Práticas de Cuidado Domiciliar de Feridas Crônicas Realizadas por Idosos e Seus Cuidadores

Autores

  • Carolina Leite Ossege Universidade de Brasília Escola Superior de Ciências da Saúde
  • Andréa Mathes Faustino

DOI:

https://doi.org/10.26512/gs.v0i0.23319

Palavras-chave:

ferimentos e lesões, assistência a idosos, autocuidado, cuidados de enfermagem.

Resumo

Com relação aos cuidados indispensáveis para o tratamento de feridas crônicas, a dependência e a diminuição da capacidade funcional podem trazer a diminuição de atitudes de cuidado, assim como a autonomia pode constituir um fator contribuinte para a qualidade de vida do idoso. Assim, o presente estudo teve como objetivo identificar as práticas de cuidado domiciliar de feridas crônicas desempenhadas por idosos e seus cuidadores. Trata-se de um estudo quantitativo descritivo, observacional e exploratório, realizado na Clínica Médica de um hospital universitário, com 10 idosos e seus cuidadores, por meio de instrumento prévio para coleta de dados objetivos, com análise em frequência absoluta e percentual. A idade dos idosos variou entre 60 e 81 anos, sendo a maioria do sexo masculino (60%), casados (60%), com cuidador familiar (80%), internados pela especialidade de oncologia (40%), independentes para atividades de vida diária (90%) e dependentes parcialmente para atividades instrumentais de vida diária (50%). As lesões crônicas mais encontradas nos idosos foram as localizadas em membros inferiores, relacionadas a diabetes e a tumores. Concluiu-se que os idosos apresentaram um perfil de capacidade funcional e de rede de apoio familiar compatível com a prática de cuidados no domicílio; porém, quanto aos cuidados com as lesões crônicas, nem todas as etapas do cuidado foram desempenhadas adequadamente, sugerindo um despreparo para lidar com a situação adversa, o que reforça a necessidade do preparo para a alta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Leite Ossege, Universidade de Brasília Escola Superior de Ciências da Saúde

Enfermeira graduada pela Universidade de Brasília.

Enfermeira residente do Programa de Residência Multiprofissional em Atenção Cardíaca da Escola Superior de Ciências da Saúde e Secretaria de Estado e Saúde do Distrito Federal.

Andréa Mathes Faustino

Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Especialista em Enfermagem Geriátrica e Gerontológica e Administração Hospitalar e Sistemas de Saúde

Mestre em Enfermagem Fundamental (EERP - USP)

Título de Especialista em Gerontologia pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) (2014)

Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília.

Professora Adjunta no Departamento de Enfermagem, Faculdade de Ciências da Saúde, na Universidade de Brasília. Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Terceira Idade (NEPTI) do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinar (CEAM) da UnB. Coordenadora da Liga Acadêmica de Gerontologia e Geriatria da UnB (LAGGUnB).

Publicado

2019-08-14

Como Citar

1.
Ossege CL, Faustino AM. Práticas de Cuidado Domiciliar de Feridas Crônicas Realizadas por Idosos e Seus Cuidadores. Rev. G&S [Internet]. 14º de agosto de 2019 [citado 15º de agosto de 2020];00:162 - 175. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/23319

Edição

Seção

Temas Livres em Saúde

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##