RIBEIRO, Gustavo Lins & ESCOBAR, Artur (orgs.). 2012. Antropologias Mundiais: transformações da disciplina em sistemas de poder. Brasília: Editora UnB. 472 pp.

Autores

  • Stephen G Baines

Palavras-chave:

Antropologias Mundiais, sistemas de poder

Resumo

O objetivo desta coletânea é explorar a diversidade de antropologias praticadas em diversos países do mundo no início do século XXI, visando contribuir para a criação de uma comunidade transnacional de antropologia dentro de um projeto chamado “Antropologias Mundiais”. O volume parte da premissa de que a globalização permitiu que “os objetos de estudo” da antropologia, os povos nativos do planeta, passassem à posição de sujeitos. O livro e projeto que o inspirou objetivam transcender dicotomias como ocidental e não ocidental, centro e periferia, hegemônico e não hegemônico etc., para considerar os espaços comuns onde as antropologias têm se encontrado e podem se encontrar no futuro. As críticas levantadas pelos organizadores do livro das trocas desiguais entre as antropologias visam ir além das estruturas de poder, vendo a assimetria nos termos da tensão entre o que chamam de “provincianismo metropolitano” e “cosmopolitanismo provinciano” (:32).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

RIBEIRO, Gustavo Lins & ESCOBAR, Artur (orgs.). 2012. Antropologias Mundiais: transformações da disciplina em sistemas de poder. Brasília: Editora UnB. 472 pp.

Downloads

Publicado

2018-02-16

Como Citar

Baines, Stephen G. 2018. “RIBEIRO, Gustavo Lins & ESCOBAR, Artur (orgs.). 2012. Antropologias Mundiais: Transformações Da Disciplina Em Sistemas De Poder. Brasília: Editora UnB. 472 Pp”. Anuário Antropológico 39 (1):259-62. https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6851.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.