Realismo e fotografia: Dioramas de Hiroshi Sugimoto do Museu de História Natural de Nova Iorque

Autores

  • Angela Prada de Almeida Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v1i2.12659

Palavras-chave:

Hiroshi Sugimoto. Diorama. Fotografia. Perspectiva. Realismo.

Resumo

Este texto tem como objetivo analisar a representação dos Dioramas nos Museus de História Natural, tendo como ponto de partida o olhar do fotógrafo japonês Hiroshi Sugimoto. Sugimoto fotografou estes cenários artificiais, colocando em questão  o discurso do realismo da imagem fotográfica. O olhar do fotógrafo envolve estruturas de cognição. A visão monocular e a representação do espaço em perspectiva implicam na tradição de conceber o que é visto como “realidade”.  Paradigmas do discurso fotográfico e características próprias da fotografia inter-relacionam-se com particularidades da cultura japonesa.  As fotografias e ideias imagéticas criadas por Sugimoto sugerem conceitos teóricos e suscitam análises sobre construções culturais: maneiras de conceber a visualidade que nos cerca, a partir do olhar do fotógrafo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2012-11-28

Como Citar

Almeida, A. P. de. (2012). Realismo e fotografia: Dioramas de Hiroshi Sugimoto do Museu de História Natural de Nova Iorque. Museologia & Interdisciplinaridade, 1(2), 114. https://doi.org/10.26512/museologia.v1i2.12659

Edição

Seção

Artigos