Por uma Interpretação Fenomenológico-Hermenêutica das Confissões de Santo Agostinho

Autores

  • Marcos Aurélio Fernandes Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Confissões; fenomenologia hermenêutica; louvor; liberdade; verdade.

Resumo

este artigo pretende propôr o caminho de uma interpretação fenomenológico-hermenêutica das Confissões, de Santo Agostinho. Primeiramente, tenta elucidar o que se tem em mente com uma interpretação fenomenológico-hermenêutica. Depois, procura captar a dinâmica hermenêutica na própria obra e perceber que desafios ela coloca a uma interpretação que se põe em consonância com esta dinâmica hermenêutica e que, desse modo, se faça fenomenológica. Em terceiro lugar, procura pensar o sentido da obra como tal e como um todo, partindo de seu título e tentando captar sua intenção íntima, isto é, seu princípio autogenético. No nome que dá o título à obra se ressalta o fenômeno do louvor, no horizonte da experiência da linguagem. O princípio autogenético da obra procura ser trazido à luz a partir do fenômeno da experiência da libertação para a verdade de Deus, experiência que se dá na dinâmica da fé e da graça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Aurélio Fernandes, Universidade de Brasília

Possui graduação em Filosofia pela Universidade São Francisco (1991), mestrado em Filosofia - Pontifício Ateneu Antonianum (2000) e doutorado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Antonianum (2003). É professor adjunto da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Fenomenologia, Filosofia Medieval, Filosofia da Religião e Filosofia da Educação. É autor do livro ?À Clareira do Ser: Da Fenomenologia da Intencionalidade à Abertura da Existência? (Daimon Editora, Teresópolis-RJ, 2011), e dos capítulos ?Do cuidado da fenomenologia à fenomenologia do cuidado?, no livro, organizado por Adão José Peixoto e Adriano Furtado Holanda, ?Fenomenologia do cuidado e do cuidar: perspectivas multidisciplinares? (Curitiba: Juruá, 2011); ?Skholé: o sentido fundante da escola?, no livro organizado por Ildeu Moreira Coêlho, ?Escritos sobre o sentido da escola? (Campinas-SP: Mercado das Letras, 2012); "Técnica, pensamento, paideia", no livro organizado por Ildeu Moreira Coêlho e Rita Márcia Magalhães Furtado, "Universidade, cultura, saber e formação" (Campinas-SP: Mercado das Letras, 2016); "Filosofia, Formação e Pedagogia", no livro organizado por Adão José Peixoto, "Ensaios de Filosofia, Educação e Psicologia".

Referências

AGOSTINHO. Dos bens do matrimônio; a santa virgindade; dos bens da viuvez: cartas a Proba

e a Juliana. São Paulo: Paulus, 2014.

AGOSTINHO. Comentário aos Salmos (Salmos 1-50). São Paulo: Paulus, 1997a.

AGOSTINHO. Comentário aos Salmos (Salmos 51-100). São Paulo: Paulus, 1997b.

AGOSTINHO. Confissões. Petrópolis: Vozes, 1988.

AGOSTINHO. A verdadeira religião. São Paulo: Paulinas, 1987.

ANAXIMANDRO, PARMÊNIDES, HERÁCLITO. Os pensadores originários. Petrópolis:

Vozes, 2017.

AUGUSTINUS. Confessiones / Bekenntnisse. München: Kösel, 1960.

ECKHART, Mestre. Sermões Alemães 1 (sermões 1 a 60). Bragança Paulista / Petrópolis: EDUSF

/ Vozes, 2006.

HEIDEGGER, Martin. Explicações da poesia de Hölderlin. Brasília: UnB, 2013.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Petrópolis / Bragança Paulista: Vozes / Edusf, 2012.

HEIDEGGER, Martin. Marcas do Caminho. Petrópolis: Vozes, 2008.

HEIDEGGER, Martin. A caminho da linguagem. Petrópolis / Bragança Paulista: Vozes / Edusf,

HEIDEGGER, Martin. Conferências e escritos filosóficos. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

HEIDEGGER, Martin. Língua de tradição e língua técnica. Lisboa: Vega, 1995.

LEÃO, Emmanuel Carneiro. Aprendendo a pensar III. Teresópolis: Daimon, 2017.

LEÃO, Emmanuel Carneiro. Filosofia Contemporânea. Teresópolis: Daimon, 2013.

LEÃO, Emmanuel Carneiro. Aprendendo a Pensar II. Teresópolis: Daimon, 2010a.

LEÃO, Emmanuel Carneiro. Filosofia grega: uma introdução. Teresópolis: Daimon, 2010b.

LEÃO, Emmanuel Carneiro. Aprendendo a Pensar I: o pensamento na modernidade e na

religião. Teresópolis: Daimon, 2008.

PUTALLAZ, François-Xavier. “Libertà”. Em Dizionario Enciclopedico del medioevo, por André

& LEONARDI, Claudio Vauchez, 1043-1044. Roma: Città Nuova, 1998.

RILKE, Rainer Maria. Sonetos a Orfeu - Elegias de Duíno. Petrópolis: Vozes, 1989.

ROMBACH, Heinrich. Der kommende Gott. Freiburg im Breisgau: Rombach Verlag, 1991.

ROMBACH, Heinrich. Strukturontologie: eine phänomenologie der Freiheit. Freibug /

München: Karl Alber, 1988.

ROMBACH, Heinrich. Leben des Geistes: Ein Buch der Bilder zur Fundamentalgeschichte der

Menschheit. Freiburg: Herder, 1977.

ROMBACH, Heinrich. Substanz, System, Struktur II. Freiburg / München: Karl Alber, 1966.

ROSA, João Guimarães. Grande Sertão: Veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

WELTE, Bernhard. Meister Eckhart: Gedanken zu seinen Gedanken. Freiburg Basel Wien:

Herder, 1992.

Publicado

2020-04-27

Como Citar

Fernandes, M. A. (2020). Por uma Interpretação Fenomenológico-Hermenêutica das Confissões de Santo Agostinho. Revista Brasileira De Filosofia Da Religião, 6(1), 53 - 78. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/rbfr/article/view/28859

Edição

Seção

Deus e a Religião