Multimodalidade da Memória e a Sociologia dos a Priori Sociais

Main Article Content

Edson Silva Farias

Resumo

Ao longo deste ensaio de natureza teórica, com a finalidade de explorar a natureza multimodal da memória, a focalizaremos a partir do problema dos a priori na teoria social. Em termos de procedimentos analíticos, aqui adotaremos o cruzamento das etnografias das ideias e de itinerários intelectuais com o propósito de recuperar trajetórias conceituais e de debates nos rumos socioantropológicos pelos quais adquire contornos o problema dos a priori. Assim, traçamos em grandes linhas o deslocamento da filosofia à sociologia do problema em torno dos a priori do entendimento humano. Adiante nos referiremos a alguns entre os desdobramentos conhecidos na teorização em Talcott Parsons, em que as prerrogativas cognoscitivas da filosofia da consciência são mantidas, embora reacomodadas no escopo de esquemas teórico-analíticos ancorados na premissa sobre a modalização normativa da vontade. Finalmente, delinearemos os contornos do nosso argumento sobre os a priori sociais à luz da abordagem contemporânea do encontro possível entre o saber pelo corpo, memória e conhecimento, na medida em que é incrementado o recurso à dimensão simbólica da linguagem no campo da teoria sociológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Farias, E. S. (2016). Multimodalidade da Memória e a Sociologia dos a Priori Sociais. Arquivos Do CMD, 4(1), 112–155. https://doi.org/10.26512/cmd.v4i1.9174
Seção
Artigos de Dossiê
Biografia do Autor

Edson Silva Farias, Universidade de Brasília

Professor de Sociologia da UnB. Pesquisador do Grupo Cultura, Memória e Desenvolvimento.

Referências

ALEXANDER, Jefrey. Las Teorias Sociológicas desde la Segunda Guerra Mundial: Análisis Multidimensional. Barcelona: Gedisa, 1988.

ALEXANDER, Jeffrey. “O Novo Movimento Teórico”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 4, julho, 1987.

ARRUDA, Ângela. “Teoria das representações sociais e ciências sociais: trânsito e atravessamentos”. Sociedade e Estado, n.24 vol. 3, 2009.

ASSMANN, Aleida. Espaços da Recordação: formas e transformações da memória cultural. Campinas: Unicamp, 2011.

BENOIT, Lelita Oliveira. Sociologia Comteana: Gênese e Devir. SP: Discurso Editorial, 1999.

BIERSACK, Alleta. “Saber local, história local: Geertz e além” In: Lynn Hunt (org.): A Nova História Cultural, 1992.

BOLLÈME, Geneviève. O Povo por Escrito. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

BOURDIEU, Pierre. O Senso Prático. Petrópolis (RJ): Vozes, 2009.

BOURDIEU, Pierre. Esboço de uma Teoria da Prática. Oeiras: Celta, 2002.

BOURDIEU, Pierre. “Wittgenstein, le sociologisme & la science sociale”. In: Jacques Bouveresse, Sandra Laugier et Jean-Jacques Rosat (orgs.): Wittgenstein : Dernieres Pensées. Marseille: Agone, 2002a.

BOURDIEU, Pierre. Science de la Science et Réflexivité. Paris: Raisons d´Agir, 2001.

BOURDIEU, Pierre. Meditações Pascalianas. RJ: Bertrand do Brasil, 2001a.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. RJ: Bertrand, 2000.

BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas. SP: Perspectiva, 1992.

BUCKLEY, Walter. A Sociologia e a Moderna Teoria dos Sistemas. SP: Cultrix, 1974.

BURKE, Peter. A Escola de Annales: 1929-1989. SP: Unesp, 1991.

BURKE, Peter. Formas de Hacer Historia. Madrid: Alianza, 2003.

BURKE, Peter. Cultura Popular na Idade Moderna. São Paulo: Cia das Letras, 2010.

CASSIRER, Ernest. Ensaio sobre o Homem: introdução a uma filosofia da cultura humana. SP: Martins Fontes, 2005.

CERTEAU, Michel. A Cultura no Plural. Campinas: Papirus, 1995.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e Representações. Lisboa: Difel, 2002.

CHARTIER, Roger. “‘Cultura popular’: revisitando um conceito historiográfico”. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 8, n° 16, 1995, p. 179-192.

CHOMSKY, Noam. Linguagem e Pensamento. Petrópolis (RJ): Vozes, 1971.

COMTE, August. “Discurso Sobre o Espírito Positivo” in: Os Pensadores: Comte, SP: Abril Cultural, 1978.

COSTA LIMA, Luiz. Vida e Mimesis. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

DAVIS, Natalie Z. Culturas do Povo: sociedade e cultura no início da França moderna. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

DESAN LLOYD, Christopher. As Estruturas da História. RJ: Jorge Zahar Editor, 1998.

DESAN, Suzanne. “Massas, comunidade e ritual na obra de EP Thompson e Natalie Davis” In: A Nova História Cultural. São Paulo: Martins Fontes, p. 63-96, 1992.

DURAND, Gilbert. As Estruturas Antropológicas do Imaginário. SP: Martins Fontes, 2001.

DURKHEIM, Emile. As Formas Elementares da Vida Religiosa. SP: Paulus, 1989.

DURKHEIM, Emile. As Regras do Método Sociológico. SP: Cia Editora Nacional, 1985.

DURKHEIM, Emile. Sociologia, Pragmatismo e Filosofia. Porto: RÉS Editorial, s.d .

DESAN, Suzanne (1992.). “Massas, comunidade e ritual na obra de E.P. Thompson e Natalie Davis” In: Lynn Hunt (org.): A Nova História Cultural. SP: Martins Fontes, 1992.

ELIAS, Norbert. Teoria Simbólica. Oeiras: Ceuta, 2002.

ELIAS, Norbert. Mozart ”“ Sociologia de um Gênio. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1995.

ELIAS, Norbert. O Processo Civilizador ”“ Formação do Estado e Civilização (v. 2). Rio de Janeiro: Zahar, 1993.

ELIAS, Norbert. “Introdução” In: ELIAS, N.; DUNNING, E. A Busca da Excitação. Lisboa: Difel, 1992, p. 39-99.

ELIAS, Norbert. O Processo Civilizador ”“ Uma História dos Costumes. (v. 1). Rio de Janeiro: Zahar, 1990.

FARIAS, Edson. “Introdução: Estudar a metrópole a partir do seu a priori” In: Edson Farias (org.): Retas que se prolongam em curvas: tensões nos usos do contexto metropolitano brasiliense. Jundiaí: Paco, 2015.

FARIAS, Edson. “Cultura e desenvolvimento: figuras históricocognitivas de uma dinâmica geopolítica”. Latitude, v. 6, n. 2, 2013, pp.51-83.

FARIAS, Edson. “Apresentação: Simbólico e linguagem entre dilemas e possibilidades socioantropológicas”. Arquivos do CMD, v. 1. n.1, 2013.

FARIAS, Edson. “Memória: o objeto em suas narrativas” In: Maria C. Fonseca-Silva e Edson Farias (orgs.): Memória, Discurso e Sociedade. São Carlos: Claraluz, 2012.

FARIAS, Edson. “Memória, saber incorporado e linguagem no esquema de Norbert Elias”. Revista Estudos de Sociologia (UFPE), vol. 15 n.1, jan.-jun. 2009.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. SP: Loyola, 1998.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. RJ: Forense Universitária, 2000.

GARRIDO, Margarida & GARCIA-MARQUES, Leonel. “Em busca da distinção perdida: acessibilidade versus disponibilidade mnésicas em cognição social”. Análise Psicológica, n.03 (XXI), 2003.

GIDDENS, Anthony. A Constituição da Sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

GIDDENS, Anthony. Central Problems in Social Theory. Berkeley: University of California Press, 1979.

GIDDENS, Anthony. Novas Regras do Método Sociológico. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

GINZBURG, Carlo. O Queijo e os Vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela inquisição. São Paulo: Cia das Letras, 1987.

GLOCK, Hans-Johann. Dicionário Wittgenstein. RJ: Jorge Zahar Editor, 1998.

GOFFMAN, Erving. Os Quadros da Experiência Social: uma perspectiva de análise. Petrópolis: Vozes, 2012.

GOODMAN, Nelson. Linguagens da Arte: uma abordagem a uma teoria dos símbolos. Lisboa: Gradiva, 2006.

HABERMAS, Jürgen. Teoría de la Acción Comunicativa, vol. I (Cap.III “Interludio Primeiro: acción social, actividad teleológica y comunicación”). Madrid: Taurus, 1999, 2 volumes.

HABERMAS, Jürgen. O Discurso Filosófico da Modernidade. SP: Martins Fontes, 2000.

HABERMAS, Jürgen. “El cambio de paradigma en Mead y Durkheim: de la actividad teleológica a la acción comunicativa” In: Teoria de la Acción Comunicativa, vol. II. Madrid: Taurus, 1999.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. SP: Vértice, 1990.

HAWTHORN, Geoffrey (1982). Iluminismo e Desespero: Uma História da Sociologia. RJ: Paz e Terra.

HONETH, Axel. Luta por Reconhecimento: A Gramática Moral dos Conflitos Sociais. SP: Editora 34, 2003.

HUNT, Lynn. “Apresentação” In: Lynn Hunt (org.): A Nova História Cultural. SP: Martins Fontes, 1992.

JAKOBSON, Roman. Lingüística e Comunicação. SP: Cultrix., s.d..

JODELET, Denise. “Le mouvement de retour vers Le sujet et l´approche des représentations sociales”. Connexions, n. 89, 2008.

KANDEL, Eric R. Em Busca da Memória: o nascimento de uma nova ciência da mente. SP: Cia das Letras, 2009.

KÖHNKE, Klaus. C. Surgimiento y Auge del Neokantismo. México (DF): Fundo de Cultura Econômica, 2011.

KOJÈVE, Alexandre. Introdução à Leitura de Hegel. RJ: Contraponto, 2002.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto; PUC- Rio, 2006.

KUPPER, Adam. The Invention of Primitive Society: transformations of an illusion. New York: Routledge, 1988.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1994.

LE GOFF, Jacques & NORA, Pierre. História: novos objetos. Rio de Janeiro : Francisco Alves, 1995.

LEVY-STRAUSS, Claude. “A análise estrutural em lingüística e antropologia” In: Antropologia Estrutural. RJ: Tempo Brasileiro, 2003.

LEVY-STRAUSS, Claude. “Prefácio” In: Sociologia e Antropologia, vol.II. SP: EPU e Edusp, 2 vol, 1974.

LUKES, Steven. Émile Durkheim: his life and work. New York: Penguin Books, 1973.

MAUSS, Marcel. “Ensaio sobre a Dádiva” In: Sociologia e Antropologia, vol.II. SP: EPU e Edusp, 2 vol, 1974.

MERLEAU-PONTY, Maurice. “De Mauss a Claude Lévi-Strauss” In: Maurice Merleau-Ponty(Textos Selecionados). SP: Abril Cultural, 1980 (Os Pensadores).

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da Percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MEDEIROS, Cristina C. C. e GODOY, LETÃCIA. “As referências de Pierre Bourdieu e Norbert Elias na Revista Brasileira de Ciências do Esporte: mapeando tendências de apropriação e de produção de conhecimento na área da educação física” (1979-

. Rev. Bras. Cienc. Esporte, Campinas, v. 30, n. 2, p. 199-214, jan. 2009.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis (RJ): Vozes, 2004.

OLIVEIRA, Luis Roberto Cardoso de. “As categorias do entendimento humano e a noção de tempo e espaço entre os nuer”. Série Antropologia, Brasília: Departamento ”“ PPG em Antropologia da UnB, 1993.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. “A Categoria de ‘Entendimento Humano’ na Antropologia” In: Sobre o Pensamento Antropológico. RJ: Tempo Brasileiro/Cnpq, 1988.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso. “Introdução a uma leitura de Mauss” In: Roberto Cardoso de Oliveira (org.): Mauss. SP: Ática, 1979.

PAIXÃO, Antônio Luiz. “A teoria geral da ação e a arte da controvérsia”. RBCS, nº 11, vol. 4, outubro, 1989, p. 34-56.

PARSONS, Talcott. Toward a General Theory of Action. New Brunswick (NY): Transaction Publishers, 195.

PARSONS, Talcott. Social Structure and Personality. New York: The Free Press - London: Collier-Macmillan, 1964.

PARSONS, Talcott. El Sistema Social. Madrid: Revista do Ocidente. 1966

PARSONS, Talcott. La Estructura de la Accion Social. Madrid: Guadarrama, 1968, 2 vols.

PARSONS, Talcott. “Durkheim e a teoria da integração dos sistemas sociais” In: Gabriel Cohn (org.): Para Ler os Clássicos. RJ: Livros Técnicos e Científicos, 1977.

PARSONS, Talcott & SMELSER, N. J. Economy and Society. New York: Free Press, 1956.

PEARS, David. As Idéias de Wittgenstein. SP: Cultrix, 1973, p.162-163.

RICOUER, Paul. A Memória, a História, o Esquecimento. Campinas (SP): Unicamp.

ROCHER, Guy. Talcott Parsons e a Sociologia Americana. RJ: Francisco Alves, 1976.

SMOLKA, Ana Luiz B. “A memória em questão: uma perspectiva histórico-cultural”. Educação & Sociedade, ano XXI n. 71, julho,

SOUZA, Juliano, STAREPRAVO, Fernando A. e MARCHI JR., Wanderley. “A sociologia configuracional de Norbert Elias ”“ potencialidades e contribuições para o estudo do esporte”. Rev. Bras. Ciênc. Esporte, Florianópolis, v. 36, n. 2, p. 429-445,

abril/junho 2014.

STOCKING JR., George W. Delimiting Anthropology: occasional essays and reflections. Chicago: University of Wisconsin Press, 2001.

TARDE, Gabriel. Monadologia e Sociologia. Petrópolis (RJ): Vozes, 2003.

TAYLOR, Charles Argumentos Filosóficos. SP: Loyola, 2000.

TOMASELLO, Michel. Origens Culturais da Aquisição de Conhecimento Humano. SP: Martins Fontes, 2003.

TREVIÑO, A. Javier. “Introduction: the theory and legacy of Talcott Parsons” In: A. Javier Treviño (org.): Talcott Parsons Today: his theory an legacy in contemporary sociology. N.Y: Rowman & Littlefield, 2001

TURNER, Jonathan H. & MARYANSKI, Alexandra. Funcionalism. Menlo Park (California): The Benjamin/Cummings Publishing Company, 1979.

VEYNE, Paul. Como se Escreve a História e Foucault Revoluciona a História. Brasília (DF): UnB, 2008.

WACQUANT, Loïc D. “Introduction” In : Pierre Bourdieu, Réponses. Paris: Seuil, 1992.

WACQUANT, Loïq J. D. “O legado sociológico de Pierre Bourdieu: duas dimensões e uma nota pessoal.” Revista Sociologia Política, n. 19, 2002.