A marginalização cultural

a criação da figura do malandro como estratégia de criminalização da classe trabalhadora

Autores

  • Bruna Maria Félix de Carvalho e Souza Pontificia Unidade Catolica de Minas Gerais

Palavras-chave:

Criminologia Crítica, Samba, Epistemologia, Malandro

Resumo

O presente artigo busca, através da abordagem materialista histórica, oferecer uma compreensão da criação da figura do malandro no cenário nacional. Para isso, através de uma metodologia de revisão bibliográfica, foi realizado uma abordagem epistêmica das principais escolas criminológicas. Após tal abordagem, foi defendida uma hipótese de que a criação da figura do malandro foi realizada, desde o princípio, de forma racista, a fim de criminalizar agentes da classe trabalhadora do país. Para isso foi realizada uma releitura histórica da época da abolição da escravatura, atrelando a figura do malandro a figura do sambista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Maria Félix de Carvalho e Souza, Pontificia Unidade Catolica de Minas Gerais

Pós-graduanda em Ciências Penais pela PUC/MG. Membro do grupo Retrabalhando o Direito, do grupo em Epistemologia Penal e do grupo em Teoria Crítica pela PUC/MG. Membra do grupo em Criminologia Latino Americana pela UFMG.

Referências

ANITUA, Gabriel Ignacio. História dos pensamentos criminológicos. 2008.p.405.

BARATTA, Alessandro. Criminologia Crítica e Crítica ao Direito Penal: Introdução à sociologia do Direito Penal. 2013. p. 89.

BATISTA, Nilo. Criminalidade Economico-Financeira Intervencao no XIII Congresso Internacional de Direito Comparado. Veredas do Direito, v. 4, p. 86, 2007.

BATISTA, Vera Malaguti. Introdução Crítica à Criminologia brasileira. 2018.

CANDIDO, Antonio. Dialética da malandragem. Revista do Instituto de estudos brasileiros, n. 8, p. 67-89, 1970.

CARVALHO, Salo de. Curso de Criminologia Crítica brasileira: dimensões epistemológicas, metodológicas e políticas. 2022.

CIRINO, Juarez. Criminologia: contribuição para a crítica da punição. 2022

DA SILVA, Flávia Gonçalves. Subjetividade, individualidade, personalidade e identidade: concepções a partir da psicologia histórico-cultural. Psicologia da educação, n. 28, 2009.

DA SILVA, José Bruno Aparecido; DA SILVA BRUNO, Laura Soares. Da roda de samba ao baile funk: uma perspectiva histórico-jurídica da tentativa de criminalização da cultura negra no Brasil. Revista Em Favor de Igualdade Racial, v. 5, n. 3, p. 34-48, 2022.

DE ANDRADE, Vera Regina Pereira. Do paradigma etiológico ao paradigma da reação social: mudança e permanência de paradigmas criminológicos na ciência e no senso comum. Seqüência: estudos jurídicos e políticos, v. 16, n. 30, p. 24-36, 1995.

DIVAN, Gabriel Antinolfi et al. Quebra-cabeças–sobre epistemologia, criminologia crítica e (verdadeira) ruptura de paradigmas. Revista de Estudos Criminais, v. 8, n. 29, p. 141-151, 2008.

FURTADO, Marcella Brasil; PEDROZA, Regina Lúcia Sucupira; ALVES, Cândida Beatriz. Cultura, identidade e subjetividade quilombola: uma leitura a partir da psicologia cultural. Psicologia & Sociedade, v. 26, p. 106-115, 2014. p. 2.

FERNANDES, Antonio José Martins; DE SOUZA, Luanna Tomaz. A desigualdade da seleção criminalizante secundária em relação de exceção: reflexões a partir de Giorgio Agamben. Revista de Criminologias e Politicas Criminais, v. 6, n. 1, p. 63-81, 2020.

GIAMBERARDINO, André. De Enrico Ferri a Massimo Pavarini. Cárcere sem Fábrica: escritos em homenagem a Massimo Pavarini. Rio de Janeiro: Revan, 2019. p. 32.

GIORGI, Alessandro de. A miséria governada pelo sistema penal. 2006.

HOMENAGEM AO MALANDRO. Intérprete: Francisco Buarque de Holanda. Compositor: Francisco Buarque de Holanda. In: CHICO 50 ANOS- O MALANDRO. Francisco Buarque de Holanda. 1994.

OLIVEIRA, Solange Ribeiro de. De mendigos e malandros: Chico Buarque, Bertolt Brecht, John Gay- uma leitura transcultural.

MEDRADO, Nayara Rodrigues. Da assistência à repressão: relações entre origem do cárcere e a crítica marxiana à politicidade. In: Anais do Colóquio Marx e o Marxismo 2017: De O capital à Revolução de Outubro (1867 – 1917). 2017.

SANTOS, Juarez Cirino dos. Criminologia: contribuição para crítica da economia da punição. São Paulo: Tirant lo blanch, 2021.

SOUSA, Rainer Gonçalves. Bezerra da Silva e a “dialética da marginalidade”. Interdisciplinares, p. 69, 2020.

Downloads

Publicado

30.12.2023

Como Citar

FÉLIX DE CARVALHO E SOUZA, Bruna Maria. A marginalização cultural: a criação da figura do malandro como estratégia de criminalização da classe trabalhadora. Revista Latino-Americana de Criminologia, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 168–187, 2023. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/relac/article/view/50842. Acesso em: 25 abr. 2024.