BRASILEIROS E BRASILEIRAS NA SUÍÇA: SONHOS, FRUSTRAÇÕES E REALIZAÇÕES

Main Article Content

Liliana Baeckert
Victoria Cunha
Eduardo Cruz
Roberto Falcão

Resumo

Com uma das taxas de migração mais altas do continente europeu, ultrapassando inclusive outras nações do Ocidente, como Áustria, Reino Unido e Países Baixos, a Suíça vem despontando como um cenário de especial interesse para estudos migratórios desde a segunda metade da década de 1990. O presente artigo visa, portanto, mapear o perfil sociodemográfico dos migrantes brasileiros na Suíça, evidenciando suas motivações para migrar e dificuldades de permanência no país de acolhimento. Para tanto, faz-se um levantamento de dados primários com 617 respondentes, por meio de um questionário veiculado em grupos de Facebook, Linkedin e Whatsapp. Os principais achados incluem a predominância feminina do conjunto amostral, com faixa etária média acima de 31 anos e alta escolaridade, sendo o matrimônio a principal estratégia de migração desse público. No que concerne à população masculina, a estratégia mais adotada foi a obtenção de visto de trabalho ainda em solo brasileiro. Ambos os sexos encontram dificuldades relativas ao idioma e à cultura, sendo que a intenção da maioria é permanecer no país por tempo indeterminado. Ressaltam-se como contribuições o avanço da teoria acerca do processo de feminização no fenômeno migratório e das barreiras envolvendo a eleição por esse destino europeu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Baeckert, L., Cunha, V., Cruz, E., & Falcão, R. (2023). BRASILEIROS E BRASILEIRAS NA SUÍÇA: SONHOS, FRUSTRAÇÕES E REALIZAÇÕES. Revista Espaço E Geografia, 26. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/espacoegeografia/article/view/47269
Seção
Artigos