Justiça, Identidade e Juventude indígena urbana

um estudo sobre os processos organizativos na Cidade do México

DOI:

https://doi.org/10.4000/aa.4011

Palavras-chave:

indígenas urbanos, jovens indígenas, cidade do México, identidade étnica, justiça indígena

Resumo

Especialmente a partir dos anos 1990, grupos indígenas da Cidade do México criaram organizações como um meio importante para ter acesso às políticas públicas e às novas legislações em matéria indígena. A constituição dessas organizações, no entanto, confrontou-se com uma série de problemas, em grande parte resultantes da dificuldade do reconhecimento da identidade étnica desses grupos, devido à forma como a presença indígena na cidade e suas necessidades principais são consideradas. Esse reconhecimento é ainda mais questionado quando se trata dos jovens indígenas que estão na cidade. Um novo momento surge com a elaboração da nova Constituição da Cidade do México em 2018, que contempla vários direitos para as comunidades indígenas residentes, especialmente, o direito à autonomia jurídica e política. É sob a perspectiva da participação dos jovens nas organizações indígenas, especialmente com relação aos conflitos com a justiça do Estado, que apresento a reflexão sobre “ser indígena” no contexto urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-08-19

Como Citar

“Justiça, Identidade E Juventude indígena Urbana: Um Estudo Sobre Os Processos Organizativos Na Cidade Do México”. 2020. Anuário Antropológico 44 (2):129-58. https://doi.org/10.4000/aa.4011.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.