CONTORNO DE UMA SINTAXE

O DISCURSO FLUENTE E REAL DE ANA CRISTINA CESAR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/aguaviva.v8i1.45232

Palavras-chave:

Ana Cristina Cesar, Poesia brasileira, Poesia marginal

Resumo

Esse ensaio apresenta uma leitura da poética de Ana Cristina Cesar a partir de dois aspectos principais: a fluência de seu discurso e o aspecto real presente em seu texto. Dois versos da poeta, “o discurso fluente como o ato de amor” e “o real constrói o poema”, são o ponto de partida para o desenvolvimento de uma análise que privilegia não a compreensão, mas antes a apreensão da substância de sua poesia e propõe uma leitura a partir das pistas que a própria autora dá sobre sua produção. Por um lado, observa-se a fluência de seu discurso e como seu ritmo particular reconstrói a experiência poética e demanda um leitor empenhado. Por outro, analisa-se de que maneira o aspecto real, isto é, banal e cotidiano, faz parte de sua poesia também como uma maneira de recolocar o poeta num certo lugar frente ao texto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Talissa Ancona Lopez, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Letras - Português pela Universidade de São Paulo (2020). Mestranda no IEL - Unicamp, na Linguística Aplicada, onde estuda e traduz cartas de Katherine Mansfield. Fez parte da formação de Psicanálise pelo CLIN-a (Centro Lacaniano de Investigação da Ansiedade), associado à Escola Brasileira de Psicanálise, onde estudou principalmente as conversas e os desencontros entre poesia, linguística e psicanálise. É escritora e tradutora. Publicou, em 2021, "Ficamos eu", pela Editora Urutau (2021).

Referências

BARTHES, Roland. Da leitura. In: O rumor da língua. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, [1976]2012.

BOSI, Viviana. ´´A mercê do impossível. In: CESAR, Ana Cristina. Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p. 425-431.

CESAR, Ana Cristina. Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

LIMA, Luiz Costa. Dispersa demanda. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1981.

MORICONI, Italo. Ana Cristina Cesar. Rio de Janeiro: Relume Damará, 1996.

SANTIAGO, Silviano. Singular e anônimo. In: Nas malhas da letra. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

SANTIAGO, Silviano. Genealogia da ferocidade. Recife: Cepe, 2017.

SUSSEKIND, Flora. Até segunda ordem não me risque nada. Rio de Janeiro: 7 Letras, 1995.

SUSSEKIND, Flora. Literatura e vida literária: polêmicas, diários e retratos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

Downloads

Publicado

2023-10-01

Como Citar

LOPEZ, Talissa Ancona. CONTORNO DE UMA SINTAXE: O DISCURSO FLUENTE E REAL DE ANA CRISTINA CESAR. Revista Água Viva, [S. l.], v. 8, n. 1, 2023. DOI: 10.26512/aguaviva.v8i1.45232. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/aguaviva/article/view/45232. Acesso em: 28 fev. 2024.