A ética em debate

o trabalho de campo e seus novos desafios

Autores

  • Cristina Dias da Silva

Palavras-chave:

Antropologia

Resumo

Em 10 de outubro de 1996, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) aprovou a Resolução nQ 196/96 que instituiu uma série de diretrizes e normas para regular “pesquisas envolvendo seres humanos”. Nessa mesma resolução, criou-se a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) para gerir, como instância deliberativa, aspectos éticos dessas pesquisas. Como um órgão vinculado ao Ministério da Saúde, grande parte dos termos da Resolução na 196/96 versa sobre casos explicitamente referidos a pesquisas típicas da área biomédica. Considerando que os seres humanos estão presentes, mesmo que de outra forma, nos estudos de muitos pesquisadores da área de humanidades, com especial destaque para os antropólogos, cujo trabalho de campo possibilita um contato face a face e constrói uma relação de interlocução com os pesquisados, é de se admirar que não haja nenhuma menção sobre qualquer especificidade ou ressalva para o tipo de trabalho realizado por esses profissionais. Especialmente nos termos de um consentimento livre e esclarecido, não há qualquer mostra de um mínimo de consciência sobre o que significa um trabalho de campo, no qual a idéia de consentimento adquire um valor tão mais complexo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CARDOSO, Ruth. 1986. Aventuras de antropólogos em campo ou como escapar das armadilhas do método. In: CARDOSO, Ruth. (Ed.). A aventura antropológica - teoria epesquisa. Rio de Janeiro: Terra e Paz.
DAMATTA, Roberto. 1978. O ofício de etnólogo ou como ter “antrhopological blues”. Edson Nunes. (Ed.). A aventura sociológica - objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar. p. 23-35.
DURHAM, Eunice. 1986. A pesquisa Antropológica em populações Urbanas: Problemas e Perspectivas. In: CARDOSO, Ruth. (Ed.). A aventura antropológica - teoria epesquisa. Rio de Janeiro: Terra e Paz.
PEIRANO, Mariza. 1994. A favor da etnografia. Anuário antropológico 92. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, p. 197-224.
VlCTORA, C. OLIVEN; R. G. MACIEL; E. ORO, A. P. (Orgs.). 2004. Antropologia e ética. O debate atual no Brasil. Niterói: EdUFF.
ZALUAR, Alba. 1986. Teoria e prática do trabalho de campo: Alguns problemas. In: CARDOSO, Ruth. (Ed.). A aventura antropológica - teoria epesquisa. Rio de Janeiro: Terra e Paz.

Publicado

2018-02-20

Como Citar

Silva, C. D. da. (2018). A ética em debate: o trabalho de campo e seus novos desafios. Anuário Antropológico, 30(1), 187-198. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6924