Dos eventos documentados aos documentos manejados

A política de saúde mental brasileira em disputa

  • Lilian Leite Chaves UFRN
Palavras-chave: saúde mental, política, reforma psiquiátrica, documentos

Resumo

Em dezembro de 2015, a nomeação de Valencius Wurch, para o cargo de Coordenador Geral de Saúde Mental, Álcool e outras drogas, reacendeu os debates acerca da atenção em saúde mental no Brasil, fazendo com que a reforma psiquiátrica voltasse à arena das discussões políticas amplamente divulgadas. A nomeação do gestor gerou notas de repúdio, notas de apoio e mobilizações pelo país e nas redes sociais. Estas ações foram documentadas e alcançaram as páginas dos jornais da grande imprensa, demonstrando a existência de uma disputa em torno da política de saúde mental. Nesse artigo, serão apresentadas as ações contrárias e a favor de Valencius, mostrando como elas se fundamentam em acusações que delimitam fronteiras. A análise das ações e acusações permite propor que a disputa em torno da política de saúde mental se organiza a partir de um interessante movimento de documentar eventos e manejar documentos, atualizando embates mais antigos do processo brasileiro de reforma psiquiátrica. Assim, o objetivo principal deste artigo é, à luz das considerações antropológicas sobre documentos, refletir sobre a dimensão documental dessa disputa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-11-30
Como Citar
Chaves, L. (2018). Dos eventos documentados aos documentos manejados. Anuário Antropológico, 43(2). Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/7530