Percepção de Mães Beneficiárias Ribeirinhas da Amazônia sobre o Programa Bolsa Família

  • Thamyris Maués dos Santos Universidade Federal do Pará
  • Simone Souza da Costa Silva Universidade Federal do Pará
  • Silvia Helena Koller Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Programa Bolsa Família, Programas sociais, Famílias ribeirinhas, Amazônia, Brasil

Resumo

O objetivo deste artigo é descrever a percepção de mães beneficiárias do Programa Bolsa Família, moradoras de uma comunidade ribeirinha amazônica, sobre a participação  no programa. Para tanto, foi realizado um estudo qualitativo com quatro mães beneficiárias moradoras da Ilha do Combú, pertencente ao município de Belém (PA), sendo aplicados um Inventário Biossociodemográfico e uma Entrevista Semiestrutrada que buscava compreender como as beneficiárias percebiam sua vida antes e após o programa. Os resultados demonstraram mudanças perceptuais após a inserção no programa, sendo que as beneficiárias deixaram de se ver como extremamente dependentes da renda do marido, os gastos passaram a ser realizados de modo mais planejado e a ocorrência de situações nas quais não houvesse alimento deixaram de existir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Afonso, T., Araújo, M. E. C., Reis, D. C., Silva, S. S. C., & Pontes, F. A. R. (2012). Programa Bolsa Família: Uma análise dos aspectos sociodemográficos e das rotinas de crianças nos contextos urbano e ribeirinho amazônico (Relatório enviado ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome). UFPA, Belém.

Albuquerque, F. J. B. (2002). Psicologia Social e formas de vida rural no Brasil. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 18(1), 37-42. doi: 10.1590/S0102-37722002000100005

Bardin, L. (1977). Análise de Conteúdo (L. A. Reto & A. Pinheiro, Trad.). Lisboa, Portugal: Edições 70.

Brussi, J. D. E. (2012). Negócios & dádivas: Relações de mercado em um contexto de reciprocidade. Campos, 13(2), 39-53.

Castro, H. C. O., Walter, M. I. M. T., Santana, C. M. B., & Stephanou, M. C. (2009). Percepções sobre o Programa Bolsa Família na sociedade brasileira. Opinião Pública, 15(2), 333-355. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-62762009000200003

Cruz, V. C. (2008). O rio como espaço de referência identitária: Reflexões sobre a identidade ribeirinha na Amazônia. In S. C. S.Trindade Júnior & M. G. C. Tavares (Eds.), Cidades ribeirinhas na Amazônia: Mudanças e permanências (pp. 49-67). Belém: EDUFPA.

Ferreira, V. R. M. (2008). Psicologia Econômica: Como o comportamento econômico influencia nas nossas decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Fontes, B. A. S-M., & Eichner, K. (2004). A formação do capital social em uma comunidade de baixa renda. REDES- Revista Hispana para el Análisis de Redes Sociales, 7(2), 1-33.

Gibbs, G. (2009). Análise de dados qualitativos (R. C. Costa, Trans.). Porto Alegre: Artmed.

Kahneman, D. (2012). Rápido e devagar: Duas formas de pensar (C. A. Leite, Trans.). Rio de Janeiro: Objetiva.

Kirchler, E. (1999). Household decision making. In P. Earl & S. Kemp (Eds.), The Elgar Companion to Consumer Research and Economic Psychology (pp. 296-304). Aldershot: Edward Elgar.

Kooreman, P. (2000). The labeling effect of a child benefit system. The American Economic Review, 90(3), 571-583. Recuperado de http://www.jstor.org.ez3.periodicos.capes.gov.br/stable/117343

Haddad, M. (2008). Bolsa Família and the needy: Is allocation contributing to equity in Brazil? Journal of International Development, 20(5), 654-669. doi: 10.1002/jid.1445.

Lima, D. & Pozzobon, J. (2005). Amazônia socioambiental. Sustentabilidade ecológica e diversidade social. Estudos Avançados, 19(54), 45-76. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/ea/v19n54/03.pdf

Lunt, P. (1996). Discourses of savings. Journal of Economic Psychology, 17(6), 677-690. doi: http://dx.doi.org/10.1016/S0167-4870(96)00035-9

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (2012, dezembro 20). Bolsa Família (website). Recuperado de http://www.mds.gov.br/bolsafamilia

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (2014, setembro 11). Boletim O Brasil Sem Miséria no Seu Município – Belém-PA. Recuperado de http://www.brasilsemmiseria.gov.br/municipios

Moura, E. A. F., Nascimento, A. C., & Côrrea, D. S. S. (2007). “Cesta Básica” (rancho) das populações ribeirinhas da Amazônia. Cadernos de Saúde Coletiva, 15(4), 517-530. Recuperado de http://www.iesc.ufrj.br/cadernos/images/csc/2007_4/artigos/CSC_IESC_2007_4_6.pdf

Pires, A. (2008). Bolsa Família e políticas públicas universalizantes: O caso de um município paulista. Cadernos de Pesquisa, 38(134), 341-366. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742008000200005

Poletto, M., & Koller, S. H. (2008). Contextos ecológicos: Promotores de resiliência, fatores de risco e de proteção. Estudos de Psicologia (Campinas), 25(3), 405-416. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2008000300009

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. (2010). Relatório de Desenvolvimento Humano 2010: A verdadeira riqueza das nações: vias para o desenvolvimento humano. Recuperado de http://hdr.undp.org/en/media/HDR_2010_PT_Complete_reprint.pdf

Reis, D. C., Araújo, M. E. C., Santos, S. S. L., Silva, S. S. C., & Pontes, F. A. R. (2012). Araraiana e Combú: Um estudo comparativo de dois contextos ribeirinhos amazônicos. Temas em Psicologia, 20(2), 429-438. doi: 10.9788/TP2012.2-11

Rodrigues, E. T. (2006). Organização comunitária e desenvolvimento territorial: o contexto ribeirinho em uma ilha da Amazônia (Unpublished master´s thesis). Universidade Federal do Pará, Belém. Recuperado de http://www.ufpa.br/naea/gerencia/ler_tcc.php?id=40-

Secretaria Municipal de Coordenação Geral do Planejamento e Gestão. (2011). Anuário Estatístico do Município de Belém v. 16. Recuperado de http://www.belem.pa.gov.br/app/ANUARIO_2011/ANUARIO%202011%20COMPLETO.pdf

Silva, D. A. (2011). Sobrepeso e obesidade em crianças de cinco a dez anos de idade beneficiárias do Programa Bolsa Família no estado do Sergipe, Brasil. Revista Paulista de Pediatria, 29(4), 529-535. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822011000400010

Silva, S. S. C., Pontes, F. A. R., Lima, L. C., & Maluschke, J. B. (2010). Rede social e papeis de gênero de casais ribeirinhos de uma comunidade amazônica. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26(4), 605-612. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722010000400004

Silva, S. S. C., Pontes, F. A. R., Santos, T. M., Maluschke, J. B., Mendes, L. S. A., Reis, D. C., & Silva, S. D. B. (2010). Rotinas familiares de ribeirinhos amazônicos: uma possibilidade de investigação. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26(2), 341-350. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722010000200016

Soares, F. V., Ribas, R. P., & Osório, R. G. (2010). Evaluating the impact of Brazil’s Bolsa Família. Latin American Research Review, 45(2), 173-190. doi: 10.1353/lar.2010.0017

Underlid, K. (2007). Poverty and experiences of insecurity. A qualitative interview study of 25 long-standing recipients of social security. International Journal of Social Welfare, 16, 65-74. doi: 10.1111/j.1468-2397.2006.00423.x

van Raaij, W. F. (1999). Economic Psychology between Psychology and Economics: An introduction. Applied Psychology, 48(3), 263-272. doi: 10.1111/j.1464-0597.1999.tb00001.x

Walsh, F. (1996). The concept of family resilience: Crisis and challenge. Family Process, 35(3), 261-281. doi: 10.1111/j.1545-5300.1996.00261.x

Yin, R. K. (2010). Estudo de caso: Planejamentos e métodos (4ª ed). Porto Alegre: Bookman.

Publicado
2017-08-29
Como Citar
Santos, T., Silva, S., & Koller, S. (2017). Percepção de Mães Beneficiárias Ribeirinhas da Amazônia sobre o Programa Bolsa Família. Psicologia: Teoria E Pesquisa, 33(1). Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/revistaptp/article/view/19462
Seção
Estudos Empíricos