EFEITOS DA MODALIZAÇÃO E DA DEBREAGEM NA ENUNCIAÇÃO DO PAR AMOROSO PELA CANÇÃO POP BRASILEIRA

Autores

  • Carmem Silvia de Carvalho Rêgo Universidade Federal do Ceará
  • José Leite Júnior Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.26512/les.v18i2.5795

Palavras-chave:

Canção romântica, Posicionamento pop, Tribalização, Semiótica da canção

Resumo

Com o objetivo de investigar estratégias da enunciação do par amoroso que configurem uma sensibilidade tribalista no discurso literomusical brasileiro (DLMB), analisamos a canção “Se tudo pode acontecer” (ANTUNES, Arnaldo. Paradeiro. CD. BMG, 2002) observando a relação e a relevância dos seguintes processos discursivos e melódicos: i) a figurativização na mobilização de isotopias; ii) a modalização discursiva na ordenação dos enunciados de estado; iii) a debreagem na objetivação do parceiro amoroso; e iv) o andamento musical na modalização dos estados de conjunção e disjunção sujeito-objeto. Contando com o aporte teórico-metodológico da Semiótica Discursiva (GREIMAS; COURTÉS, 2011), mais precisamente, da Semiótica da Canção (TATIT, 2007; 2002), defendemos que a canção analisada, investindo em mecanismos de modalização e debreagem, produz um parecer /ser/ romântico sutilmente descontruído pela configuração dos enunciados e pela sintaxe estabelecida entre os elementos discursivos correspondentes aos actantes do percurso narrativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Carmem Silvia de Carvalho Rêgo, Universidade Federal do Ceará

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará, com bolsa CAPES-DS e sob orientação do Prof. Dr. José Américo Bezerra Saraiva. Desenvolve sua investigação com embasamento teórico-metodológico da Semiótica Discursiva e da Análise do Discurso Francesa, dedicando-se especialmente ao discurso literomusical brasileiro. Participa do Semioce - Grupo de Estudos Semióticos da Universidade Federal do Ceará, liderado pelos professores doutores José Américo Bezerra Saraiva e Ricardo Lopes Leite.

José Leite Júnior, Universidade Federal do Ceará

Doutor em Letras pela UFPB, integrante do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC.

Referências

BERTRAND, Denis. Caminhos da semiótica literária. Tradução de Grupo CASA. Bauru: EDUSC, 2003.
BITONDI, Matheus Gentile. A estruturação melódica em quatro peças contemporâneas. 2006. 99 f. Dissertação (Mestrado em música) ”“ Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, 2006.
CHARAUDEAU, Patrick; MAINGUENEAU, Dominique. Dicionário de análise do discurso. 2.ed. São Paulo: Contexto, 2008.
COSTA, Nelson Barros da. Música popular, linguagem e sociedade: analisando o discurso literomusical brasileiro. Curitiba: Appris, 2011.
_______. A produção do discurso lítero-musical brasileiro. 2001. 486 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) ”“ Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2001.
FONTANILLE, Jacques; ZILBERBERG, Claude. Tensão e significação. São Paulo: Discurso/Humanitas/FFLCH/USP, 2001.
GREIMAS, A. J. Semântica estrutural. São Paulo: Edusp: Cultrix, 1976.
GREIMAS, A. J.; COURTÉS, J. Dicionário de Semiótica. São Paulo: Contexto, 2011.
GREIMAS, A. J.; FONTANILLE, J. Semiótica das paixões: dos estados de coisas aos estados de alma. São Paulo: Ática, 1993.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11.ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.
HJEMSLEV, Louis. Prolegômenos a uma teoria da linguagem. 2.ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.
MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. 4.ed. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.
MAINGUENEAU, Dominique. Discurso e análise do discurso. São Paulo: Parábola, 2015.
______. Gênese dos discursos. São Paulo: Parábola, 2008.
RÊGO, Carmem Silvia de Carvalho. Tendências do pop nacional: o discurso tribalista na canção de Arnaldo Antunes. 2011. 113 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) ”“Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Fortaleza, 2011.
TATIT, Luiz. Semiótica da canção: melodia e letra. 3.ed. São Paulo: Escuta, 2007.
______. O cancionista. 2.ed. São Paulo: EDUSP, 2002.
______. A canção: eficácia e encanto. 2.ed. São Paulo: Atual, 1987.
ZILBERBERG, Claude. Relativité du rythme. Protée: Théories et pratiques sémiotiques, Québec à Chicoutimi, v.18, n.1, p.37-46, abr., 1990.
______. Elementos de semiótica tensiva. Tradução de Ivã Lopes, Luiz Tatit e Waldir Beividas. São Paulo: Ateliê, 2011.

Downloads

Publicado

2017-10-06

Como Citar

Rêgo, C. S. de C., & Leite Júnior, J. (2017). EFEITOS DA MODALIZAÇÃO E DA DEBREAGEM NA ENUNCIAÇÃO DO PAR AMOROSO PELA CANÇÃO POP BRASILEIRA. Cadernos De Linguagem E Sociedade, 18(2), 137–155. https://doi.org/10.26512/les.v18i2.5795