JIMENO, Myriam; MURILLO, Sandra Liliana & MARTÍNEZ, Marco Julián (eds.). 2012 Etnografías contemporáneas: Trabajo de campo. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia. Facultad de Ciencias Humanas. Centro de Estudios Sociales (CES). 316 pp. (Colección Semil

Autores

  • Marcos Santana de Souza

Palavras-chave:

etnografia, ciências sociais, fase moderna da antropologia

Resumo

A etnografia ganhou importância a partir dos trabalhos de Bronislaw Malinowski e de seus discípulos, que impulsionaram o desenvolvimento do método durante a chamada fase moderna da antropologia. Desde então, a etnografia, que inicialmente se referia à “descrição dos significados de um determinado grupo”, superou os limites dessa definição e do próprio pensamento antropológico e passou a ser utilizada com maior frequência no âmbito das ciências humanas e sociais, ainda que continue sendo vista mais comumente entre antropólogos(as) como instrumento privilegiado para “fotografar” a realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. 2006. O trabalho do antropólogo. Brasília: Paralelo 15; São Paulo: Editora Unesp.
ZALUAR, Alba. 1986. “Teoria e prática do trabalho de campo: alguns problemas”. In: Ruth C. L. Cardoso (org.) A aventura antropológica: teoria e pesquisa. Rio de Janeiro: Paz e Terra. pp. 107-126.

Downloads

Publicado

2018-02-16

Como Citar

Souza, M. S. de. (2018). JIMENO, Myriam; MURILLO, Sandra Liliana & MARTÍNEZ, Marco Julián (eds.). 2012 Etnografías contemporáneas: Trabajo de campo. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia. Facultad de Ciencias Humanas. Centro de Estudios Sociales (CES). 316 pp. (Colección Semil. Anuário Antropológico, 39(2), 331–337. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6835