Algumas considerações sobre a sintaxe das interrogativas indiretas encobertas do português do Brasil

Autores

  • Paulo Medeiros Junior Universidade de Brasília

Palavras-chave:

interrogativa indireta encoberta, operador-wh nulo, cartografia

Resumo

Interrogativas indiretas encobertas em português brasileiro (PB) são frases interrogativas encaixadas que não apresentam (pelo menos aparentemente) a estrutura de uma construção interrogativa canônica com o fronteamento do sintagma-wh (ALVARENGA, 1981a, 1981b). Em geral, considera-se que sentenças desse tipo sejam constituídas de um DP/NP seguido de uma frase relativa. Neste trabalho, entretanto, proponho que tais construções (apesar das aparências) apresentam estrutura semelhante à de qualquer interrogativa canônica, com o deslocamento de sintagma interrogativo. A proposta que aqui se constrói é que o DP/NP que inicia as sentenças encaixadas desse tipo é, na verdade, um sintagma-wh encabeçado por um operador-wh nulo e ocupa a posição de Spec, Qemb (RIZZI; BOCCI, 2017); com isso, atinge-se uma análise unificada para as interrogativas encaixadas do PB. Fica em aberto, entretanto, a questão de que essa hipótese não consegue explicar por que efeitos de ilha de extração são observados nesse tipo de dado, o que pode sugerir que há de fato uma relativa na oração encaixada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALVARENGA, D. Sobre Interrogativa Indireta no Português. Dissertação (Mestrado) ”“ Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1981a.

ALVARENGA, D. Interrogativa indireta encoberta em português. Cadernos de Linguística e Teoria Literária, [s.l.], n. 5, p. 119-147, jun. 1981b.

AMARAL, L de C.; LUNGUINHO, M. V. S. Eu quero saber a estrutura dessa sentença: um estudo das propriedades sintáticas e semânticas de interrogativas indiretas não-canônicas do português do Brasil. Trabalho de conclusão de curso (Graduação) ”“ Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

AMARAL, L de C.; MEDEIROS JUNIOR, P. Um estudo das propriedades sintáticas e semânticas das construções interrogativas do português do Brasil. Relatório final de PIBIC apresentado ao PROIC -UnB, 2017.

BARKER, C. L. Indirect questions in English. Tese (Doutorado) ”“ University of Illinois, Urbana, 1968.

BIANCHI, V.; CRUSCHINA, S. The derivation and interpretation of polar questions with a fronted focus. Lingua, v. 170, p. 47-68, 2016.

CHENG, L. On the tipology of wh questions. Tese (Doutorado) ”“ Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, 1991.

CHOMSKY, N. On Wh Movement. In: CULICOVER, P. W.; WASOW, T.; AKMAJIAN, A. (ed.). Formal Syntax. New York: Academic Press, 1977. p. 71-132.

CINQUE, G. Adverbs and Functional Heads: A Cross-Linguistic Perspective. New York: Oxford University Press, 1999.

GRIMSHAW, J. Complement selection and the lexicon. Linguistic Inquiry, v. 10, p. 279-326, 1979.

GUESSER, S. Sentenças Foco+que do PB na interface sintaxe-pragmática. Revista Virtual de Estudos da Linguagem, v. 13, p. 78-106, 2015.

KAYNE, R. S. The Antisymmetry of Syntax. Cambridge: MIT Press, 1994.

LOPES-ROSSI, M. A. A sintaxe diacrônica das interrogativas-q do português. Tese (Doutorado) ”“ Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

MACAMBIRA, J. R. Português Estrutural. São Paulo: Pioneira, 1998.

MATOS, G.; BRITO, A. M. The alternation between improper direct questions and DPs containing a restrictive relative. In: CAMACHO-TABOADA, V.; JIMÉNEZ-FERNÁNDEZ, Á. L.; MATÃN-GONZALES, J.; REYES-TEJEDOR, M. (ed.). Information structure and agreement. Amsterdam: John Benjamins, 2013.

MIOTO, C. Sobre o sistema CP no português Brasileiro. Revista Letras, Curitiba, n. 56, p. 97-139, jul./dez. 2001.

MIOTO, C. Focalização e quantificação. Revista Letras, Curitiba, n. 61, p. 169-189, 2003.

NATHAN, L. E. On the interpretation of concealed questions. Tese (Doutorado) ”“ Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, 1999.

POLLOCK, J-Y. Verb Movement, Universal Grammar, and the Structure of IP. Linguistic Inquiry, v. 20, p. 365-424, 1989.

RIZZI, L.; BOCCI, G. The left periphery of the clause ”“ primarily illustrated for Italian. In: EVERAERT, M.; VAN RIEMSDIJK, H. C (ed.). Blackwell Companion to Syntax, II edition. Wiley-Blackwell, New Jersey, 2017.

RIZZI, L. Locality and Left Periphery. In: BELLETTI, A. (ed.). Structures and Beyond. New York: Oxford University Press, 2004. p. 223-251.

RIZZI, L. On the position of “int(errogative)” in the left periphery of the clause. In: CINQUE, G.; SALVI, G. (ed.). Current studies in Italian syntax: Essays offered to Lorenzo Renzi. Oxford: Elsevier North-Holland, 2001. p. 267-296.

RIZZI, L. The Fine Structure of the left periphery. In: HAEGEMAN, L. (ed.). Elements of grammar: a handbook of Generative Syntax. Dordrecht: Kluwer, 1997. p. 281-337.

SMITH, C. S. Determiners and relative clauses in a Generative Grammar. Language. v. 40, n. 1, p. 37-52, jan./mar. 1964.

WATANABE, A. Wh in situ, Subjacency and Chain Formation. MIT Occasional papers in Linguistics 2, 1991.

Downloads

Publicado

31.08.2020