Análise por simulação de melhoria de processos na entrada de unidade de atenção primária de saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/gs.v12i01.32821

Palavras-chave:

Simulação por Computador, Provisão & distribuição, Análise Estatística, Acesso aos Serviços de Saúde, Atenção Primária à Saúde

Resumo

Este artigo analisa uma proposta de redesenho de processos da porta de entrada de uma unidade de atenção primária em saúde no Município do Rio de Janeiro. O principal redesenho proposto foi a unificação das filas dos guichês, deixando de estratificar usuários de acordo com sua equipe. Dados coletados em visitas de campo foram usados para construir um modelo de simulação de eventos discretos. Foram analisados os impactos do redesenho sobre o tempo médio de espera em fila, sobre o tamanho médio da fila e sobre a taxa de ocupação dos guichês. Os resultados da simulação apontam para uma redução de 89,9% do tempo médio em fila, passando de 465,5 segundos para 47,2 segundos. Correspondentemente, o tamanho médio da fila foi reduzido de 0,9 usuários para 0,6 usuários. Ainda, houve a redução de um guichê e aumento na taxa média de utilização dos guichês, de 56,9% para 67,4%, aumentando a produtividade sem geração de sobrecarga. Estudos futuros poderão explorar o relaxamento de restrições nas premissas do modelo e a replicabilidade dos resultados em unidades de saúde semelhantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Lippi MC. Desempenho de operações e efetividade da prestação de serviços públicos [dissertação]. Rio de Janeiro: Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (COPPE), Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2016.

Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 2012.

Comino EJ; Davies GP; Krastev Y,;Haas M; Christl B; Furler J; Raymont A; Harris MFA. Systematic review of interventions to enhance access to best practice primary health care for chronic disease management, prevention and episodic care. BMC Health Services Research. 2012; 12(415).

Jacobson SH; Hall SN; Swisher JR. Discrete-event simulation of health care systems. In Patient Flow: Reducing Delay in Healthcare Delivery. 2006: 211-252.

Fone D; Hollinghurst S; Temple M; Round A; Lester N; Weightman A; Roberts K; Coyle E; Bevan G; Palmer S. Systematic review of the use and value of computer simulation modelling in population health and health care delivery. J Public Health Med. 2003; 25( 4 ): 325-335.

Zhang X. Application of discrete event simulation in health care: a systematic review. BMC Health Services Research. 2018; 18.

Günal MM; Pidd M. Discrete event simulation for performance modelling in health care: a review of the literature. Journal of Simulation. 2010; 4: 42-51.

Aziati, AN; Hamdan NSB. Application of queuing theory model and simulation to patient flow at the outpatient department. In Proceedings of the International Conference on Industrial Engineering and Operations Management Bandung. 2018 Mar.

Ordu M; Demir E; Tofallis C. A decision support system for demand and capacity modelling of an accident and emergency department. Health Systems. 2019 Jan; 9( 1 ): 31-56.

Hasan I; Bahalkeh E; Yih Y. Evaluating intensive care unit admission and discharge policies using a discrete event simulation model. SIMULATION. 2020 Apr; 96( 6 ): 501-518.

Marquezine AC; Soares de Bem NF; Nazaré TB; Oliveira PWS. A case study through queue simulations of a basic health center. International Journal of Engineering Trends and Technology. 2020 Jun; 68( 6 ): 22-27.

Al-Mashraie M; Alshaebi A; Alshraideh H; Essa MB. Improving patient discharge process using discrete event simulation: A case study. In Proceedings of the 2016 Industrial and Systems Engineering Research Conference H. Yang, Z. Kong, and MD Sarder, eds. 2016 May; 2283-2288.

Banks J; Carson JS; Nelson BL; Nicol DM. Discrete-Event System Simulation. New Jersey: Prentice Hall. 2010.

Sokolowski JA; Banks CM. Principles of modeling and simulation: A multidisciplinary approach. New Jersey: John Wiley & Sons. 2009.

Law AM. Simulation modeling and analysis. New York: McGraw-Hill. 2013.

Ross S. Simulation. California: Academic Press. 2013.

Siegel AF. Practical business statistics. Cambridge: Academic Press. 2016.

Downloads

Publicado

29-04-2021

Como Citar

1.
Klojda T, de la Vega R, e Alvim Alexandre R, Spiegel T. Análise por simulação de melhoria de processos na entrada de unidade de atenção primária de saúde. Rev. G&S [Internet]. 29º de abril de 2021 [citado 7º de dezembro de 2021];12(01):92-107. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/32821

Edição

Seção

Artigos Originais