A Documentação Arqueológica sobre as Figuras Zoomorfas de Cerâmica do Sítio Brazabrantes I no Centro Oeste Brasileiro

Autores

  • José Luiz Lopes Garcia PUC - GO
  • Francesco Palermo Neto PUC-GO

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v4i8.16917

Palavras-chave:

Arqueologia, Resgate, Zoomorfos

Resumo

O presente artigo pretende destacar pequenas peças zoomorfas em cerâmica encontradas no Estado de Goiás a 30 km da capital Goiânia próximo à cidade de Brazabrantes no Sítio Brazabrantes I, dentro do Projeto da Ferrovia Norte-Sul, Extensão Sul. Os métodos de escavação utilizados iniciaram-se com níveis artificiais de 0,10 m durante todo o resgate, até quando se começou a escavação da trincheira e suas ampliações decorrentes da grande quantidade de material encontrado. Espera-se que o aprofundamento das pesquisas no Sítio Brazabrantes I e a análise laboratorial de todo material resgatado possa trazer mais esclarecimentos sobre as peças ali encontradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Luiz Lopes Garcia, PUC - GO

Atualmente é coordenador geral de pesquisa da Funadação Aroeira PUC - GO

Francesco Palermo Neto, PUC-GO

Arqueólogo PUC-GO

Referências

BUENO, S. 2007. Silveira Bueno: minidicionário da língua portuguesa/ Silveira Bueno.– São Paulo: FTD.

CADENA, A e BOUCHARD, J.F. LAS FIGURILLAS ZOOMORFAS DE CERAMICA DEL LITORAL PACÍFICO ECUATORIAL.1980. In: Bull. Inst.Fr.Et.And. (IFEA).1980,IX,número 3-4,pp.49-68.Retirado em www.ifeanet.org/publicaciones/boletines/9(3-4)/49.pdf, em 19/05/2012.

HIDASI, J. 1997. Aves de Goiânia: Fundação Jaime Câmara, 1997.324.p.II. ITCO (Instituto de Desenvolvimento Tecnológico do Centro-Oeste). 2008. Revisão e Detalhamento da Carta de Risco e Planejamento do Meio Físico de Goiânia.

MEGGERS, B. J. 1979. América pré-histórica/ Betty J. Meggers; tradução de Eliana Teixeira de Carvalho. – Rio de Janeiro: Paz e Terra.

MORAIS, J.L. 2006. Reflexões Acerca da Arqueologia Preventiva. In: V. H. Mori, M. C. de Souza, R. L. Bastos, H. Galo (Org(s).), Patrimônio: Atualizando o Debate (pp.97-115). São Paulo: 9ª SR/IPHAN.

NEVES, E.G. 2006. Arqueologia da Amazônia/Eduardo Góes Neves. – Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora.

NUNES, L, C. e MENDONÇA, P.C. A. de. 2010. Projeto de Levantamento, Monitoramento e Resgate do Patrimônio Arqueológico das Obras de Implantação da Ferrovia Norte-Sul entre os Municípios de Ouro Verde – Goiás e Estrela D’Oeste. São Paulo: Fundação Aroeira.

PROUS, A.1992, Arqueologia brasileira/ André Prous. – Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília.

PROUS, A. 2006. O Brasil antes dos brasileiros: a pré-história de nosso país. Ilustrações Adriano Carvalho. – Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora.

RIBEIRO-JÚNIOR, J.W. & BERTOLUCI, J.2009. Anuros do cerrado da Estação Ecológica e da Floresta Estadual de Assis, sudeste do Brasil. Biota Neotrop., 9(1): http://www.biotaneotropica.org.br/v9n1/pt/abstract?invento ry+bn02709012009.

REDMAN, C.L.1973. Trabalho De Campo Em Estágios Múltiplos E Técnicas Analíticas. Departamento de Antropologia. Universidade de Nova York. Abril de 1973. Retirado em 06 de maio de 2011 no site: www.portal25.com/ufrgs/docs/redman.

SCHMITZ, P. I. et al.1982. Arqueologia do Centro-Sul de Goiás - uma fronteira de horticultores indígenas no centro do Brasil. In: Pesquisas, Antropologia, 33. São Leopoldo: IAP/Unisinos.

SIMONSEN, I.; OLIVEIRA, A.. 1980. Modelos etnográficos aplicados á cerâmica de Miararré. Goiânia, Ed. Da Universidade Federal de Goiás.

WÜST, I. 1983. Aspectos da Ocupação Pré-Colonial em uma érea do Mato Grosso De Goiás. – Tentativa De Análise Espacial. Dissertação de Mestrado. São Paulo.

WUST, I. e CARVALHO, H.B.1996. Novas Perspectivas Para o Estudo dos Ceramistas Pré-Coloniais do Centro-Oeste Brasileiro: A Análise Espacial do Sítio Guará 1 (GO-NI-100), Goiás. In: Rev. Do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, 6: 47-81.

Publicado

2015-12-09

Como Citar

Garcia, J. L. L., & Palermo Neto, F. (2015). A Documentação Arqueológica sobre as Figuras Zoomorfas de Cerâmica do Sítio Brazabrantes I no Centro Oeste Brasileiro. Museologia & Interdisciplinaridade, 4(8), 185 - 198. https://doi.org/10.26512/museologia.v4i8.16917

Edição

Seção

Artigos