“Luta, resistência e conquista”:

a extensão universitária no Ponto de Memória da Estrutural, Distrito Federal

Autores

  • Silmara Küster de Paula Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v8i16.27327

Resumo

O presente artigo aborda uma síntese da extensão universitária iniciada em 2011 e conduzida pelo Curso de Museologia da Universidade de Brasília no Ponto de Memória da cidade Estrutural, Distrito Federal. Tece a experiência vivenciada, chamando a atenção para a importância de ampliar o olhar para uma museologia conectada com a vida. Aponta aspectos do contexto urbano diante dos problemas sociais evidenciados a partir da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD-2015) e da Universidade de Brasília. Apresenta iniciativas de memória anteriores à fundação do Ponto de Memória propriamente dito, os desafios encontrados e as ações museais realizadas desde essa fundação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ABORÍGENE, Markão. Sem Rosto, Família ou Nome. Brasília: Editora Popular Abadia Catadora, 2013.

CARVALHO, Silmara Kuster de Paula. Museologia Social e direitos humanos: a extensão universitária como exercício de cidadania. In: MAGALDI, Monique; BRITTO, Clovis Carvalho (Orgs.). Museus e Museologia: desafios de um campo interdisciplinar. Brasília: FCI-UnB, 2018, p. 159-175.

CHAGAS, Mario de Souza. Entrevista concedida à pesquisadora. São José dos Campos-SP, 12 de janeiro de 2019.

CHAGAS, Mario de Souza. Palestra na abertura do VII Seminário de Investigação em Sociomuseologia. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, Portugal, fevereiro de 2017.

CODEPLAN. Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD) 2015. Disponível em: http://www.CODEPLAN.df.gov.br/images/CODEPLAN/PDF/pesquisa_socioeconomica/Pdad /2016/Apresentacao_PDAD _Estrutural.pdf. Acesso em: 07 jun. 2017.

DECLARAÇÃO do MINOM Rio 2013. XV Conferência Internacional do Movimento Internacional para uma Nova Museologia (MINOM), Rio de Janeiro, Museu da República, Museu da Maré e Museu de Favela em 2013. Disponível em: <http://www.minom-icom.net/files/declaracao-do-rio-minom.pdf>. Acesso em: 26 set 2019.

GOUVEIA, Inês. Relatório de sistematização e registro das estratégias e processos testados no âmbito da implementação do projeto Pontos de Memória, contendo plano de registro de memória das próximas ações. Produto 7. Brasília: MinC/Ibram, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS. Disponível em: http://www.museus.gov.br/acessoainformacao/acoes-e-programas/de-memoria/programa-pontos-de-memoria/. Acesso em: 20 set 2019.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Editora Sulina, 2007.

OLIVEIRA, Cinthia Maria Rodrigues. Apresentação. In: Pontos de Memória - metodologia e práticas em Museologia Social. Brasília: Phábrica, 2016.

PEREIRA, Marcelle. Entrevista para a reportagem IBRAM ajuda os moradores da Estrutural a preservarem sua história. TV NBR, 11 de abril de 2011.

SANTOS, Caroline Soares. Área de risco ou área de rico: teorias sobre política, direito e respeito na cidade Estrutural. Tese (Doutorado em Sociologia), Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 2007.

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Projeto Político Pedagógico Institucional (PPPI), 2017. Disponível em: http://www.deg.unb.br/images/dtg/cil/legislacoes/Projeto_Pol%C3%ADtico-_Pedag%C3%B3gico_Institucional_da_Universidade_de_Bras%C3%ADlia_2018.pdf. Acesso em: 03 mar. 2019.

Downloads

Publicado

2019-10-30

Como Citar

Carvalho, S. K. de P. (2019). “Luta, resistência e conquista”:: a extensão universitária no Ponto de Memória da Estrutural, Distrito Federal. Museologia &Amp; Interdisciplinaridade, 8(16), 310–329. https://doi.org/10.26512/museologia.v8i16.27327