Ponto riscado na tela o “Canto do Caboclo” em pixels e megabytes

Main Article Content

Resumo

O trabalho investiga o contexto que levou a Acadêmicos do Grande Rio, escola de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, a participar do evento Carnaval Virtual – Edição Especial, em fevereiro de 2021. Primeiramente, em cotejo com notícias que mobilizaram o “mundo do samba”, serão descritas atividades realizadas pelas agremiações sambistas no decorrer de 2020, quando o
avanço da pandemia de covid-19 tornava impossível qualquer previsão sobre os festejos carnavalescos de 2021. Depois, as lentes enfocarão o universo do carnaval virtual, com base nas teorizações de autores como Pierre Lévy. Num terceiro momento, será analisada a participação da Grande Rio nos desfiles da liga Carnaval Virtual: a “reapresentação” do enredo Tata Londirá: o Canto do Caboclo no Quilombo de Caxias em um contexto festivo muito diferente daquele observado na Marquês de Sapucaí é um experimento de cujas janelas brotam questões sobre hibridismo, virtualização e cibercultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Bora, L. A., & Haddad, G. (2022). Ponto riscado na tela: o “Canto do Caboclo” em pixels e megabytes. Arquivos Do CMD, 8(2), 176–202. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/CMD/article/view/41924
Seção
Artigos Livres
Biografia do Autor

Leonardo Augusto Bora, UFRJ

Doutor em Teoria Literária, atualmente é pesquisador visitante do Programa de Pós-Doutorado em Estudos Culturais do Programa Avançado de Cultura Contemporânea (PACC) da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desenvolve pesquisas sobre narrativas de desfiles de escolas de samba e conceitos desdobráveis de utopia (eutopia, distopia, heterotopia), diáspora e antropofagia cultural. É membro da Society for Utopian Studies desde 2014. Participa dos grupos de pesquisa Laboratório da Arte Carnavalesca (LAC – UERJ), Núcleo Interdisciplinar de Estudos Carnavalescos (NIEC – UFRJ) e Observatório de Carnaval (LABEDIS – Museu Nacional/UFRJ). Desenhista e escritor, elabora narrativas, ilustrações e projetos visuais para publicações variadas e agremiações carnavalescas.

Gabriel Haddad, UERJ

Gabriel Haddad é mestre em Artes pelo Programa de Pós--graduação em Artes (PPGArtes) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Durante o mestrado estudou as relações entre cultura popular, arte contemporânea e carnaval através do processo criativo do desfile de 2019 da Acadêmicos do Cubango. No Observatório de Carnaval (OBCAR/UFRJ) está credenciado nas linhas de a) artes da cena, artes visuais, arte da narrativa e história da arte e b) texto, imagem, discurso e arte da narrativa. Desde o carnaval de 2020, assina como carnavalesco, em parceria com Leonardo Bora, o projeto artístico
do GRES Acadêmicos do Grande Rio. Além disso, trabalhou como assistente para diversos carnavalescos em escolas do Rio de Janeiro e São Paulo. Duas vezes ganhador do Estandarte de Ouro de Melhor Escola da Série A (Cubango 2018 e 2019) e uma vez ganhador do Estandarte de Ouro de Melhor Escola do Grupo Especial (Grande Rio 2020).

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)