Comunicação em saúde dos planos privados durante a pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/gs.v11i3.32458

Palavras-chave:

Comunicação em Saúde. Saúde Suplementar. Gestão em Saúde. COVID-19.

Resumo

O setor de planos de saúde é responsável pela assistência médica de aproximadamente 24% da população brasileira. Diante da situação de urgência sanitária, provocada pela pandemia da COVID-19, a atuação das operadoras junto aos seus beneficiários se torna ainda mais relevante. Espera-se um plano de ação coordenado, ações integradas e aprimoramento da comunicação com os usuários, sobretudo com aqueles mais susceptíveis: idosos e doentes crônicos. O presente estudo buscou verificar, por meio de um questionário, a percepção dos usuários com relação à comunicação em saúde pelas operadoras durante a pandemia. A pesquisa mostrou que 44% dos entrevistados receberam algum contato sobre informações genéricas relacionadas à pandemia, sendo que apenas 2% receberam atendimento mais personalizado. Apenas 2% dos respondentes buscaram informações sobre a pandemia nos canais da sua operadora de planos de saúde. Concluiu-se que a comunicação entre planos de saúde e beneficiários é um campo a ser explorado e aprimorado, com potencial para produzir mudanças no modelo assistencial hegemônico do setor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Harumi Ramos Tanaka, Agência Nacional de Saúde Suplementar

Graduação em Odontologia

Pós-Graduação em Administração Pública pela FGV-Fundação GetúlioVargas

Especialista em Regulação de Saúde Suplementar na Agência Nacional de Saúde Suplementar

 Endereço Profissional Completo: Avenida Augusto Severo nº 84 – Gloria- Rio de Janeiro  CEP 20021-040

Telefone: (21) 2105-0365

E-mail: flavia.tanaka@ans.gov.br

ORCID:     https://orcid.org/0000-0001-6745-3205

 

Wilson Marques Vieira Junior, Agência Nacional de Saúde Suplementar

Graduação em Odontologia

Mestre em Saúde Pública pela ENSP-Escola Nacional de Saúde Pública

Especialista em Regulação de Saúde Suplementar na Agência Nacional de Saúde Suplementar

Avenida Augusto Severo nº 84 – Gloria- Rio de Janeiro  CEP 20021-040

Telefone: (21) 2105-0412

E-mail: wilson.junior@ans.gov.br

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2991-1305

 

Referências

- As empresas de planos de saúde no contexto da pandemia do coronavírus: entre a omissão e o oportunismo. Nota Técnica GEPS/USP e GPDES/UFRJ. Disponível em: https://www.abrasco.org.br/site/wp-content/uploads/2020/04/Nota-T%C3%A9cnica_Coronavirus_PlanosDeSaude_GEPS_GPDES.pdf

- Malta DC, Cecilio LCO, Merhy EE, Franco TB, Jorge AO, Costa MA. Perspectivas da regulação na saúde suplementar diante dos modelos assistenciais. Ciênc. saúde coletiva. 2004; 7(1):61-66.

- Daros RF, Gomes RS, Silva FH, Lopes TCL. A satisfação do beneficiário da saúde suplementar sob a perspectiva da qualidade e integralidade. Physis, Revista de Saúde Coletiva. 2016; 26(2): 525-547.

- Agência Nacional de Saúde Suplementar. Manual de Certificação de Boas Práticas em Atenção Primária à Saúde de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde. Disponível em: http://www.ans.gov.br/images/ANEXO/RN/RN_440/Anexo_IV_APS_13_12_2018_sem_marca%C3%A7%C3%B5es.pdf

- Mattos RA. A integralidade na prática (ou sobre a prática da integralidade). Cad Saúde Pública 2004; 20(5):1411-1416.

Recebido: 13.07.2020

Revisado: 30.07.2020

Aprovado: 16.08.2020

- Mattos RA. Os sentidos da integralidade: algumas reflexões acerca de valores que merecem ser defendidos. In: Pinheiro R, Mattos RA. Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. Rio de Janeiro: CEPESC, IMS/UERJ, ABRASCO; 2009. p. 43-67.

- Araújo I, Cardoso J. Comunicação e Saúde. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz; 2007.

- Rozemberg B. Comunicação e participação em saúde. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond Junior M, Carvalho YM. Tratado de Saúde Coletiva. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz; 2006. p. 741-766.

- Cardoso JM, Rocha RL. Interfaces e desafios comunicacionais do Sistema Único de Saúde. Ciênc. saúde coletiva. 2018; 23(6): 1871-1880.

- Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 510/2016 – Dispõe sobre a pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2016. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf

- Faleiros F, Käppler C, Pontes FAR, Silva SSC, Goes FSN, Cucik CD. Uso de questionário online e divulgação virtual como estratégia de coleta de dados em estudo científico. Texto & Contexto Enfermagem. 2016; 25(4): 1-6.

- Malta DC, Jorge, AO. Modelos assistenciais na saúde suplementar: o caso de uma operadora de autogestão. Ciênc. saúde coletiva. 2008; 13 (5): 1535-1542.

- Tanaka FHR, Vieira Junior WM. O Papel dos Planos de Saúde Durante a Pandemia e Depois Dela. Nexo Jornal. Maio 2020. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/ensaio/debate/2020/O-papel-dos-planos-de-sa%C3%BAde-durante-a-pandemia-e-depois-dela

Publicado

2020-12-21

Como Citar

1.
Harumi Ramos Tanaka F, Marques Vieira Junior W. Comunicação em saúde dos planos privados durante a pandemia. Rev. G&S [Internet]. 21º de dezembro de 2020 [citado 28º de janeiro de 2021];11(3):248-60. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/32458

Edição

Seção

Artigos Originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##