A realização fonológica de aspecto em Libras

Autores

  • Hadassa Rodrigues Universidade Federal de Juiz de Fora

Palavras-chave:

traços fonológicos, aspecto, Libras

Resumo

Este trabalho apresenta resultados de uma pesquisa realizada sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras), que investiga o conteúdo fonológico correspondente à realização do traço de telicidade e duração de eventos. Empenhamo-nos em investigar propriedades temporais que distinguem eventualidades, das quais nos atemos aos pares telicidade/atelicidade e durativo/não durativo. O arcabouço teórico é a Morfologia Distribuída (HALLE; MARANTZ, 1993) e o Modelo Prosódico (BRENTARI, 1998). Com base no estudo empreendido, este trabalho chega à conclusão de que articulações da face inferior (boca, bochechas e queixo) são especificadas pelos traços [+/- contínuo] e [+/- pontual] correspondendo à contraparte fonológica de traços de aspecto. Fortalecemos as premissas da Morfologia Distribuída ao evidenciar uma motivação semântico-enciclopédica no preenchimento do conteúdo fonológico dos nós terminais gerados pela sintaxe em uma língua não oral. Espera-se que, com os resultados desta pesquisa, poder-se-á contribuir para uma teoria sobre o aspecto que seja vista em conexão com os diferentes componentes da gramática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BRENTARI, D. A prosodic model of sign language phonology. Cambridge, MA: Mit Press, 1998.

BELLUGI, U.; KLIMA, E. S. The signs of language. Psychological Science, [S.l.], v. 1, p. 6-9, 1979.

CHOMSKY, N.; HALE, M. The sound pattern of English. Cambridge: MIT Press, 1968.

COMRIE, B. Aspect. Cambridge: Cambridge University Press, 1976.

CRASBORN, O. et al. Frequency distribution and spreading behavior of diferente types of mouth actions in three sign languages. Sign Language & Linguistics, v. 11, n. 1, p. 4567, 2008.

HALLE, M.; MARANTZ, A. Distributed morphology and the pieces of inflection. In: HALLE, M.; KEISER, S. J. The view from building 20. Cambridge: MIT Press, 1993. p. 111-176.

LIDDELL, S. K.; JOHNSON, R. E. American sign language: The phonological base. Sign language studies, [S.l.], v. 64, n. 1, p. 195-277, 1989.

SANDLER, W. Phonological representation of the sign: linearity and non-linearity in American Sign Language. Dordrecht: Foris Publications Holland, 1989.

SANTOS, H. R. Traços categorizadores na derivação de pares nome-verbo em Libras. Scripta, 24(51), p. 488-513, 2020.

SCHER, A. P. Quais são as propriedades lexicais de uma construção com verbo leve? In: MÜLLER, A. L.; NEGRÃO, E. V; FOLTRAN, M. J. (org.). Semântica formal. São Paulo: Contexto, 2003.

SILVA, L. Expressões manuais e não manuais da Libras sob o olhar de pesquisadores da UFPR, Revista da Abralin, v.9, n.2, p. 1-7, 2020.

SMITH, C. The parameter of aspect. Boston, Londres: Kluwer Academics Publishers, Dordrecht, 1991.

VENDLER, Z. Causal relations. The Journal of philosophy, [S.l.], v. 64, n. 21, p. 704-713, 1967.

WILBUR, R. B. Modality and the structure of language: Sign languages versus signed systems. In: MARSCHARK, M.; SPENCER, P. E. (ed.). Oxford Handbook of Deaf Studies, Language, and Education. New York: Oxford University Press, 2003.

WILBUR, R. B. Complex predicates involving events, time and aspect: Is this why sign languages look so similar. Theoretical issues in sign language research, [S.l.], p. 217-250, 2008.

XAVIER, A. N. Análise preliminar de expressões não-manuais lexicais na libras. Revista Intercâmbio, v. XL:41-66, São Paulo: LAEL/PUCSP, 2019.

Downloads

Publicado

07.11.2022