goiás (UFG) - Catalão
  • Wellington Barbosa de Paula Universidade Federal de Goiás (UFG) - Catalão
  • Mironaldo Batista Mota Filho Universidade Federal de Goiás (UFG) - Catalão
  • Ana Rita Pereira Escola Estadual Madre Maria Blandina - MG

DOI:

https://doi.org/10.26512/rpf.v3iEspecial.25858

Palavras-chave:

Deficiência Visual. Maquetes táteis-visuais. Ensino de Física.

Resumo

As políticas educacionais brasileiras determinam a inclusão social de alunos com necessidades educacionais especiais (NEE) em turmas regulares de ensino. Mas para que a Educação Especial, ou Educação Inclusiva, se torne realidade é necessário adaptações do sistema educacional, seja pela adoção de recursos específicos, novos métodos, novas estratégias de ensino e o uso de materiais alternativos, seja pela adaptação dos currículos e dos docentes para a realidade dos alunos NEE, de forma a promover boa educação para todos os alunos.

É crescente a presença de alunos NEE nas salas de aula, mas como essa inclusão exige soluções que podem ser bastantes trabalhosas devido à diversidade de necessidades especiais (RODRIGUES, 2003), poucos avanços têm sido observados no processo educacional. Muitas vezes o educador só considera a inclusão ao se deparar com um aluno NEE na sua sala de aula, e ai se depara com carência de métodos, estratégias de ensino e alternativas que garanta a aprendizagem efetiva desse aluno, sendo que existem alunos NEE que chegam a ser ignorados por docentes durante as aulas.

Esse trabalho estuda a problemática do Ensino de Física, na perspectiva da Educação Inclusiva, em particular analisando o Ensino de Física para alunos com deficiência visual (aluno DV). Considerando que as metodologias e estratégias de Ensino de Física exploram amplamente a percepção e a representação visual, aprender Física se torna um complicador e um desafio para o aluno DV. E para garantir a participação e o aprendizado do aluno DV, o Ensino de Física precisa se adequar às necessidades desse aluno, possibilitando sua participação ativa nas aulas. E isso provoca discussões inerentes à utilização das múltiplas percepções sensoriais para que o escolar assimile de forma heterogênea os diversos saberes científicos. Nesse sentido tem sido trabalhado a estruturação de um laboratório didático/instrumental de apoio aos docentes de Física, “o mundo sem luz”, com o objetivo de dar suporte as investigações e que atenda às necessidades educacionais de todos os alunos, videntes e não videntes, nas aulas de Física.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2019-07-06

Como Citar

SILVANO, F. C.; DE PAULA, W. B.; MOTA FILHO, M. B.; PEREIRA, A. R. O mundo sem luz: ensinando física a alunos com deficiência visual. Revista do Professor de Física, [S. l.], v. 3, n. Especial, p. 21–22, 2019. DOI: 10.26512/rpf.v3iEspecial.25858. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rpf/article/view/25858. Acesso em: 7 dez. 2022.