A relação entre razão e história na modernidade uma leitura dos processos de racionalização a partir de Simmel, Weber e Elias

Main Article Content

Bruno Gontyjo do Couto

Resumo

Em meio a diferentes usos possíveis, o termo “modernidade” já foi empregado no sentido de designar a “mentalidade de uma época” que, dentre outras coisas, teria como uma de suas principais marcas a crença no conhecimento como forma de domínio da natureza e do fluxo histórico e, assim sendo, uma ferramenta de emancipação do homem. Trata-se de uma conjuntura na qual se pregava o triunfo da razão sobre o devir, uma forma de compreensão social crente na proeminência da razão sobre o mundo, sugerindo um nexo específico entre razão e história que aqui será problematizado. Posto isso, este ensaio pretende realizar um itinerário bibliográfico voltado para a apreensão dos saberes sociológicos que estiveram envolvidos com esse tema. Mais especificamente, objetiva realizar uma exegese a partir dos trabalhos de Georg Simmel, Max Weber e Norbert Elias, tomando esses trabalhos não só como modos de interpretação por meio dos quais o nexo entre razão e história tornou-se sociologicamente “inteligível”, mas, sobretudo, como modos de compreensão social que informam consciências e que, na medida em que o fazem, participam da constituição do mesmo nexo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Couto, B. G. do. (2019). A relação entre razão e história na modernidade: uma leitura dos processos de racionalização a partir de Simmel, Weber e Elias. Arquivos Do CMD, 6(1), 169–195. https://doi.org/10.26512/cmd.v6i1.22147
Seção
Esboço de Letras
Biografia do Autor

Bruno Gontyjo do Couto, Universidade de Brasília

Bruno Gontyjo do Couto ”“ Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de Brasília e pesquisador visitante na University of Texas at Austin.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Ética pós-moderna. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2003

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean Claude; CHAMBOREDON, J C. A profissão de sociólogo: preliminares epistemologicas. 2. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

ELIAS, Norbert. Os alemães: a luta pelo poder e a evolução do habitus nos séculos XIX e

XX. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador. Rio de janeiro: Jorge Zahar, 1993. ELIAS, Norbert. O processo civilizador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

HABERMAS, Jürgen. Teoria de la accíon comunicativa, I: racionalidad de la accíon y racionalización social. Madrid: Taurus, 1999.

SIMMEL, Georg. A metrópole e a vida mental. In: VELHO, Otávio Guilherme. (Org.)

Fenomeno urbano(o). 4. ed. Rio de janeiro: Zahar, 1979.

SIMMEL, Georg. A divisão do trabalho como causa da diferenciação da cultura subjetiva e objetiva. In: SOUZA, Jessé; OELZE, Berthold. (Org.) Simmel e a modernidade. 2. ed. Brasilia: Editora Universidade de Brasília, 2005.

SIMMEL, Georg. O conceito e a tragédia da cultura. In: SOUZA, Jessé; OELZE, Berthold. (Org.) Simmel e a modernidade. 2. ed. Brasilia: Editora Universidade de Brasília, 2005.

WEBER, Max. A objetividade do conhecimento nas ciências sociais. São Paulo: Ática, 2006.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

WEBER, Max,. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. 4. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2000.

WEBER, Max,. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. 4. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2000. 2 v.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)