Sobre as Emoções: António Damásio e a Crítica à Teoria James-Lange

Autores

  • Gabriel Gonzalez Rungue FAJE

Palavras-chave:

Emoções; William James; A. Damásio.

Resumo

O objetivo deste artigo é apontar alguns possíveis descuidos de A. Damásio na crítica que dirige à teoria das emoções de William James. Sua crítica consiste em afirmar que a formulação jamesiana restringe as emoções ao nível das alterações somáticas. Para ele, James não dá a devida atenção ao processo de avaliação mental que provoca a emoção. Sendo assim, seu quadro teórico explica satisfatoriamente as emoções derivadas de representações dispositivas congênitas, mas é insuficiente quando se trata de representações dispositivas adquiridas. Neste artigo, defendo a tese de que a teoria das emoções de James dá conta da ocorrência de estados emocionais disparados por representações aprendidas. Com o intuito de defender essa tese, apresentarei a teoria das emoções de James em seus aspectos orgânico, cognitivo e social. Mostrarei que a crítica de António Damásio reduz a teoria jamesiana à abordagem que ele apresenta das emoções padrão, não levando em consideração o amplo desenvolvimento de sua teoria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBALET, Jack. “William James’ theory of emotions: filling in the picture”. Journal for the Theory of Social Behaviour. 29 (3) 251-266 (1999).

CARRETE, Jeremy. “William James”. The oxford handbook of religion and emotion. Edited by John Corrigan. Oxford University Press, 2008, p. 419-438.

DE ÁVILA, Santa Teresa. Livro da vida. Tradução e notas de Marcelo Musa Cavallari; prefácio de Frei Betto; introdução de J.M. Cohen. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2010.

DAMÁSIO, Antônio R. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. Tradução Dora Vicente, Georgina Segurado. 3 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

JAMES, William. As variedades da experiência religiosa: um estudo sobre a natureza humana. Tradução Octavio Mendes Cajado. - 2. ed. - São Paulo: Cultrix, 2017.

JAMES, William. “O que é uma emoção?” Clínica & Cultura. v. II, n. I, jan-jun 2013, 95-113.

JAMES, William. The varieties of religious experience: a study in human nature. New York, Penguin Classics, 1985.

JAMES, William. The principles of psychology. V. I-II, Dover Publications, inc, 1950.

JAMES, William. “The physical basis of emotion”. Psychological Review. 1994, Vol. 101. No. 2, 205-210.

JAMES, William. “What is an emotion?” Mind, Vol. 9. No. 34 (Apr., 1884), pp. 188-205.

NIEBUHR, Richard R. William James acerca da experiência religiosa. In: William James. Ruth Anna Putnam (org.); tradução André Oides. Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2010, p. 269-296.

SOLOMON, Robert C. Fiéis às nossas emoções - O que elas realmente nos dizem. Tradução de Miriam Raja Gabaglia de Pontes Medeiros. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

Publicado

2020-08-26

Como Citar

Gonzalez Rungue, G. (2020). Sobre as Emoções: António Damásio e a Crítica à Teoria James-Lange. Revista Brasileira De Filosofia Da Religião, 6(2), 156 - 175. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/rbfr/article/view/29476