Crianças contadoras de histórias: narrativa e performance em aulas de teatro

Main Article Content

Luciana Hartmann - Universidade de Brasília

Resumo

Baseado em experiências de pesquisa realizadas em contextos culturais bastante distintos (na zona rural uruguaia, em uma cidade satélite de Brasília e na cidade de Paris), este artigo propõe uma abordagem da contação de histórias em sala de aula a partir de uma perspectiva pouco usual, a das crianças. Adotando como referencial metodológico a pesquisa etnográfico-participativa, na qual as crianças também são consideradas pesquisadoras, buscou-se inverter a tradicional perspectiva de contar histórias para crianças para, ao contrário, ouvir as histórias que elas têm para contar. O texto procura levantar uma reflexão sobre as potencialidades criativas e expressivas encontradas no cruzamento entre narrativa e performance em aulas de teatro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Hartmann - Universidade de Brasília, L. (2015). Crianças contadoras de histórias: narrativa e performance em aulas de teatro. Revista VIS: Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arte, 13(2). https://doi.org/10.26512/vis.v13i2.14504
Seção
Dossiê - História, Textos, Artes

Referências

ALDERSON, Priscilla. As crianças como pesquisadoras: os efeitos dos direitos de participação sobre a metodologia de pesquisa. Educação e Sociedade. Campinas, v. 26, n. 91, 2005, p. 419-442.

BAUMAN, Richard. Story, Performance and Event - contextual studies of oral narrative. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

_____ Performance. In: BAUMAN, R (ed.) Folklore, cultural Performances and Popular Entertainments. New York/Oxford, Oxford University Press, 1992. p. 41-49.

BAUMAN, Richard; BRIGGS, Charles. Poética e Performance como perspectivas críticas sobre a linguagem e a vida social. Ilha – Revista de Antropologia. PPGAS/UFSC, 2006, pp. 185-229.

BEGNAMI, Patrícia dos Santos. Crianças: os sujeitos das pesquisas antropológicas. Revista UNAR, Araras (SP), v. 4, n. 1, p. 2-12, 2010.

CABRAL, Beatriz (Biange). Teatro e Pressupostos Curriculares. In: Subsídios para a Reorganização Didática no Ensino Fundamental. Florianópolis: Secretaria Municipal de Educação, 2000. pp 223-232.

DESGRANGES, Flávio. Pedagogia do Teatro: provocação e dialogismo. São Paulo: Hucitec/Edições Mandacaru, 2006.

GIRARDELLO, Gilka. Televisão e Imaginação Infantil: histórias da Costa da Lagoa. Tese (Doutorado em Jornalismo), USP, 1998.

_____ Voz, presença e imaginação: a narração de histórias e as crianças pequenas. In: FRITZEN, Celdon; CABRAL, Gladir S. (orgs.) Infância: imaginação e educação em debate. Campinas/SP: Papirus, 2007, pp. 39-58.

_____ Um roteiro teórico-literário para pensar o papel da narração oral hoje. Signo. v. 39, n. 66, 2014, pp. 3-21.

HARTMANN, Luciana. Gesto, Palavra e Memória - performances de contadores de causos. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2011.

_____ Pequenos narradores e suas historias de fascínio e assombro. In: PEREIRA, Marcelo. Performance e Educação: (des)territorializações pedagógicas. Santa Maria/RS: Ed. da UFSM, 2013, p. 191-217.

_____ Interfaces entre a Pedagogia do Teatro e os Estudos da Performance. Educação. UFSM (no prelo), 2014.

JAKOBSON, Roman. Linguística e Comunicação. Tradução de Izidoro Bilkstein e José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1974.

KAPCHAN, Deborah A. Common Ground: keywords for the study of expressive culture – Performance. Journal of American Folklore. v. 108, n. 430, 1995.

MACHADO, Regina. O Conto de Tradição Oral e a Aprendizagem do Professor. Revista Idéias. São Paulo, 1992, pp. 109-115.

MACHADO, Marina Marcondes. Fazer surgir antiestruturas: abordagem em espiral para pensar um currículo em arte. Revista e-curriculum, São Paulo, v.8 n.1, 2012, pp. 1-21.

PEREIRA, Marcelo de Andrade. Performance e Educação: (des)territorializações pedagógicas. Santa Maria/RS: Ed. da UFSM, 2013.

PINEAU, Elyse Lamm. Nos Cruzamentos entre a Performance e a Pedagogia: uma revisão Prospectiva. Revista Educação & Realidade. Porto Alegre: v. 35, n. 2, 2010, pp. 89-113.

PLATIEL, Susy. L´enfance face au conte. Cahiers de Litterature Orale – Le Temps de l´enfance. Paris, INALCO, nº 33, 1993, pp. 55-74.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante - cinco lições sobre a emancipação intelectual. Tradução de Lilian do Valle. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

RAYOU, Patrick. Crianças e jovens, atores sociais na escola. Como os compreender? Educação e Sociedade. Campinas, v. 26, n. 91, 2005, p. 465-484.

SARMENTO, M.J. Visibilidade social e estudo da infância. In: VASCONCELLOS, V. M. R. de; SARMENTO, M. J. (orgs.).Infância (In) Visível. Araraquara/SP: Junqueira & Marin, 2007, pp. 25-49.

SCHECHNER, Richard. O que pode a performance na educação. Revista Educação & Realidade. Porto Alegre: v. 35, n. 2, 2010, pp. 23-35.

VASCONCELLOS, V. M. R. de. Apresentação: infâncias e crianças visíveis. In: VASCONCELLOS, V. M. R. de; SARMENTO, M. J. (orgs.). Infâncias (In)Visíveis. Araraquara/SP: Junqueira & Marin, 2007.

ZUMTHOR, Paul. Performance, Recepção, Leitura. Tradução de Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich. São Paulo: EDUC, 2000.