A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE SOCIAL DA MULHER EM OBRAS DE FINANÇAS PESSOAIS

Autores

  • Carla Leila Oliveira Campos Universidade Federal de Alfenas/Professor Magistério Superior
  • João Paulo de Brito Nascimento Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG
  • Leonardo Biazoli Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG
  • Pedro Henrique Lopes Faustino Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG

DOI:

https://doi.org/10.26512/les.v20i2.26997

Palavras-chave:

Identidade social, Gênero, Educação financeira, Discurso

Resumo

Objetivamos analisar, por meio dos pressupostos teórico-metodológicos da Análise Crítica do Discurso (ADC), a construção da identidade social da mulher em três livros de finanças pessoais voltados ao público feminino, via análise das sequências injuntivas. Além da ADC, resgatamos estudos sobre educação financeira e gênero, com o intuito de verificar como as práticas discursivas dialogam com narrativas sobre o feminino e o consumo. Concluímos que as obras pouco contribuem para o desenvolvimento da educação financeira das mulheres, aproximando-se do discurso da autoajuda. Além disso, os textos reconfiguram discursos que reproduzem visões estereotipadas do feminino e desconsideram questões econômicas e sociais mais amplas que envolvem os problemas financeiros das mulheres no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ASSEF, A.; LUQUET, M. Aposentada fica a sua avó: um guia de independência financeira das meninas iradas. São Paulo: Saraiva, 2008.

ASSEF, A.; LUQUET, M. Meninas normais vão ao shopping, meninas iradas vão à Bolsa. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

ASSEF, A.; LUQUET, M. Meninas normais casam... meninas iradas investem na relação. São Paulo: Saraiva, 2009.

ASSUMPÇÃO, M. As representações da mulher profissional brasileira e norte americana construídas pela mídia impressa. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) ”“ Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

AUGUSTINIS, V. F.; COSTA, A. de S. M.; BARROS, D. F. Uma análise crítica do discurso de educação financeira: por uma educação para além do capital. Revista ADM.MADE, Rio de Janeiro, ano 12, v. 16, n. 3, p. 79-102, set./dez., 2012.

BUCHER-KOENEN, T. et al. How financially literate are women? An overview and new insights. The Journal of Consumer Affair, v. 51, n. 2, p. 255-283, 2017.

CHOULIARAKI, L.; FAIRCLOUGH, N. Discourse in late modernity. Edinburgh: Edinburgh University Press, 1999.

COLLING, A. M. Tempos diferentes, discursos iguais. Dourados: Editora da UFGD, 2014.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO (CNC). Pesquisa de endividamento e inadimplência do consumidor ”“ PEIC. 2019. Disponível em: https://www.fecomerciopr.com.br/wp-content/uploads/2018/09/PEIC-maio-3.pdf. Acesso em: 20 jun. 2019.

CONNELL, R.; PEARSE, R. Gênero: uma perspectiva global. São Paulo: nVersos, 2015.

DRIVA, A.; LÜHRMANNB, M.; WINTER, J. Gender differences and stereotypes in financial literacy: Off to an early start. Economics Letters, n. 146, p. 143-146, 2016.

FAIRCLOUGH, N. Analysing discourse: textual analysis for social research. London/New York: Routledge, 2003.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e Mudança Social. Brasília: Editora da Universidade Federal de Brasília, 2001.

GEE, J. P. An introduction to Discourse Analysis: Theory and method. London/New York: Routledge, 2001.

KÖCHE, V.; MARINELLO, A.; BOFF, O. Os gêneros textuais e a tipologia injuntiva. Caderno Seminal Digital, ano 15, v. 11, n. 11, 2009.

LUSARDI, A.; MICHAUD, P.-C.; MITCHELL, O. S. Optimal financial knowledge and wealth inequality. Journal of Political Economy, v. 125, n. 2, p. 431-477, 2017.

LUSARDI, A.; MITCHELL, O. S. The economic importance of financial literacy: theory and evidence. Journal of Economic Literature, American Economic Association, v. 52, n. 1, p. 5-44, 2014.

MAGALHÃES, I. Introdução: a Análise de Discurso Crítica. D.E.L.T.A., v. 21, n. esp., p. 1-9, 2005.

MCLOUGHLIN, L. A critical discourse analysis of South Asian women’s magazine. London: Macmillan Publisher, 2017.

OCHS, E. Constructing Social Identity: A Language Socialization Perspective. Research on Language and Social Interaction, v. 26, n. 3, p. 287-306, 1993.

ROSA, A. A sequência injuntiva passo a passo. 2003. 144 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) ”“ Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.

SANTOS, L. C. B. do. O que fazer com seu dinheiro: o discurso de autoajuda em manchetes de capas de jornais. 2013. 198 f. Dissertação (Mestrado em Letras) ”“ Centro de Artes e Comunicação, Universidade Federal do Pernambuco, Recife, 2013.

SAVOIA, J. R. F.; SAITO, A. T.; SANTANA, F. A. Paradigmas da educação financeira no Brasil. Revista de Administração Pública - RAP, Rio de Janeiro, v. 41, n. 6, p. 1121-1141, 2007.

SIQUEIRA, R. R. Mulher, uma construção social: representações, estereótipos e imagens. Rev. Ambivalências, v. 2, n. 3, p. 6-41, 2014.

VAN LEEUWEN, T. The representation of social actors. In: CALDAS-COULTHARD, Carmen R.; COUTHARD, Malcolm. (ed.). Texts and Practices: readings in Critical Discourse Analysis. London: Routledge, 1996.

WODAK, R.; MEYER, M. Methods of critical discourse studies. 3. ed. Los Angeles/London/New Delhi/Singapure/Washington DC: SAGE Publications, 2016.

WODAK, R.; WEISS, G. Analyzing European Union discourses: Theories and applications. In: WODAK, R.; CHILTON, P. (eds.). A New Agenda in (Critical) Discourse Analysis: Theory, methodology and interdisciplinarity. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2005. p. 121-135.

Downloads

Publicado

2019-12-16

Como Citar

Campos, C. L. O., Nascimento, J. P. de B., Biazoli, L., & Faustino, P. H. L. (2019). A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE SOCIAL DA MULHER EM OBRAS DE FINANÇAS PESSOAIS. Cadernos De Linguagem E Sociedade, 20(2), 112–131. https://doi.org/10.26512/les.v20i2.26997

Edição

Seção

Artigos