Da periferia ao centro, cá e lá

seguindo trajetos, construindo circuitos

Autores

  • José Guilherme Cantor Magnani

Palavras-chave:

Antropologia Urbana, categorias de análise, manchas, circuitos & trajetos, surdos, Sateré-Mawé

Resumo

Tendo como pano de fundo os inícios da Antropologia Urbana no Brasil, com ênfase em duas instituições, a Escola Livre de Sociologia e Politica e o Departamento de Ciências Sociais da USP, o artigo apresenta as categorias de análise desenvolvidas pelo Núcleo de Antropologia Urbana, em sua proposta “de perto e de dentro” como estratégia para lidar com a diversidade da dinâmica urbana das grandes metrópoles sem cair na “tentação da aldeia”, isto é, a multiplicação de estudos de caso. A utilização dessas categorias a dois recortes etnográficos ”“ o “mundo” dos surdos na cidade de São Paulo e o circuito dos Sateré-Mawé, na região de Manaus e cidades do baixo Amazonas ”“ como tentativa de testar sua aplicabilidade em novos contextos, levanta a questão da dicotomia “antropologia da ou na cidade”, cuja proposta de superação é discutida no final do artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUGÉ, Marc. 1994. Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas: Papirus.
BASTIDE, Roger. 1973 [1946]. Macumba paulista. Col. Estudos Afro-Brasileiros. São Paulo: Perspectiva.
BECKER, Howard. 1982. Art Worlds. California: University of California.
CANDIDO, Antonio. 1964. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e as transformações dos seus meios de vida. Rio de Janeiro: José Olympio.
DURHAM, Eunice. 2004. A dinâmica da cultura. São Paulo: Cosac Naify.
FAVRET-SAADA, Jeanne. 2005 [1990]. “Être affecté”. Gradhiva, 8: 03-10.
HABERMAS, Jürgen. 1992. “Arquitetura moderna e pós-moderna”. In: Otília Arantes & Paulo E. Arantes. Um ponto cego no projeto moderno de Jürgen Habermas. São Paulo: Brasiliense.
GEERTZ, Clifford. 1978. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar.
HANNERZ, Ulf. 1996. Exploración de la ciudad. México: Fondo de Cultura Económica.
INGOLD, Tim. 2000a. The Perception of the Environment. Essays on Livelihood, Dwelling and Skill. London/ New York: Routledge.
____. 2000b. Lines; a Brief History. London/ New York: Routledge.
KANTOR, Íris; MACIEL, Débora & SIMÕES, Júlio A. (orgs.). 2001. A Escola Livre de Sociologia e Política: anos de formação, 1933-1953. São Paulo: Escuta.
LEFEBVRE, Henri. 1969. O direito à cidade. São Paulo: Documentos.
LÉVI-STRAUSS, Claude. 1981 [1955]. Tristes Trópicos. Lisboa: Edições 70 [São Paulo: Martins Fontes].
MAGNANI, José Guilherme C. 1998 [1984]. Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. São Paulo: Brasiliense [3. ed. Hucitec].
____. 2007. “Vai ter música?: para uma antropologia das festas juninas de surdos na cidade de São Paulo”. Ponto Urbe, Revista Digital do Núcleo de Antropologia Urbana da Universidade de São Paulo, 1(1). Disponível em: <http://www.n-a-u.org/pontourbe/>.
MAGNANI, José Guilherme C.; ASSIS SILVA, César & TEIXEIRA, Jacqueline. 2008. “As festas juninas no calendário de lazer de jovens surdos na cidade de São Paulo”. In: Célia T. Lucena & Maria Christina de S. Campos. Questões ambientais e sociabilidades. São Paulo: Humanitas/ Fapesp.
MAGNANI, José Guilherme C. 2012. Da periferia ao centro: trajetórias de pesquisa em Antropologia Urbana. Coleção Antropologia Hoje. São Paulo: Ed. Terceiro Nome.
____. “Índios em contextos urbanos: o caso de Manaus e outras cidades da Amazônia”. In: Carlos Fortuna & Rogério Leite Proença. Diálogos Urbanos: Territorialidades, Culturas, Patrimónios. Coimbra: Ed. Almedina.
PIERSON, David. 1951. Cruz das Almas, a Brazilian Village. Washington: Smithsonian Institute.
TEIXEIRA, Pery; MAINBOURG, Evelyne & BRASIL, Marilia. 2009. “Migração do povo indígena Sateré-Mawé em dois contextos urbanos distintos na Amazônia”. Caderno CRH, 22(57): 1-16.
WAGLEY, Charles. 1988. Uma comunidade amazônica: estudo do homem nos trópicos. Belo Horizonte: Edusp/ Ed.Itatiaia.
WILLEMS, Emilio. 1947. Cunha: tradição e transição em uma cultura rural do Brasil. São Paulo: Secretaria da Agricultura.

Downloads

Publicado

2018-02-19

Como Citar

Magnani, José Guilherme Cantor. 2018. “Da Periferia Ao Centro, Cá E lá: Seguindo Trajetos, Construindo Circuitos”. Anuário Antropológico 38 (2):53-72. https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6857.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.