Antropologia e moralidade sob o signo da crítica

Autores

  • Luiz Eduardo Soares

Palavras-chave:

Antropologia

Resumo

Em uma exposição breve, como esta deve ser, não poderia ir além de um mapeamento sumário de algumas questões que considero relevantes. O quadro de fundo é o conflito (e as tentativas de superação ou conciliação) entre as perspectivas aqui genericamente classificadas como iluministas e románticas. Este me parece ser o cenário cultural em que se movem as ciências sociais, em seu conjunto, mas ele talvez se revele com maior nitidez na antropologia, na medida em que a trajetória mesma desta disciplina tem sido, a despeito de seu nome universalista, a história do encontro com a diversidade e dos conseqüentes desafios que as singularidades, assinaladas pela diferença, representam para o poder cientifico de redução à unidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, T. e HORKHEIMER, M. 1985. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.
APEL, K-O. 1980. Towards a Transformation of Philosophy. Londres e Boston: Routledge & Kegan Paul.
ARENDT, H. 1981. A Condição Humana. SSo Paulo: EDUSP/Forense Universitária.
BERLIN, I. 1981. “Vico e Herder” . In Quatro Ensaios Sobre a Liberdade. Brasília: Editora Universidade de Brasília.
DE MAN, P. 1989. The Resistance to Theory. Minneapolis: University of Minnesota Press.
FINK, E. 1986. Le Jeu Comme Symbole du Monde. Paris: Éditions de Minuit.
GADAMER, H-G. 1984. Truth and Method. Nova lorque: Crossroad.
--------------------- 1986. The Relevance of the Beautiful. Cambridge: Cambridge University Press.
HABERMAS, J. 19641. The Theory of Communicative Action, vol. L Boston: Beacon Press.
-------------------- - 1989. Consciência Moral e Agir Comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.
HOBBES, T. 1964. Leviathan. Nova lorque: Washington Square Press.
HUIZINGA, J. 1980. Homo Ludens. São Paulo: Perspectiva.
KANT, 1. 1980. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. In Kant, vol. II. São Paulo: Abril.
LÉVI-STRAUSS, C. 1962a. La Pensée Sauvage. Paris: Plon.
_____________ 1962b. Le Totémisme Aujourd’hui. Paris: PUF.
MEAD, G. H. 1972. Espíritu, Persona y Sociedad. Buenos Aires: Editorial Paidos.
RAWLS, J. 1973. A Theory of Justice. Cambridge: The Belknap Press of Harvard University Press.
ROUSSEAU, J. J. 1973. "Discurso sobre a origem da desigualdade entre os homens e O contrato social” . In Rousseau. São Paulo: Abril.
SOARES, L. E. 1988. “Hermenêutica e ciências humanas” . In Revista de Estudos Históricos 1. Rio de Janeiro/São Paulo: CPDOC-FGVA/értice.
13. O ensaio explorando a contramão deste artigo está redigido e será brevemente publicado sob o título “ Diáspora e reconciliação” .
_____________ 1990. “ Luz baixa sob neblina: relativismo, interpretação, antropologia". Dados, 33(1). Rio de Janeiro/São Paulo: lUPERJA/értice.
SPERBER, D. 1982. Le Savoir des Anthropologues. Paris: Hermann.
TURNER, V. 1967. The Forest of Symbols. Ithaca: Cornell University Press.
_____________ 1974a. Dramas, Fields, and Metaphors. Ithaca: Cornell University Press.
_____________ 1974b. O Processo Ritual. Petrópolis: Vozes.
VAN GENNEP, A. 1969. Les Rites de Passage. Paris: Mouton.

Downloads

Publicado

2018-01-26

Como Citar

Soares, Luiz Eduardo. 2018. “Antropologia E Moralidade Sob O Signo Da crítica”. Anuário Antropológico 13 (1):127-53. https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6414.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.