David Bowie is

um ícone pop na trajetória da exposição itinerante do Victoria and Albert museum

Autores

  • Mariana Bento Beneti
  • Marcia Rosa

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v9i18.28185

Palavras-chave:

David Bowie Is, Exposição Itinerante, Museus contemporâneos, Victoria and Albert Museum

Resumo

Este artigo propõe refletir sobre os modelos de exposições itinerantes nos museus contemporâneos a partir do estudo da exposição David Bowie is, elaborada originalmente pelo Museu Victoria and Albert (Inglaterra). A mostra de mais de 300 objetos do artista, incluindo instrumentos, fotografias, manuscritos originais de letras de músicas e 47 figurinos, circulou por 11 países e recebeu próximo de 2 milhões de visitantes em todo o mundo. Este trabalho descreve os aspectos etnográficos e de contexto mercadológico especificamente em duas exposições estudadas: a de São Paulo, no início da intinerância, em 2014, recebida pelo MIS (Museu da Imagem e do Som) e de Barcelona, em 2018, após a morte de David Bowie (janeiro de 2016), quando a exposição esteve no museu Del Disseny.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ARANTES, O. Os novos museus. Novos Estudos, CEBRAP, Nº 31, outubro 1991, p. 161-169.
BOURDIEU, P.; DARBEL, A. O amor pela arte: os museus de arte na Europa e seu público. Trad. Guilherme João de Freitas Ferreira. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: Zouk, 2003.
BROACKES, V.; MARSH, G. David Bowie is inside. V&A Publishing, Londres, 2013
DEBORD, G. A sociedade do espetáculo - comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.
FERVENZA, H. O mais é deserto. São Paulo: Escrituras, 2003.
FREIRE, M. C. M. Ritos profanos: museu e arte contemporânea na era do espetáculo. Tese de Livre Docência (Doutorado em psicologia). Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo IP-USP, São Paulo, 2003.
GROSSMANN, M. Museu Arte hoje. São Paulo: Hedra, 2011.
JOHNSON, K. David Bowie is. In: DEVEREUX, E.; DILLANE, A.; POWER, M. J. (Org.) David Bowie: Critical Perspectives. Routledge, New York, 2015.
LARA FILHO, D. O museu no século XXI ou o museu do Século XXI. Periódico Fórum Permanente, v. 1, n. 1, 2012. http://www.forumpermanente.org/revista/edicao-0/textos (acesso em 7 de nov. de 2014).
LIPOVETSKY, G.; SERROY, J. A estetização do mundo: Viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
PEIXOTO, M. I. H. Arte e grande público: a distância a ser extinta. Autores Associados, Curitiba, 2003.
XAVIER, D. W. Museus em Movimento: uma reflexão acerca de experiências museológicas itinerantes no marco da Nova Museologia. Dissertação (mestrado em museologia) ”“ Universidade Lusófona de Humanidades e Teclogias, Lisboa, 2012.
ZAVALA, L. Antimanual del museólogo - hacia una museología del espacio cotidiano. México: UAM, Conacultura, 2012.

Downloads

Publicado

2020-11-03 — Atualizado em 2020-11-21

Versões

Como Citar

Bento Beneti, M., & Rosa, M. (2020). David Bowie is: um ícone pop na trajetória da exposição itinerante do Victoria and Albert museum . Museologia & Interdisciplinaridade, 9(18), 411–424. https://doi.org/10.26512/museologia.v9i18.28185 (Original work published 3º de novembro de 2020)