FARÍAS, Ignacio & BENDER, Thomas (orgs.). 2010. Urban assemblages: how actor-network theory changes urban studies. Londres: Routledge. 333 pp.

Autores

  • Rodrigo Carlos da Rocha

Palavras-chave:

Teoria Ator-Rede, ciências humanas, ontologia

Resumo

Elaborada na França e na Inglaterra, na década de 1980, tendo como figuras centrais o sociólogo, filósofo e antropólogo Bruno Latour, o engenheiro e sociólogo Michel Callon e o sociólogo John Law, a Actor-Network Theory (ANT), ou Teoria Ator-Rede, como normalmente é traduzida no Brasil, é hoje uma das mais preeminentes vertentes dos Science and Technology Studies (STS) e uma das perspectivas mais inovadoras e “descentradoras” (para o bem ou para o mal) no horizonte das ciências humanas. Entre outras coisas, é comumente “creditada” pela proposição de uma nova ontologia para o mundo, pela atribuição de cidadania aos não humanos na seara de reflexão das ciências humanas e por um “espraiamento” de agência (agency) para além dos limites do humano. Embora inicialmente forjada para dar conta de situações mais ou menos delimitadas, como desenvolvimentos científico-laboratoriais, aos poucos a ANT foi sendo ampliada para contextos mais amplos, para novas temáticas e outros campos disciplinares, como arte, comunicação, sociologia, antropologia e administração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DELANDA, Manuel. 2006. A new philosophy of society: assemblage theory and social complexity. Londres: Continuum.
HARAWAY, Donna. 2009. “Manifesto Ciborgue: ciênca, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX”. In: D. Haraway; H. Kunzru & T. Tadeu (orgs.). Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica.
LATOUR, Bruno. 1994. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Ed. 34.

Downloads

Publicado

2018-02-19

Como Citar

Rocha, Rodrigo Carlos da. 2018. “FARÍAS, Ignacio & BENDER, Thomas (orgs.). 2010. Urban Assemblages: How Actor-Network Theory Changes Urban Studies. Londres: Routledge. 333 Pp”. Anuário Antropológico 38 (2):261-66. https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6868.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.