Super-heróis como Recursos para Promoção de Resiliência em Crianças e Adolescentes

  • Gelson Vanderlei Weschenfelder Faculdade Inedi, CESUCA
  • Chris Fradkin Centro Universitário La Salle, UNILASALLE/Canoas, RS, University of California, UCMerced, CA
  • Maria Angela Mattar Yunes Professora permanente do Centro Universitário La Salle, UNILASALLE/Canoas, RS e colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande/FURG.
Palavras-chave: Resiliência, Empoderamento, Histórias em quadrinhos, Crianças, Adolescentes

Resumo

Pesquisas indicam que crianças em situação de risco psicossocial são mais vulneráveis a apresentar comportamentos com consequências negativas na vida adulta. Este estudo analisou relações entre adversidades da vida real de crianças desfavorecidas psicossocialmente e as adversidades da vida ficcional de personagens super-heróis, em suas fases pré-super-potência. Uma indexação foi realizada e verificou-se que a maioria dos super-heróis de visibilidade na cultura pop passou por adversidades similares às dos grupos de crianças em risco, tais quais: o abandono da família, violência doméstica e situações de abuso físico ou psicológico. Esse recurso ainda inexplorado apresenta potencial para ser desenvolvido em intervenções psicoeducacionais e para subsidiar políticas públicas para a promoção de resiliência e empoderamento nessa população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gelson Vanderlei Weschenfelder, Faculdade Inedi, CESUCA

Doutorando em Educação no Centro Universitário La Salle - UNILASALLE. Canoas, RS, Mestre em Educação pelo Centro Universitário La Salle, UNILASALLE, Canoas, RS, Graduado em Filosofia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Chris Fradkin, Centro Universitário La Salle, UNILASALLE/Canoas, RS, University of California, UCMerced, CA

Doutor em Psicologia da Saúde pela Universidade da Califórnia, Merced, CA. Pós-doc no Programa de Pós-Graduação em Educação no Centro Universitário La Salle, UNILASALLE, Canoas, RS

Maria Angela Mattar Yunes, Professora permanente do Centro Universitário La Salle, UNILASALLE/Canoas, RS e colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande/FURG.

Doutora em Educação (Psicologia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora permanente no Programa de Pós-Graduação em Educação no Centro Universitário La Salle, UNILASALLE/Canoas, RS e colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande/FURG.

Referências

A. C. Camargo Center. (2014). Superfórmula para combater o câncer. Recuperado de http://www.accamargo.org.br/superformula/

Assis, S. G. de, Pesce, R. P., & Avancini, J. Q. (2006). Resiliência: Enfatizando a proteção dos adolescentes. Porto Alegre: Artmed.

Barudy, J. & Dantagnan, M. (2007). Los Buenos tratos a la infância. Parentalidad, apego y resiliencia (2a. ed.). Barcelona: Gedisa.

Beatty, S., Greenburger, R., Teitelbaum, M., & Wallace, D. (2009). The DC comics encyclopedia. London: Dorling Kinderley.

Bronfenbrenner, U. (1991). What do families do. Family Affairs, 4(1-2), 1-6.

Campbell, J. (2008). The hero with a thousand faces, 17. Novato, CA: New World Library. (Original work published 1949)

Campbell, J. (2012). O poder do mito. São Paulo: Palas Athena.

Cole, L. D. (2014). California welfare and institutions code § 369.5 authorization of psychotropic medication to California’s dependent children A policy analysis (Unpublished doctoral dissertation). Recuperado de ProQuest Dissertations and Theses. (Accession Order No. 1527687).

Cyrulnik, B. (2009). Autobiografi a de um espantalho. São Paulo: Martins Fontes.

Forbeck, M. (2015). Marvel Encyclopedia: Updated and expanded. London: Dorling Kinderley.

Fradkin, C., Weschenfelder, G. V., & Yunes, M. A. M. (2016). Shared adversities of children and comic superheroes as resources for promoting resilience: Comic superheroes are an untapped resource for empowering vulnerable children. Child Abuse & Neglect, 51, 407-15.

Garbarino, J., & Abramowitz, R. H. (1992). Sociocultural risk and opportunity. In J. Garbarino (Ed.), Children and families in the social environment (pp. 35-70), New York: Aldine de Gruyter.

Irwin, W. (2005). Super-heróis e a filosofia: Verdade, justiça e o caminho socrático (M. M. Leal, Trad.). São Paulo: Madras.

Johnson, J. K. (2012). Super-history: Comic book superheroes and american society, 1938 to the present. Jeff erson, NC: McFarland.

Juffer, F., & Van Ijzendoorn, M. H. (2005). Behavior problems and mental health referrals of international adoptees: A metaanalysis. Jama, 293, 2501-2515.

Juliano, M. C. C., & Yunes, M. A. M. (2014). Reflexões sobre rede de apoio social como mecanismo de proteção e promoção de resiliência. Ambiente e Sociedade, 17, 1-26.

Keyes, M. A., Malone, S. M., Sharma, A., Iacono, W. G., & McGue, M. (2013). Risk of suicide attempt in adopted and nonadopted off spring. Pediatrics, 132, 639-646.

Lehmann, S., Havik, O. E., Havik, T., & Heiervang, E. R. (2013). Mental disorders in foster children: A study of prevalence, comorbidity and risk factors. Child and Adolescent Psychiatry and Mental Health, 7, 39-39.

Masten, A. S. (2014). Ordinary magic: Resilience processes in development. New York, London: The Guilford Press.

Reiss, F. (2013). Socioeconomic inequalities and mental health problems in children and adolescents: A systematic review. Social Science & Medicine, 90, 24-31.

Rutter, M. (1979). Protective factors in children’s responses to stress and disadvantage. In M. Whalen & J. E. Rolf (Eds.), Primary prevention of psychopathology: Vol. 3. Social competence in children (pp. 49-74). Hanover, NH: University Press of New England.

Rutter, M. (1987). Psychosocial resilience and protective mechanisms. American Journal of Orthopsychiatry, 57, 316.

Rutter, M. (2012). Resilience as a dynamic concept. Development and Psychopathology, 24, 335-344.

Schmidt, J. A. (2003). Correlates of reduced misconduct among adolescents facing adversity. Journal of Youth and Adolescence, 32, 439-452.

Shand, M. (2014). Understanding and building resilience with art: a socio-ecological approach (Unpublished master’s thesis). Edith Cowan University, Joondalup, Western Australia.

Shin, S. H. (2005). Need for and actual use of mental health service by adolescents in the child welfare system. Children and Youth Services Review, 27, 1071-1083.

Siqueira, A., & Dell´Áglio, D. D. (2006). O impacto da institucionalização na infância e na adolescência: Uma revisão de literatura. Psicologia & Sociedade, 18(1), 71-80.

Skinner, D., Tsheko, N., Mtero-Munyati, S., Segwabe, M., Chibatamoto, P., Mfecane, S., ... Chitiyo, G. (2004). Defining orphaned and vulnerable children. Cape Town: HSRC Press.

Skinner, D., Tsheko, N., Mtero-Munyati, S., Segwabe, M., Chibatamoto, P., Mfecane, S., ... Chitiyo, G. (2006). Towards a defi nition of orphaned and vulnerable children. AIDS and Behavior, 10, 619-626.

Taussig, H. N. (2002). Risk behaviors in maltreated youth placed in foster care: A longitudinal study of protective and vulnerability factors. Child Abuse & Neglect, 26, 1179-1199.

Thompson, R. G. Jr., & Auslander, W. F. (2011). Substance use and mental health problems as predictors of HIV sexual risk behaviors among adolescents in foster care. Health & Social Work, 36, 33-43.

Wathier, J. L., & Dell’Aglio, D. D. (2007). Depressive symptoms and stressful events in children and adolescents in the institutionalized context. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, 29, 305-314.

Weschenfelder, G. V. (2011). Aspectos educativos das histórias em quadrinhos de super-heróis e sua importância na formação moral, na perspectiva da ética. (Dissertação de mestrado não publicada). Mestrado em Educação, Centro Universitário La Salle, Canoas, RS, Brasil.

Wilson, M. D. D. (2013). Brazilian children’s cancer center teams with warner brothers and dc comics for ‘Superformula.’ Retrieved from http://comicsalliance.com/dc-comics-brazilhospital-children-chemotherapy-superformula.

Windle, M., Grunbaum, J. A., Elliott, M., Tortolero, S. R., Berry, S., Gilliland, J., . . . Schuster, M. (2004). Healthy passages: A multilevel, multimethod longitudinal study of adolescent health. American Journal of Preventive Medicine, 27, 164-172.

World Health Organization. (2004). Young people’s health in context. Health behavior in school-aged children (HBSC) study: International report from 2001/2002 Survey: Health Policy for Children and Adolescents no. 4. Denmark: WHO.

Yunes, M. A. M. (2015). Dimensões conceituais da resiliência e suas interfaces com risco e proteção. In S. G. Murta, C. L.-França, K. Brito & L. Polejack. (Org.). Prevenção e promoção em saúde mental: Fundamentos, planejamento e estratégias de intervenção (1a ed.; pp. 93-112). Novo Hamburgo: Synopisis.

Yunes, M. A. M., Silveira, S. B., Juliano, M. C., Pietro, A. T., & Garcia, N. M. (2013). Intervenções psicoeducacionais positivas em contextos de risco psicossocial. In B. S. dos Santos (Org.), Espaços psicopedagógicos em diferentes cenários. (1a. ed., v. 1, pp. 231-242). Porto Alegre: EDIPUCRS.

Zappe, J. & Dell`Aglio, D. D. (2016). Risco e proteção em adolescentes que vivem em diferentes contextos: Família e institucionalização. Revista Colombiana de Psicologia 25, 289-305.

Zhang, X. Y., DeBlois, L., Deniger, M. A., & Kamanzi, C. (2008). A theory of success for disadvantaged children: Reconceptualization of social capital in the light of resilience. Alberta Journal of Educational Research, 54, 97-111

Publicado
2017-08-29
Como Citar
Weschenfelder, G., Fradkin, C., & Yunes, M. A. (2017). Super-heróis como Recursos para Promoção de Resiliência em Crianças e Adolescentes. Psicologia: Teoria E Pesquisa, 33(1). Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/revistaptp/article/view/19486
Seção
Estudos Empíricos