Para não ser trapo no mundo:

as mulheres negras e a cidade na literatura brasileira contemporânea

Autores

  • Regina Dalcastagnè Universidade de Brasília (UnB)

DOI:

https://doi.org/10.1590/2316-40184413

Resumo

Este trabalho busca analisar, nas obras de Carolina Maria de Jesus e Conceição Evaristo, as possibilidades estéticas e políticas da autorrepresentação da experiência feminina negra nas metrópoles brasileiras. A cidade, nesses livros, não é apenas paisagem ou retrato, mas elemento de subjetivação e espaço de empoderamento, que se efetivam a partir da própria escrita. Fugindo da perspectiva dominante ”“ branca, masculina, elitizada ”“ de nosso cânone literário, Jesus e Evaristo não apenas resgatam “histórias não contadas”, como também produzem novos modos de pensar e dizer a relação entre cidade, gênero, raça e classe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOURDIEU, Pierre (1993). Effets de lieu. In: BOURDIEU, Pierre (Org.). La misère du monde. Paris: Seuil.

BOURDIEU, Pierre (1998). La domination masculine. Paris: Seuil.

CHAUI, Marilena (1989). Conformismo e resistência: aspectos da cultura popular no Brasil. 3. ed. São Paulo: Brasiliense.

CRENSHAW, Kimberle W. (2004). A intersecionalidade na discriminação de raça e gênero. In: VV.AA. Cruzamento: raça e gênero. Brasília: Unifem.

DALCASTAGNÈ, Regina (2010). Representações restritas: a mulher no romance brasileiro contemporâneo. In: DALCASTAGNÈ, Regina; LEAL, Virgínia Maria Vasconcelos. Deslocamentos de gênero na narrativa brasileira contemporânea. Vinhedo: Horizonte.

DALCASTAGNÈ, Regina (2011). A personagem negra na literatura brasileira contemporânea. In: DUARTE, Eduardo de Assis; FONSECA, Maria Nazareth (Org.). Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica, v. 4 (História, teoria, polêmica). Belo Horizonte: Editora UFMG.

DALCASTAGNÈ, Regina (2012). Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Rio de Janeiro: UERJ; Vinhedo: Horizonte.

DAMATTA, Roberto (1997). A casa e a rua: espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. 5. ed. Rio de Janeiro: Rocco.

EVARISTO, Conceição (2003). Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza.

EVARISTO, Conceição (2006). Becos da memória. Belo Horizonte: Mazza.

EVARISTO, Conceição (2011). Depoimento. In: DUARTE, Eduardo de Assis; FONSECA, Maria Nazareth Soares (Orgs.). Literatura e afrodescendência no Brasil. v. 4. Belo Horizonte: Editora da UFMG.

GOMBRICH, E. H. (1995). Arte e ilusão: um estudo da psicologia da representação pictórica. Tradução de Raul de Sá Barbosa. São Paulo: Martins Fontes.

GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e (2000). Movimento negro e educação. Revista Brasileira de Educação, n. 15, p. 134-158.

HALL, Stuart (2003). Da diáspora: identidades e mediações culturais. Organização de Liv Sovik. Tradução de Adelaine La Guardia Resende et al. Belo Horizonte: Editora da UFMG; Brasília: UNESCO.

JESUS, Carolina Maria de (1986[1982]). Diário de Bitita. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

JESUS, Carolina Maria de (1983[1960]). Quarto de despejo. 10. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

LINS, Paulo (1997). Cidade de Deus. São Paulo: Companhia das Letras.

LISPECTOR, Clarice (1988 [1964]). A paixão segundo G. H. Edição crítica. Paris: Archives; Brasília: CNPq.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom (1998). Carolina Maria de Jesus: emblema do silêncio. Revista USP, n. 37, mar./mai., p. 82-91.

NASCIMENTO, Gizêlda Melo do (2006). Feitio de viver: memórias de descendentes de escravos. Londrina: EdUEL.

SILVA, Andressa Marques da (2013). Por uma promessa de vida mais viva: relações afetivas de mulheres negras no rap e no romance brasileiro contemporâneo. Dissertação (Mestrado em Literatura) ”“ Universidade de Brasília, Brasília.

TRUTH, Soujourner (1997 [1851]). Ain”Ÿt I a woman? In: HALSALL, Paul (ed.). Internet Modern History Sourcebook. New York: Fordham University. Disponível em: <http://www.fordham.edu/halsall/mod/sojtruth-woman.asp>. Acesso em: 2 mar. 2012.

VENTURA, Roberto (2001). Casa-grande e senzala: ensaio ou autobiografia? In: SEMINÁRIO DE TROPICOLOGIA ”“ O BRASIL E O SÉCULO XXI: DESAFIOS E PERSPECTIVAS, 35. Recife, 27 mar. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2011.

YOUNG, Iris Marion (1990). Justice and the politics of difference. Princeton: Princeton University Press.

YOUNG, Iris Marion (2000). Inclusion and democracy. Oxford: Oxford University Press.

Downloads

Publicado

2014-12-08

Como Citar

Dalcastagnè, R. (2014). Para não ser trapo no mundo:: as mulheres negras e a cidade na literatura brasileira contemporânea. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, (44), 289–302. https://doi.org/10.1590/2316-40184413

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>