Antropologia na fronteira & fronteiras da Antropologia

experiências de ensino, pesquisa e extensão universitária em uma região transfronteiriça

Autores

  • Flávia Melo
  • Rodrigo Oliveira Braga Reis

DOI:

https://doi.org/10.4000/aa.7671

Palavras-chave:

Expansão universitária, Ensino de Antropologia, Fronteira, Autorreflexividade, Universidade Federal do Amazonas

Resumo

Recorrendo ao exercício autorreflexivo, analisamos a implantação do curso de graduação em Antropologia no campus da Universidade Federal do Amazonas na cidade de Benjamin Constant e sua associação ao recente processo de expansão universitária no Brasil. A situação analisada se desenvolve na região de tríplice fronteira amazônica entre Brasil, Colômbia e Peru e traz à luz questões sobre a polissemia da fronteira; o contexto político que propiciou a criação do curso; algumas representações da Amazônia e da Antropologia; e os efeitos desse processo para o fazer antropológico. Refletimos como nossas experiências de ensino, pesquisa e extensão na fronteira foram positivamente afetadas pelos modos de experimentação da antropologia vivenciados pelas estudantes mulheres e indígenas com quem partilhamos esse percurso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-01-06

Como Citar

Melo, Flávia, e Rodrigo Oliveira Braga Reis. 2021. “Antropologia Na Fronteira & Fronteiras Da Antropologia: Experiências De Ensino, Pesquisa E extensão universitária Em Uma região transfronteiriça”. Anuário Antropológico 46 (1):100-118. https://doi.org/10.4000/aa.7671.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.