Narrativas de “choque” e “fascinação” no Colégio Pedro II

Autores

  • Tatyana Marques de Macedo Cardoso Colégio Pedro II/Unirio (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro)

DOI:

https://doi.org/10.26512/les.v15i1.9070

Palavras-chave:

Colégio Pedro II; narrativa; memória coletiva.

Resumo

O objetivo deste trabalho é investigar quais são as configurações de valores constitutivos da memória social do Colégio Pedro II que o grupo de docentes e discentes pesquisado recorre ao narrar suas experiências relativas à instituição de ensino. O corpus deste trabalho é construído por entrevistas grupais com membros da instituição (docentes e discentes) e emprega a análise do discurso na abordagem da Sociolinguística Interacional. A partir do sentimento de pertencimento que integra o sistema de valores constitutivos da memória social dessa instituição, docentes e discentes co-constroem suas identidades, reiterando a memória coletiva deste grupo social. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Tatyana Marques de Macedo Cardoso, Colégio Pedro II/Unirio (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro)

Bibliotecária do Núcleo de Documentação e Memória do Colégio Pedro II. Mestre em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio).

Referências

ALVES, Rosana Llopis. José Veríssimo Dias de Mattos: um crítico na direção do Gymnasio Nacional: 1892-1898. 2006. 266 p. Dissertação (Mestrado em Educação) ”“ Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense. Niterói, Rio de Janeiro, 2006.
ANDRADE, Vera Maria Cabana de Queiroz. Colégio Pedro II: um lugar de memória. 1999. 157 p. Tese (Doutorado em História Social) - Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.
BASTOS, Liliana Cabral. Contando estórias em contextos espontâneos e institucionais: uma introdução ao estudo da narrativa. Calidoscópio, Rio Grande do Sul, v.3, n.2, p. 74-87, maio/ago.2005.
BASTOS, Liliana C.; SANTOS, William S. “Caramba, e eu era assim pelo amor de Deus”: A perspectiva do presente na reconstrução identitária em narrativas de conversão religiosa. In: MAGALHÃES, Izabel; GRIGOLETTO, Marisa; CORACINI, Maria J. (Orgs.) Práticas Identitárias: língua e discurso. São Carlos: Editora Clara Luz, pp. 223-234, 2006.
BATESON, Gregory. Uma teoria sobre brincadeira e fantasia. Tradução de Lúcia Quental. In: RIBEIRO, Branca T; GARCEZ, Pedro M (Orgs.). Sociolingüística interacional. São Paulo: Edições Loyola, p. 85-105, 2002.
BRASIL. Collecção das Leis do Império do Brasil. Regulamento n. 8 de 31/01/1838.
BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Tradução de Daniela Kern e Guilherme J. F. Teixeira. São Paulo: Edusp; Porto Alegre, RS: Zouk, 2008.
CARDOSO, Anna Cristina. Algumas considerações sobre o Hino dos alunos do Colégio Pedro II. Rio de Janeiro: Departamento de Educação Musical, 1998. texto mimeo.
COLÉGIO PEDRO II. Projeto Político Pedagógico: Brasília, DF: Inep/MEC, 2002.
FABRÍCIO, Branca Falabella; BASTOS, Liliana Cabral. Identidade de grupo: a memória como garantia do nós face ao outro. In: PEREIRA, Maria das Graças Dias; BASTOS, Clarissa Rollin Pinheiro; PEREIRA, Tânia Conceição (Org.). Discursos sócio-culturais em interação: interfaces entre a narrativa, a conversação e a argumentação: navegando nos contextos da escola, saúde, empresa, mídia, política, gênero e migração. Rio de Janeiro: Garamond, 2009. p. 39-66.
FABRÍCIO, Branca Falabella; MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Discursos e vertigens: identidades em xeque em narrativas contemporâneas. Veredas: Revista de Estudos Lingüísticos, Juiz de Fora, v.6, n.2, p. 11-30, jul./dez.2002.
GABAGLIA, Eugenio de Barros Raja. “Collegio Pedro II”: Annuario do Collegio Pedro II: 1º Anno. Rio de Janeiro: Typ. Revista dos Tribunaes, 1914.
GERSON, Brasil. História das ruas do Rio e da sua liderança na história política do Brasil. Rio de Janeiro: Lacerda Ed., 2000.
GOFFMAN, Erwing. A situação negligenciada. Tradução de Pedro M. Garcez. In: RIBEIRO, Branca T.; GARCEZ, Pedro M. (Org.). Sociolinguística interacional. 2.ed. São Paulo: Loyola, 2002. p. 13-20.
______. Footing. In: RIBEIRO, Branca T.; GARCEZ, Pedro M. (Orgs). Sociolinguística interacional. 2.ed. São Paulo: Edições Loyola, 2002.
GONDAR, Jô. Quatro proposições sobre memória social. In: GONDAR, Jô.; DODEBEI, Vera. (Org.). O que é memória social? Rio de Janeiro: Contra Capa, 2005. p. 11-26.
GUMPERZ, John. Convenções de contextualização. Tradução de José Luiz Meurer & Viviane Heberle. In: RIBEIRO, Branca T.; GARCEZ, Pedro M. (Orgs). Sociolinguística interacional. 2. ed. São Paulo: Edições Loyola, p. 149-182, 2002.
GUMPERZ, John. Discourse Strategies. Cambridge: Cambridge University Press, 1982.
HALBWACHS, Maurice. Los marcos sociales de la memoria. Trad. Manuel A. Baeza e Michel Mujica. Rubí (Barcelona): Antrophos Editorial; Concepción: Universidad de la Concepción; Caracas: Universidad Central de Venezuela, 2004.
HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.
LABOV, William. The transformation of experience in narrative syntax. In:______. Language in the inner city. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972.
LABOV, William; WALETZKY, J. Narrative Analysis. In: HELM, J (Ed.) Essays on the Verbal and Visual Arts. Seattle: University of Washington Press, 1967, p.12-44.
LINDE, Charlotte. Life stories: the creation of coherence. New York: Oxford University Press, 1993.
MARCUSCHI, L. A. Análise da conversação. Rio de Janeiro: Ática, 1986.
MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Práticas narrativas como espaço de construção das identidades sociais: uma abordagem socioconstrucionista. In: RIBEIRO, Branca Telles;
LIMA, Cristina Costa; DANTAS, Maria Tereza Lopes (Org.). Narrativa, identidade e clínica. Rio de Janeiro: Edições IPUB-CUCA, 2001. p. 55-71.
NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. São Paulo, Projeto História ”“ Revista do Programa de Estudos dos Pós-graduados em História e do Departamento de História. v.10, 1993.
POLLAK, Michael. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n.10, p.200-212, 1992.
PINTO, Diana de Souza. As estórias de Larissa: o processo de construção da referência e as múltiplas “projeções do eu” em narrativas em uma entrevista psiquiátrica. In: RIBEIRO, B.
T.; LIMA, C. C.; DANTAS, M. T. L. (Org.). Narrativa, Identidade e Clínica. Rio de Janeiro: Edições IPUB ”“ CUCA, 2001. p. 121-141.
RIBEIRO, Branca T; GARCEZ, Pedro M (Orgs.). Sociolinguística interacional. 2.ed. São Paulo: Edições Loyola, p. 85-105, [1972] 2002.
SANTOS, Myrian Sepúlveda dos. Memória coletiva e teoria social. São Paulo: Annablume, 2003.
SCHIFFRIN, Deborah. Narrative as self-portrait: sociolinguistic constructions of identity. Language in Society, v.25, n.2, p.167-203, 1996.
SETTON, Maria da Graça Jachinto. A teoria do habitus em Pierre Bourdieu: uma leitura contemporânea. São Paulo, Revista Brasileira de Educação, n.20, p. 60-70, maio-ago. 2002.
TANNEN, Deborah. Talking voices: repetition, dialogue and imagery in conversational discourse. Cambrigde: Cambrigde University Press, 1989.

Downloads

Publicado

2014-06-23

Como Citar

Cardoso, T. M. de M. (2014). Narrativas de “choque” e “fascinação” no Colégio Pedro II. Cadernos De Linguagem E Sociedade, 15(1), 50–68. https://doi.org/10.26512/les.v15i1.9070

Edição

Seção

Artigos de pesquisa