Por uma outra Performance Arte

Autores

  • Maicyra Teles Leão e Silva

DOI:

https://doi.org/10.26512/vis.v17i1.20632

Palavras-chave:

Performance Arte. Fronteira. Gatilho.

Resumo

O texto indaga contradições epistemológicas vivenciadas, na atualidade, acerca da prática da Performance como linguagem artística - Performance Arte - pois, apesar do discurso de ampliação das fronteiras, é notável a crescente delimitação de uma categoria específica no circuito artístico. Além disso, aborda o excesso de discurso teórico envolvido em ações performáticas, gerando um distanciamento de percepção com relação à fruição direta da ação. Ainda, defende o deslocamento da Performance como linguagem a um patamar de gatilho disparador do processo de criação, sugerindo que trabalhos artísticos dessa natureza não são necessariamente Performance, apesar de conterem Performance.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAMOVIC, Marina. Entrevista concedida a Revista SESC-SP. Edição n. 144, novembro de 2006 Disponível em: http://www.sescsp.org.br/sesc/revistas/revistas_link.cfm?edicao_id=262&Artigo_ID=4110&IDCategoria=4607&reftype=2. Acesso em 03/11/11.

ACCONCI, Vito. Interviewed by Andrew McClintock. In: San Francisco Art Quarterly! International Arts and Culture. San Francisco-CA. N. 15 (Pullout). February-Abril, 2014. Disponível em http://www.sfaqonline.com/. Acesso em 20/02/2014.

AQUINO, F., MEDEIROS, M.B. de, MOTA, M. H. Corpos Informáticos: performance, corpo, política. In: Actas del I Encuentro Latinoamericano de Investigadores sobre Cuerpos y Corporalidades en las Culturas. Rosário: Red de Antropologia de y desde los cuerpos, 2012. Disponível em http://red.antropologiadelcuerpo.com/wp-content/uploads/MEDEIROS-MARIA-GT7.pdf. Acesso em 22/12/2012.

AUSLANDER, Philipp. The performativity of Performance Art Documentation. In: PAJ: Performing Arts Journal. Nova York: MIT Press, v. 28, n. 3, set. 2006, p. 1-10.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Edusp, 2003.

CARLSON, Marvin. Performance: uma introdução crítica. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

COHEN, Renato. Performance como Linguagem. São Paulo: Perspectiva/Edusp, 1989.

CONQUERGOOD, Dwight. Rethinking Ethnography: Towrds a Critical Cultural Politics. In: Communication Monographs, v. 58, p. 179-194, 1991

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs. São Paulo: Editora 34, 1997.

FISCHER-LICHTE, Erika. The transformative power of Performance: a new aesthetics. London: Routledge. 2008.

LEHMANN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosac&Naify, 2007.

LÉSPER, A. Contra el performance, Bonaria. Disponivel em: Ë‚https://revistabonaria.com/2015/08/04/avelina-lesper-contra-el-performance/˃

LYOTARD, François. O inumano. Lisboa: Estampa, 1990

_____ Moralidades Pós-modernas. Campinas: Papirus, 1996.

MEDEIROS, Maria Beatriz de. Bordas rarefeitas da linguagem artística performance: suas possibilidades em meios tecnológicos in: Anais Encontro da Associação Nacional de Artes, v. 1. Brasília: Editora da Pós-graduação em Arte da Universidade de Brasília, 2004.

Downloads

Publicado

2018-04-23

Como Citar

Silva, M. T. L. e. (2018). Por uma outra Performance Arte. Revista VIS: Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arte, 17(1), 94–101. https://doi.org/10.26512/vis.v17i1.20632

Edição

Seção

Dossiê - Bordas rarefeitas: dança e performance. Orgs: Marcia Almeida; Maria Bea