Museologia, Feminismo e suas ondas de renovação

Autores

  • Camila A. de Moraes Wichers

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v7i13.17781

Palavras-chave:

Museologia, Gênero, Feminismo, Mulheres, Museologia Social

Resumo

Nesse texto parto da premissa de que a Museologia é um campo de estudos voltado à preservação das memórias para, a partir desse ponto, tecer elos entre esse campo e as lutas feministas. Busco apresentar as reciprocidades entre essas lutas e o ideário que convencionou-se denominar como Nova Museologia, Sociomuseologia ou Museologia Social, destacando que esses termos, assim como as denominadas ondas dos feminismos, mais do que marcar rupturas, operam como ondas de renovação da prática museológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila A. de Moraes Wichers

Professora adjunta no bacharelado em Museologia e no Programa de Pós-Graduação em Antropologia
Social da Universidade Federal de Goiás.

Referências

ANZALDÚA, Gloria. Queer(izar) a escritora – Loca, escritora y chicana. In: BRANDÃO, I.; CAVALCANTI, I.; LIMA COSTA, C. da; LIMA, A. C. A. Traduções da Cultura. Perspectivas críticas feministas (1970-2010). Florianópolis, EDUFAL, Editora da UFSC, pp 408-425, 2017. Publicado original em 1991

ASSIS, Maria Elisabete Arruda de; SANTOS, Taís Valente dos (Orgs.) Memória feminina: mulheres na história, história de mulheres. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2016.

BAPTISTA, Jean & BOITA, Tony. Memória e esquecimento LGBT nos Museus, Patrimônios e espaços de Memória no Brasil. Revista do Centro de Pesquisa e Formação, nº 5, pp.108-119, 2017.

BAPTISTA, Jean & SILVA, Cláudia Feijó da (Orgs). Práticas comunitárias e educativas em memória e museologia social. Rio Grande: FURG, 2013.

BOITA, Tony. Memória LGBT: mapeamento e musealização em Revista. Monografia de conclusão de curso de Museologia. Universidade Federal de Goiás, 2014.

BOSI, Eclea. Memória e Sociedade: lembrança de velhos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1987.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira. A luta pela Perseguição ao Abandono. Tese - FFLCH/USP para obtenção do título de livre-docente, São Paulo, 2000.

_________ Arqueologia e Antropofagia: A musealização de sítios arqueológicos. Revista do Patrimônio Histórico Artístico Nacional, n°31, pp. 234-247, 2005.

__________Museus e pedagogia museológica: os caminhos para a administração dos indicadores da memória. IN: MILDER, Saul E.S. As várias faces do patrimônio. Santa Maria: Pallotti, pp. 119-140, 2006.

BRUNO, Maria Cristina Oliveira., FONSECA, Andrea Matos da., & NEVES, Kátia Regina Felipini. Mudança Social e Desenvolvimento no Pensamento de Waldisa Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos. IN: BRUNO, Maria Cristina Oliveira & NEVES, Kátia Regina Felipini. Museus como Agentes de mudança social e desenvolvimento: propostas e reflexões museológicas. São Cristóvão: Museu de Arqueologia de Xingó, pp. 21-39, 2008.

BUTLER, J. P. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003. Publicado original 1990.

CAMUCAMU. Territórios Afetivos das Mulheres do Campo da Museologia. Manifesto do Coletiv@ Afetiv@ de Mulheres do Campo da Museologia, 15 de setembro de 2016. Disponível em https://labdobemviver.wordpress.com/2016/09/15/manifesto-camuca-mu/ Acessado em 15 de janeiro de 2018.

CHAGAS, Mário & GOUVEIA Inês. (Orgs). Dossiê Museologia Social. Cadernos do CEOM. v. 27, n. 41, 2014. Disponível em https://bibliotextos.files.wordpress.com/2011/12/o-conceito-de-museu-comunitc3a1rio.pdf Acessado em 13 de janeiro de 2015.

CHAUÍ, Marilena. Os trabalhos da memória. IN: BOSI, ECLEA. Memória e Sociedade: lembrança de velhos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, pp. XVII-XXXII, 1987.

DAVIS, Angela. Mulheres, cultura e política. São Paulo, Boitempo, 2017. Publicado original 1984.

____Mulheres, raça e classe. São Paulo, Boitempo, 2016. Publicado original 1981

DESVALLÉES, André (Org). Vagues, une anthologie de la nouvelle muséologie, Mâcon, éditions W, Savigny-le-Temple, M.N.E.S, vol. 1, 1992.

____. Vagues, une anthologie de la nouvelle muséologie, Mâcon, éditions W, Savigny-le-Temple, M.N.E.S, vol. 2, 1994.

DUARTE CÂNDIDO, Manuelina Maria. Ondas do pensamento museológico brasileiro. Trabalho de Conclusão do Curso de Especialização em Museologia apresentado ao Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

______. Ondas do pensamento museológico brasileiro. Balanço sobre a produção brasileira. IN: BRUNO, Maria Cristina Oliveira & NEVES, Kátia Regina Felipini. Museus como Agentes de mudança social e desenvolvimento: propostas e reflexões museológicas. São Cristóvão: Museu de Arqueologia de Xingó, pp. 53-72, 2008.

GUERRILHA GIRLS. Guerrilha Girls: Gráfica 1985-2017. Catálogo da Exposição realizada no MAM de São Paulo de 29/09/2017 a 14/04/2018.

HALL, Stuart. Cultura e Representação. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, Apicuri, 2016.

HARAWAY, Donna. “Gênero” para um dicionário marxista: a política sexual de uma palavra. Cadernos Pagu (22), pp.201-246, 2004. Publicado original 1985.

_____. Manifesto ciborgue. Ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX. IN: SILVA, T. T. da; KUNZRU, H.; HARAWAY, D. (Orgs). Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. Belo Horizonte, Autêntica Editora, pp. 33-118, 2009. Publicado Original 1991.

HERNÁNDEZ, Francisca Hernández. Planteamientos teóricos de la museología. Gijón: Ediciones Trea, 2006.

ICOM ESPANHA. Revista do Comitê Espanhol do ICOM, “Museos, género y sexualidade”, No. 8, 2013

ICOM. Museum International – Revista do Conselho Internacional de Museus (ICOM), “Women in museum”, Volume 43, No. 3, 1991.

_____ – Revista do Conselho Internacional de Museus (ICOM), “Gender Perspectives”, Volume 59, No. 4, 2007.

ITUASSU, Arthur. “Hall, comunicação e política do real”. In: HALL, Stuart. Cultura e Representação. Rio de Janeiro: PUC-Rio, Apicuri, pp.9-13, 2006.

KIAN, Azadeh. Introduction: genre et perspectives post/dé-coloniales. Lescahiersdu CE-DREF - Centre d’enseignement, d’études et de recherchespourlesétudesféministes. v. 17, pp1-8, 2010.

LERSCH, Teresa Morales & OCAMPO, Cuauhtémoc C. O conceito de museu comunitário: história vivida ou memória para transformar a história? Conferência Nacional de la Asociación Nacional de Artes y Cultura Latinas, Kansas City, Missouri, 2004. Disponível em https://bibliotextos.files.wordpress.com/2011/12/o-conceito-de-museu-comunitc3a1rio.pdf Acessado em 13 de janeiro de 2015.

LOPES, Maria Margaret. Bertha Lutz e a importância das relações de gênero, da educação e do público nas instituições museais. Musas, n.2, pp.41-47, 2006.

LORDE, Audre. Sister Outsider: Essaysand Speeches. Berkeley, Crossing Press, 2007. Publicado original em 1984.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. Uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

______. Um corpo estranho: ensaios sobre a sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MORAES WICHERS, Camila A. Museus comunitários e patrimônio arqueológico: constrangimentos, desafios e possibilidades de diálogo. V Simpósio Internacional de Ciências Sociais, Universidade Federal de Goiás, 2015. Disponível em https://sicsufg.files.wordpress.com/2015/12/wicherscamila-a-moraes-museus-comunitc3a1rios-e-patrimc3b4nio-arqueolc3b3gico-constrangimentos-desafios-e-possibilidades-de-dic3a1logo.pdf Acessado em 15 de dezembro de 2018.

MOUTINHO, Mário. Definição evolutiva de Sociomuseologia. Atelier Internacional do MINOM, Lisboa/ Setubal, 2007.

NOCHLIN, Linda. Por que não existiram grandes artistas mulheres? IN: PEDROSA, Adriano & MESQUITA, André. (Orgs). Histórias da sexualidade: antologia. São Paulo: MASP, pp.16-37, 2017. Texto publicado originalmente em 1971.

OLIVEIRA, Ana Cristina Audebert Ramos & QUEIROZ, Marijara Souza. Museologia –substantivo feminino: reflexões sobre museologia e gênero no Brasil. Revista do Centro de Pesquisa e Formação, nº 5, pp.61-77, 2017.

PACHELLA, Luiz. 2015. Obra feminista de Carla Zaccagnini ganha exposição gratuita no MASP. VÁ de Cultura, 20 de novembro de 2015. Disponível em http://www.vadecultura.com.br/exposicao/obra-feminista-de-carla-zaccagnini-ganha-exposicao-gratuita-no-masp/ Acessado em 28 de setembro de 2017.

RECHENA, Aida Maria Dionísio. Sociomuseologia e género: imagens da mulher em exposições de museus portugueses. Tese de Doutoramento, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, 2011. Revista Memória LGBT. Ano 1, Número 01, 2013.

RICH, Adrienne. 2010. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Bagoas, n. 05, pp. 17-44. Publicado original em 1980.

RODRIGUES, Carla. Butler e a desconstrução do gênero. Revista de Estudos Feministas, 13(1): 216, pp.179-383, 2005.

RUBIN, Gayle. O tráfico de mulheres: notas sobre a “economia política” do sexo. IN: RUBIN, Gayle. Políticas do Sexo. São Paulo: Ubu Editora, pp.9-62. 2017. Publicado Original, 1975.

RÚSSIO, Waldisa. A interdisciplinaridade em Museologia. IN: BRUNO, Maria Cristina Oliveira (org). Waldisa Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. São Paulo: Pinacoteca do Estado; Secretaria do Estado da Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, pp.123-126, 2010. Publicado original em 1981.

RÚSSIO, Waldisa. Conceito de cultura e sua inter-relação com o patrimônio cultural e a preservação. IN: BRUNO, Maria Cristina Oliveira (org). Waldisa Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. São Paulo: Pinacoteca do Estado; Secretaria do Estado da Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, pp.203-214, 2010. Publicado original em 1984.

SANTOS, Maria Célia Teixeira Moura. Encontros Museológicos - reflexões sobre a museologia, a educação e o museu. Rio de Janeiro: MinC/ IPHAN/ DEMU, 2008.

SANTOS, Myrian Sepúlveda dos. Memória Coletiva e Teoria Social. São Paulo: Annablume, 2012. Publicado original em 2003.

SANTOS, Myrian Sepúlveda dos. Memória coletiva, trauma e cultura: um debate. Revista USP, São Paulo, n. 98, Pp. 51-68, 2013.

VAQUINHAS, Irene. Museus do feminino, museologia de género e o contributo da história. MIDAS [Online], n.3, pp.1-15, 2014.

VIDAL Ava. Intersectional feminism’. What the hell is it? (And why you should care). Telegraph, 15/01/2014. Tradução de Bia Cardoso. Disponível em http://blogueirasfeministas.com/2014/07/feminismo-intersecional-que-diabos-e-isso-e-porque-voce-deveria-se-preocupar/ Acessado em 21 de fevereiro de 2018.

WYLIE, Allison. Arqueologia e a crítica feminista da ciência. Entrevista com Alison Wylie. Por Kelly Koide, Mariana Toledo Ferreira & Marisol Marini. Scientiæsudia, São Paulo, v. 12, n. 3, pp. 549-90, 2014.

Publicado

2018-05-28

Como Citar

Wichers, C. A. de M. (2018). Museologia, Feminismo e suas ondas de renovação. Museologia & Interdisciplinaridade, 7(13), 138-154. https://doi.org/10.26512/museologia.v7i13.17781

Edição

Seção

Dossiê Estudos de Museologia e Gênero

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##