Agenciamentos sociais e ações do Estado

Parada do Orgulho Louco no Brasil

DOI:

https://doi.org/10.4000/aa.5851

Palavras-chave:

Loucura, Agenciamentos Sociais, Parada Gaúcha do Orgulho Louco

Resumo

Iniciativas socioculturais foram criadas durante o processo de reforma psiquiátrica no Brasil visando promover uma interlocução entre a sociedade e os sujeitos acometidos por algum tipo de experiência de sofrimento psíquico e de ambos com a loucura. Uma dessas iniciativas ocorre anualmente na cidade de Alegrete-RS e se intitula Parada Gaúcha do Orgulho Louco. A primeira edição do evento ocorreu em 2011 e nesse mesmo ano se tornou lei municipal. Já em 2015, tornou-se Lei Estadual, passando a compor o calendário oficial de eventos do Rio Grande do Sul. O objetivo deste trabalho é discutir os agenciamentos sociais e suas articulações com as ações do Estado bem como suas repercussões nas possibilidades de consolidação das transformações culturais em relação à loucura. Para tanto, apresenta-se a análise de dados advindos de materiais veiculados na internet de observação participante, entrevistas com interlocutoras chave e conversas informais feitas em duas edições do evento. As análises demonstram que a Parada Gaúcha do Orgulho Louco anuncia um conjunto de transformações colocadas em curso pela política pública de saúde mental e evidencia possibilidades de transformação das relações da sociedade e dos sujeitos acometidos por algum tipo de experiência de sofrimento psíquico com relação à loucura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-08-28

Como Citar

“Agenciamentos Sociais E ações Do Estado: Parada Do Orgulho Louco No Brasil”. 2020. Anuário Antropológico 45 (2):126-43. https://doi.org/10.4000/aa.5851.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.