Capitalismo e Ontologia n’O Anti-Édipo: Uma Crítica Marxista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rfmc.v9i3.43005

Palavras-chave:

Deleuze & Guattari. Marx. Capitalismo. Ontologia. Dialética.

Resumo

Este artigo busca expor alguns dos temas abordados em O anti-Édipo, de Deleuze e Guattari, especialmente aqueles em que os autores lançam mão da obra de Marx com ponto de partida de suas próprias teses. Apresento primeiro a tese de história como mera contingência, defendida pelos autores a partir de um novo exame da transição do feudalismo para o capitalismo. Mostro como os autores escolhem alguns fragmentos da obra de Marx para embasar uma tese antidialética, contrária à marxiana, embora não elaborem uma crítica ao filósofo alemão. Em segundo lugar, exponho a tese dos autores a respeito da natureza do capital e de seu desenvolvimento, lançando mão da leitura que eles fazem da lei tendencial à queda da taxa de lucro. Também aqui, o recurso seletivo a Marx redunda em um abandono da teoria do valor-trabalho, com a tese da mais-valia maquínica. Esta tese contribui para a nova ontologia proposta pelos autores, que dissolve as categorias de sujeito e objeto, ao mesmo tempo em que equipara e homogeneíza todo o existente, aplainando a diversidade do mundo social. Por fim, critico o desenho de revolução proposto pelos autores em íntima conexão com sua nova ontologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vera Cotrim, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, CEFET-MG

Professora de Filosofia do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG). Doutora em História Econômica pela Universidade de São Paulo (USP) e graduada em Filosofia pela USP.

Referências

ANDERSON, p. Passagens da Antiguidade ao Feudalismo. Tradução de Beatriz Sidou. São Paulo: Brasiliense, 2000.

ANDRADE, M. Macunaíma. São Paulo: Marins Fontes, 1977.

DELEUZE, G., GUATTARI, F. O anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia 1, 2ªed. Tradução de Luiz B. L. Orlandi. São Paulo: Editora 34, 2011.

DESCARTES, R. Discurso do método; Meditações; Objeções e respostas; As paixões da alma; Cartas, 2ªed. Tradução de J. Guinsburg, Bento Prado Júnior. São Paulo: Abril Cultural, 1979 (Os Pensadores).

MARX, K. O Capital – Crítica da economia política – Livro I. Tradução de Regis Barbosa, Flávio R. Kothe (Coord., Rev.). Paul Singer. São Paulo: Nova Cultural, 1985 (Os economistas, vols. I, II).

MARX, K. O Capital – Crítica da economia política – Livro III. Tradução de Regis Barbosa, Flávio R. Kothe, (Coord., Rev.). Paul Singer. São Paulo: Nova Cultural, 1986 (Os economistas, vol. IV).

MARX, K. Grundrisse – Manuscritos econômicos de 1858-1858. Tradução de Mário Duayer. São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2011.

MARX, K., ENGELS, F. A Ideologia Alemã – Crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). Tradução de Rubens Enderle, Nélio Schneider, Luciano Cavini Martorano. São Paulo: Boitempo, 2007.

PIMENTA, p. P. A trama da natureza: organismo e finalidade na época da Ilustração. São Paulo: Unesp, 2018.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

COTRIM, V. . Capitalismo e Ontologia n’O Anti-Édipo: Uma Crítica Marxista. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea, [S. l.], v. 9, n. 3, p. 129–158, 2021. DOI: 10.26512/rfmc.v9i3.43005. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/fmc/article/view/43005. Acesso em: 3 fev. 2023.