O Valor de uma existência: Uma análise pragmática de valorizações da vida humana em situações envolvendo dinheiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/s0102-6992-202136020009

Palavras-chave:

existência, dinheiro, valoração, avaliação, valorização

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a ideia de valoração de uma existência, por meio do estudo de situações de valorização fundadas na avaliação em termos monetários. Isso é feito com a simetrização entre duas pesquisas baseadas em entrevistas em profundidade, uma sobre como pessoas em processo de egressão do sistema penal comparam o dinheiro que ganham na “vida honesta” com aquele oriundo anteriormente do crime e uma sobre como juízes calculam indenizações por danos morais relativas a mortes e outras perdas corporais. O diálogo entre as duas frentes permitiu observar que entra em jogo nas definições dessas situações um movimento de tornar tanto dinheiro quanto existência significativos e tornou possível depreender dois regimes de valorização da existência, um centrado no reconhecimento intrínseco da vida humana e outro concentrado na avaliação da biografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camille Porto, École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS)

Doutoranda em Sociologia no Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), pesquisadora vinculada ao Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana (NECVU) da UFRJ e ao Centre d'Étude des Mouvements Sociaux (CEMS) da EHESS, França.

Alexandre Werneck, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Professor do Departamento de Sociologia e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Pós-doutorado (FAPERJ) na Universidade Federal Rio de Janeiro.

Referências

ABERCROMBIE, Nicholas. Commodification and its discontents. London: Polity, 2020.

ASH, William. Marxismo e moral. Rio de Janeiro: Zahar, 1965.

BAIER, Kurt. The concept of value. In: LASZLO, Ervin; WILBUR, James B. Value theory in philosophy and social science, p. 1-11. London: Routledge, 1973.

BARBOSA, Antônio Rafael. O baile e a prisão: onde se juntam as pontas dos segmentos locais que respondem pela dinâmica do tráfico de drogas no Rio de Janeiro. Cadernos de Ciências Humanas: Especiaria, v. 9, n. 15, p. 119-135, 2006.

BITTAR, Carlos Alberto. Reparação civil por danos morais. São Paulo: Saraiva, 2015.

BLOCH, Maurice; PARRY, Jonathan. Money and the morality of exchange. Cambridge, UK: Cambride University Press, 1989.

BOLTANSKI, Luc; THÉVENOT, Laurent. A justificação: sobre as economias da grandeza. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2020 [1991].

BROSCH, Tobias; SANDER, David. From values to valuaton: an interdisciplinar approach to the study of values. In: ______. Handbook of value, p. 397-404. London: Oxford University Press, 2016.

CALLON, Michel; LATOUR, Bruno. Don’t throw the baby out with the bath school! A reply to Collins and Yearly. In: PICKERING, Andrew (Org.). Science as practice and culture, p. 343-368. Chicago, IL: University of Chicago Press, 1992.

CEFAÏ, Daniel; ZIMMERMANN, Bénédicte; NICOLAE, Stefan; ENDREß, Martin. Introduction: sociology of valuation and evaluation. Human Studies, v. 38, n. 1, p. 1-12, 2015.

CICOUREL, Aaron V. Method and measurement in sociology. New York: The Free Press, 1964.

CLARK, Candace. Misery and company: sympathy in everyday life. Chicago, IL: University of Chicago Press, 2007.

COOLEY, Charles Horton. Human nature and the social order. New York: Charles Scribner’s Sons, 1902.

DE LASTIC, Adélaïde. Que valent les valeurs? Paris: L’Harmatan, 2014.

DEWEY, John. Logic: the theory of inquiry. New York: Henry Holt, 1938.

FELTRAN, Gabriel de Santis. O valor dos pobres: a aposta no dinheiro como mediação para o conflito social contemporâneo. Caderno CRH, v. 27, n. 72, p. 495-512, 2014.

______. O legítimo em disputa: as fronteiras do “mundo do crime” nas periferias de São Paulo. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v. 1, n. 1, p. 93-126, 2008.

FREIRE, Jussara. Agir no regime de desumanização: esboço de um modelo para análise da sociabilidade urbana na cidade do Rio de Janeiro. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v. 3, n. 4, p. 119-142, 2010.

FREIRE, Jussara; TEIXEIRA, César Pinheiro. Humanidade disputada: Sobre as (des)qualificações dos seres no contexto de “violência urbana” do Rio de Janeiro. Terceiro Milênio: Revista Crítica de Sociologia e Política, v. 6, n. 1, p. 58-85, 2016.

GOFFMAN, Erving. Stigma: notes on the management of spoiled identity. New York: Touchstone, 1986 [1963].

______. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo, Perspectiva, 1974 [1961].

GRAEBER, David. Toward an anthropological theory of value: the false coin of our own dreams. New York: Palgrave, 2001.

GREIMAS, Algirdas J. Semântica estrutural: pesquisa de método. São Paulo: Cultrix; Editora da USP, 1976 [1966].

GRILLO, Carolina. Coisas da vida no crime: tráfico e roubo em favelas cariocas. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA)da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, 2013.

HEILBRONER, Robert L. The problem of value in the construction of economic thought. Social Research, v. 50, n. 2, p. 253-277, 1983.

HEINICH, Nathalie. Des valeurs: une approche sociologique. Paris: Gallimard, 2017.

HIRATA, Daniel Veloso. Sobreviver na adversidade: entre o mercado e a vida. Tese (Doutorado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, 2010.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Editora 34, 2009 [1992].

JAMES, William. The principles of psychology. Oxford, UK: Dover, 1950 [1890].

______. Pragmatism: A new name for some old ways of thinking. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1907.

KARPIK, Lucien. Valuing the unique: the economics of singularities. Princeton, NJ: Princeton University Press, 2010.

KLUCKHOHN, Clyde. Values and value-orientations in the theory of action: an exploration in definition and classification. In: PARSONS, Talcot; SHILS, Edward (Orgs.). Toward a general theory of action, p. 388-433. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1951.

LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Editora Unesp, 1997 [1987].

LYRA, Diogo. A república dos meninos: juventude, tráfico e virtude. Rio de Janeiro: Mauad, 2013.

MACHADO DA SILVA, Luiz Antônio. Violência urbana: representação de uma ordem social. In: NASCIMENTO, Elimar Pinheiro; BARREIRA, Irlys (Orgs.). Brasil urbano: cenário da ordem e da desordem, p. 131-142. Rio de Janeiro, Notrya, 1993.

MACHADO DA SILVA, Luiz Antônio; LEITE, Márcia. Violência, crime e polícia: o que favelados dizem quando falam desses temas?”. In: MACHADO DA SILVA, Luiz Antonio (Org.). Vida sob cerco: violência e rotina nas favelas do Rio de Janeiro, p. 47-76. Rio de Janeiro: Faperj; Nova Fronteira, 2008.

MEAD, George Herbert. Mind, self, and society: from the standpoint of a social behaviorist. Chicago, IL: University of Chicago Press, 1934.

MISSE, Michel. Malandros, marginais e vagabundos: a acumulação social da violência no Rio de Janeiro. Tese (Doutorado) - Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), Universidade Cândido Mendes, Rio de Janeiro, RJ, 1999.

MUNHOZ, Sara Regina. Confiscações semânticas e afetivas: famílias na jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça. In: VILLELA, Jorge Mattar; ALENCAR VIEIRA, Suzane de (Orgs.). Insurgências, ecologias dissidentes e antropologia modal, p. 210-243. Goiânia: Imprensa Universitária, 2020.

NEIBURG, Federico. Os sentidos sociais da economia. In: DIAS DUARTE, Luiz Fernando (Org.). Horizontes das ciências sociais no Brasil: antropologia. São Paulo: Anpocs; Barcarolla; Discurso Editorial, 2010.

PEDERSEN, David. Introducton: toward a value theory of anthropology. Anthropological Theory, v. 8, n. 1, p. 5-8, 2008.

PEIRCE, Charles S. How to make our ideas clear. In: The essential Peirce, v. 1: “Selected philosophical writings (1867-1893)”, p. 124-141. Bloomington, IN: Indiana University Press, 1992 [1878].

______. Divisão dos signos. In: ______. Semiótica, p. 45-61. São Paulo, Perspectiva, 1977 [1897].

PORTO, Camille. Selves em cadeia: um estudo sociológico sobre a carreira moral de “egressantes” do sistema penitenciário fluminense. Dissertação (mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), 2017.

______. O que há de moral na carreira moral: sobre dispositivos de transformação de si em “egressantes” do sistema penitenciário. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v. 12, n. 3, p. 477-498, 2019.

RAMALHO, José Ricardo. Mundo do crime: a ordem pelo avesso. Rio de Janeiro, Graal, 1979.

REZSOHAZY, Rudolf. Sociologie des valeurs. Paris: Armand Colin, 2006.

SCOTT, Marvin B.; LYMAN, Stanford M. Accounts. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v. 1, n. 2, p. 139-172, 2008 [1968].

SANSEVERINO, Paulo de Tarso Vieira. Princípio da reparação integral: indenização no CódigoCivil. São Paulo: Saraiva, 2010.

SIMMEL, Georg. The philosophy of money. London: Routledge, 2011 [1908].

STARK, David. The sense of dissonance: accounts of worth in economic life. Princeton, NJ: Princeton University Press, 2009.

TEIXEIRA, César Pinheiro. A teia do bandido: um estudo sociológico sobre bandidos, policiais, evangélicos e agentes sociais. Tese (Doutorado), Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA)da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, 2013.

THÉVENOT, Laurent. L’action au pluriel: sociologies des régimes d’engagement. Paris: La Découverte, 2006.

THOMAS, William I. The unadjusted girl: with cases and standpoint for behaviour analysis. Monclair, CA: Patterson Smith, 1969 [1923].

THOMAS, William I.; THOMAS, Dorothy Swaine. The child in America: behavior problems and programs. New York: A. A. Knopf, 1938 [1928].

WEBER, Florence. Práticas econômicas e formas ordinárias de cálculo. Mana: Estudos de Antropologia Social, v. 8, n. 2, p. 151-182, 2002.

WEBER, Max. The theory of social and economic organization. Glencoe, UK: The Free Press, 1947 [1922].

WERNECK, Alexandre. Apontamentos para uma sociologia da efetivação (isto é, uma sociologia pragmática). In: NEVES, Fabrício; CORRÊA, Diogo; PETERS, Gabriel (Orgs.). Construção conceitual nas ciências sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2021 (no prelo).

______. Obstáculos na “pista livre”: algumas considerações sobre a pragmática dos dispositivos da “lei do trânsito” no Rio de Janeiro. Antropolítica: Revista Contemporânea de Antropologia, n. 50, p. 327-355, 2020.

______. O milagre da multiplicação: valores, situações e circunstâncias. Sobre “A lenda do santo beberrão”, de Joseph Roth. Trabalho apresentado no seminário Ficção e Ciências Sociais, IFCS, UFRJ, 2019a.

______. A moral dos danos, o valor da moral: avaliações de indenizações como formas de valorização significativa. Trabalho elaborado para apresentação no I Seminário Internacional Questões de Moral, Moral em Questão: Sociologia e Antropologia do Bem em Tempos Desafiadores, postergado para 2021 por conta da pandemia, IFCS, UFRJ, 2019b.

______. Dar uma zoada, botar a maior marra: dispositivos morais de jocosidade como formas de efetivação e sua relação com a crítica. Dados: Revista de Ciências Sociais, v. 58, n. 1, 2015, p. 187-222.

______. Sociologia da moral, agência social e criatividade. In: WERNECK, Alexandre; CARDOSO DE OLIVEIRA, Luís Roberto (Orgs.). Pensando bem: estudos de sociologia e antropologia da moral, p. 25-48. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2014.

______. A desculpa: as circunstâncias e a moral das relações sociais. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2012.

WERNECK, Alexandre; MOTTA, Eugenia; LORETTI, Pricila; CORRÊA, Diogo; SALES, Samantha; TALONE, Vittorio da Gama; PORTO, Camille. Conflitos de valoração: as disputas e a administração de diferentes sentidos dos “bjetos de valor” entre legal, ilegal, estado e cidadãos no Rio de Janeiro. Relatório de pesquisa, CNPq, 2020.

WERNECK, Alexandre; SALES, Samantha. A indefinição capital: Uma sociologia das definições de economia a partir das hostilizações ao econômico. Texto de trabalho, Necvu, 2020.

WILKIS, Ariel. Las sospechas del dinero: moral y economía en la vida popular. Buenos Aires: Paidós, 2013.

WILLIAMS, Christopher J. F. What is existence? Oxford, UK: Clarendon, 1982.

ZALUAR, Alba. Violência, dinheiro fácil e justiça no Brasil: 1980-1995. In: ACSELRAD, Gilberta (Org.). Avessos do prazer: drogas, Aids e direitos humanos, p. 65-88. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

______. Integração perversa: Pobreza e tráfico de drogas, v. 1. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

______. A máquina e a revolta. São Paulo: Brasiliense, 1985.

ZELIZER, Viviana A. A negociação da intimidade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011 [2005].

Downloads

Publicado

13-09-2021

Como Citar

Porto, C., & Werneck, A. (2021). O Valor de uma existência: Uma análise pragmática de valorizações da vida humana em situações envolvendo dinheiro. Sociedade E Estado, 36(02), 563–589. https://doi.org/10.1590/s0102-6992-202136020009

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.