Exposições museológicas online

seu sentido e alguns desafios

Autores

  • Rita Maia UFBA
  • Melissa Santos

Palavras-chave:

Exposição, Exposição online, Museologia contemporânea, Avaliação

Resumo

Este artigo é resultado de uma revisão bibliográfica realizada com a intenção de estabelecer uma perspectiva sobre a o planejamento e o design de exposições museológicas online a partir de critérios fundamentados na museologia contemporânea. Consideramos que o discurso expositivo é um dos produtos dos processos de musealização orientados pelo plano museológico, ou sentido institucional do museu. Em consequência, a nossa abordagem reconhece o papel do museólogo enquanto profissional que atua para orientar e avaliar projetos desta natureza. Nosso trabalho resultou na seleção de três aspectos a serem considerados para a criação e avaliação de exposições online: o acolhimento/inclusão do público-usuário, a oferta de experiências participativas e colaborativas e formas de manutenção da interação entre o público e o museu através deste tipo de mídia. Nosso trabalho reconhece uma demanda pelo aprofundamento em investigações empíricas nesta área que sejam fundamentadas no referencial teórico da Museologia contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ANTONIOU, Angeliki; LEPOURAS, George; VASSILAKIS, Costas A methodology for the design of online exhibitions. DESIDOC Journal of Library & Information Technology. n. 33 v. 3, Ago, 2013 . DOI: 10.14429/djlit.33.4615;

BLANCO, A. G. La exposición como um médio de comunicación. Akal Edición: Madrid, 2009.

BORDINHÃO, Katia; VALENTE, Lúcia; SIMÃO, Maristela S. Caminhos da memória: para fazer uma exposição. Brasília, DF: IBRAM, 2017.;

BRASIL. LEI N 7.287, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1984. - Dispõe sobre a Regulamentação da Profissão de Museólogo, Brasília (DF) . 18 de dezembro de 1984. Disponível em : < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L7287.htm>. Acesso em 06 de fevereiro de 2009.

BRASIL. LEI Nº 11.904 de 14 de janeiro de 2009 – que institui o Estatuto de Museus, Brasília (DF), 14 de janeiro de 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l11904.htm. Acesso em 06 de fevereiro de 2009.;

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Formas de humanidade: concepção e desafios da musealização. In: BRUNO, Maria Cristina Oliveira. Cadernos de Sociomuseologia – Museologia e Comunicação, n. 9. Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas, 1996. p. 55-73.

BRUNO, Maria Cristina. Definição de curadoria: os caminhos do enquadramento, tratamento e extroversão da herança patrimonial. In: JULIÃO, Letícia; BITTENCOURT, José Neves (Orgs). Cadernos de Diretrizes Museológicas 2: Mediação em museus: curadorias, exposições, ação educativa.). Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Minas Gerais, Superintendência de Museus, 2008. p. 14-23.

CARLINER, Saul. Lessons learned from museum exhibit design, technical communication, v. 48, n. 1, Feb. 200;

CARRERAS, Cèsar; MANCINI, Federica. A Story of Great Expectations: Past and Present of Online/Virtual Exhibitions. DESIDOC Journal of Library & Information Technology, Vol. 34, No. 2, March 2014, pp. 87-96.

CARVALHO, Ana; MATOS, Alexandre. The Future of Museums and Digital Transformation Challenges. In: KAMEAS, Achilles; POLYMEROPOULOU, Panagiota. The Future of Museum Professionals in the Digital Era – The Success Story of Mu.SA. Athens: Hellenic Open University Press Achilles, 2020. P. 73–79. Disponível em: http://www.project-musa.eu/wp-content/uploads/2021/03/Mu.SA-e-book.pdf. Acesso em 20 de fevereiro de 2021.

CASTELLS, Manuel. Museus na era da informação: conectores culturais de tempo e espaço. In Revista Musas, p.8 - 21, nº5, 2011;

CHAGAS, M. S. Patrimônio é o caminho das formigas. In: Maurício Barros de Castro; Myrian Sepúlveda dos Santos. (Org.). Relações Raciais e PolíTICas de Patrimônio. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2016, v. 1, p. 141-166.;

CLIMENT-ESPINO, RAFAEL. Object-Books and Exposed Writings: New Textual and Literary Landscapes in Latin America and Spain. An. mus. paul., São Paulo , v. 28, d3e39, 2020 Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142020000101002&lng=en&nrm=iso>. Access on 04 Jan. 2021. Epub Oct 26, 2020. https://doi.org/10.1590/1982-02672020v28d3e39.;

CURY, Marilia Xavier. Exposição - Concepção, Montagem e Avaliação. 1. ed. São Paulo: Annablume, 2005a. v. 1. 162p.

DEAN, David. Museum Exhibition: Theory and Practice. London: Routlege, 1994.

FERNANDESZA, L. A.; FERNANDEZ, I. G. Diseno de exposiciones: concepto instalacion y montagem. Madrid: Alianxa Edirtorial, 2007.

GONZÁLEZ, Jorge A. Cibercultur@: informação, comunicação e conhecimento a favor do desenvolvimento social (Entrevista). Diálogos Midiológicos, v.34, n.2, Intercom – RBCC, São Paulo, p. 275-292, jul./dez. 2011.

GONZÁLEZ, Jorge. Cibercultur@ como estrategia de comunicación compleja desde la periferia. IC Revista Científica de Información y Comunicación, n. 4, p. 29-47, 2007.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. PNAD - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua: Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal. Rio de Janeiro: 2019. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101794_informativo.pdf. Acesso em maio de 2020. ISSN 15177793 (eletrônico). Disponível em: https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&ved=2ahUKEwiBpf3cjonwAhXoI7kGHWS7C5EQFjAAegQIAxAD&url=https%3A%2F%2Fperiodicos.uff.br%2Fgeographia%2Farticle%2Fdownload%2F13821%2F9023%2F53199&usg=AOvVaw39IPhocNDVtLcBFhFY_mdp. Acesso em janeiro de 2021.

JENKINS, H. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

KALFATOVIC, MARTIN R. Creating a Winning Online Exhibition: A Guide for Libraries, archives and museums. Chicago; US; London,UK. American Library Association, 2002.

KHOON, Leong Chee; RAMAIAH, Chennupati K. An Overview of Online Exhibitions. DESIDOC Journal of Library and Information Technology, Vol. 28, No. 4, July, 2008, pp. 7-21.

LARS, Lischke et al.. Parallel Exhibits: Combining Physical and Virtual Exhibits. NODEM 2014: Conference & Expo: ENGAGING SPACES Interpretation, Design and Digital Strategies. Polonia , 2014. p. 149-156.;

LEGISLAÇÃO SOBRE MUSEUS [recurso eletrônico]: Lei n° 11.904, de 14 de janeiro de 2009, que institui o Estatuto de Museus, Lei n° 11.906, de 20 de janeiro de 2009, que cria o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), e legislação correlata. 3. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2017. (Série legislação; n. 268 PDF);

LEMOS, André; CUNHA, Paulo (Org.). Cibercultura. Alguns pontos para compreender a nossa época. Olhares sobre a Cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003.;

MARCONDES, Carlos Henrique. Interoperabilidade entre acervos digitais de arquivos, bibliotecas e museus: potencialidades das tecnologias de dados abertos interligados. Perspect. ciênc. Inf. [online]. 2016, vol.21, n.2, pp.61-83. ISSN 1981-5344. http://dx.doi.org/10.1590/1981-5344/2735.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2. Ed. São Paulo: Atlas, 2009

MESTRE, J. S; PINOL, C. M. (coords) Manual de museografia interactiva. Gijón (Es): TREA, 2010.;

MOUTINHO, M. Sobre o conceito de Museologia Social. Cadernos de Museologia - Centro de Estudos de Socio-Museologia. Lisboa: ISMAG/UHLT, 1993, n. 1, p.5-6;

NATALE, Maria Teresa;FERNÁNDEZ, Sergi; LÓPEZ, Mercè (EDs.). Handbook on virtual exhibitions and virtual performances.Roma (IT). INDICAT project, 2012.

NAUMANN, Anja et al. Intuitive Use of User Interfaces: Defining a Vague Concept, Conference: Engineering Psychology and Cognitive Ergonomics, 7th International Conference, EPCE 2007, Held as Part of HCI International 2007, Beijing, China, July 22-27, 2007, Proceedings.

OLIVEIRA, Silvia; SILVA, Bento (2007). Os Museus e a Internet: a necessidade de um agir comunicacional. In Paulo Dias, Cândido Varela de Freitas et. al. (orgs.). Actas da V Conferencia Internacional de Tecnologias de Informacao e Comunicacao na Educacao, Challenges. Braga: Centro de Competencia da Universidade do Minho, Braga, 2007. p.750-757. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/9973/1/Os%20Museus%20e%20a%20Internet%20.%20a%20necessidade%20de%20um%20agir%20comunicacional.pdf Acesso em 06 de fevereiro de 2021.

ROOS; Djeovan; FERRAZ Cláudio Benito O. Cartografias geográficas: o que pode um mapa..., GEOgraphia, v. 19, n. 41, 2017: set./dez.

SANTOS, Eloísa Pérez. Estudios de visitantes en museos: metodología y aplicaciones. Gijon (Asturias): Ediciones Trea, 2000

SANTOS, M. C. T. M. PROCESSO MUSEOLÓGICO E EDUCAÇÃO: contribuições e perspectivas. In Cadernos de Sociomuseologia, v. 7, n. 7, 11, 1996. Disponível em: https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/arTICle/view/275. Acesso em 06 fev. 2021.

SANTOS, Milton, A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4. ed.. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. (Coleção Milton Santos; 1);

Downloads

Publicado

2021-12-18

Como Citar

Maia, R., & Santos, M. . (2021). Exposições museológicas online: seu sentido e alguns desafios. Museologia & Interdisciplinaridade, 10(Especial), 278–294. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/museologia/article/view/39558

Edição

Seção

Dossiê Museologia e Cultura Digital