Direito à Memória e Museus

Autores

  • Andréa Fernandes Considera Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v4i8.16909

Palavras-chave:

Museu, Direito à Memória, Poder

Resumo

Este artigo pretende discutir as relações entre o direito à memória e as práticas museais que vem sendo desenvolvidas em museus voltados para preservação destas memórias. Neste debate surgem questões que tentam identificar as possibilidades e limitações da instituição museu enquanto “depositário” de memórias e reprodutor de relações de poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura história da cultura. 7ª edição. São Paulo: Brasiliense, 1994.

FREIRE, José Ribamar Bessa. A descoberta do museu pelos índios. In: ABREU,Regina (org.). Memória e patrimônio: ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009, p. 217-253.

HALBWACHS, Maurice. Memória Coletiva e Memória Histórica. In: HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Vértice, 1990, p. 55-89.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. 5ª edição. Campinas: Editora da Unicamp, 2003.

NORA, Pierre, Entre Memória e História: a problemática dos lugares. In: Revista Projeto História. Nº 10. São Paulo: PUC-SP, 1993, p.7-28.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

WEINGARTEN, Sima. El Deber de Memoria. In: Revista Nuestra Memoria, ano XI, nº 26. Buenos Aires: Fundación Memoria del Holocausto, 2005.

Publicado

2015-12-11

Como Citar

Considera, A. F. (2015). Direito à Memória e Museus. Museologia & Interdisciplinaridade, 4(8), 147 -157. https://doi.org/10.26512/museologia.v4i8.16909

Edição

Seção

Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##