Rearticulando narrativas sociológicas: teoria social brasileira, diáspora africana e a desracialização da experiência negra

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/s0102-6992-201833030003

Palavras-chave:

Sociologia brasileira, Estudos pós-coloniais, Diáspora africana, Modernidade, Ethos nacional

Resumo

Neste artigo apresento resultados da pesquisa “A sociologia brasileira e os estudos diaspóricos”, na qual analiso algumas abordagens da sociologia brasileira no tema das relações étnico-raciais e seus pontos de convergência com o debate transnacional sobre a diáspora africana e a crítica pós-colonial. O objetivo central deste artigo é, através da seleção de alguns textos brasileiros, compreender as proximidades entre o pensamento social brasileiro e a crítica pós-colonial e em que medida essa relação nos permite revisitar o que ficou conhecido como “sociologia das relações raciais” no Brasil. O artigo se estrutura através de dois aspectos gerais, quais sejam: a. as diferentes compreensões, por parte de alguns autores da sociologia brasileira, sobre a modernidade e o ethos nacional, e como que a crítica pós-colonial tensiona as bases gerais de compreensão da sociedade brasileira; b. a revisão das noções clássicas de resistência e política, através da estética e das expressões culturais da diáspora. Do nosso ponto de vista, esses aspectos nos ajudam a compreender os processos históricos que racializaram a experiência negra no Brasil, e nos apontam alguns limites analíticos de parte da interpretação sociológica brasileira sobre nossa formação social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscila Martins Medeiros, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Doutora em sociologia pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), mestre em sociologia e bacharel em ciências sociais, ambos pela UFSCar. É professora adjunta do Departamento de Sociologia da Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, Brasil.

Referências

AVRITZER, Leonardo; GOMES, Lilian Cristina B. Política de reconhecimento, raça e democracia no Brasil. Dados, v. 56, n. 1, p. 39-68, 2013. [ Links ]

BASTIDE, Roger. As Américas Negras: as civilizações africanas no Novo Mundo. São Paulo: EdUSP, 1974. [ Links ]

BASTOS, Elide Rugai. As criaturas de Prometeu: Gilberto Freyre e a formação da sociedade brasileira. São Paulo: Global, 2006. [ Links ]

COHN, Gabriel. Padrões e dilemas: o pensamento de Florestan Fernandes. In: MORAES, R.; ANTUNES, R.; FERRANTE, V. L. B. (Orgs.). Inteligência brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1986. [ Links ]

COSTA, Sérgio. Dois Atlânticos: teoria social, anti-racismo, cosmopolitismo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006. [ Links ]

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs - capitalismo e esquizofrenia. v. 1. Rio de janeiro: Editora 34, 1995. [ Links ]

DERRIDA, Jacques. Margins of philosophy. Chicago (IL): The University of Chicago Press, 1982. [ Links ]

DU BOIS, William Edward. B. As almas da gente negra. Rio de Janeiro: Lacerda editores, 1999. [ Links ]

DUSSEL, Enrique D. Filosofia da Libertação na América Latina. 2. ed. São Paulo: Loyola; Unimep, 1977. [ Links ]

FANON, Frantz. Os condenados da Terra. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2010. [ Links ]

_____ . Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EdUFBA, 2008. [ Links ]

FAUSTINO, Deivison Mendes. Por que Fanon? Por que Agora? Frantz Fanon e os fanonismos no Brasil. Tese (Doutorado em Sociologia) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, São Paulo, 2015. [ Links ]

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes: o legado da raça branca, v. I e II. São Paulo: Editora Global, 5. ed., 2008. [ Links ]

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala. Rio de Janeiro: Globo, 2006. [ Links ]

_____ . Interpretação do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1947. [ Links ]

GILROY, Paul. O Atlântico Negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo; Rio de Janeiro: Editora 34; Universidade Cândido Mendes/Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2001. [ Links ]

HALL, Stuart. Da diáspora. Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006. [ Links ]

_____ . Race, articulation, and societies structured in dominance. Sociological theories: race and colonialism. Paris: Unesco, 1980. [ Links ]

HOFBAUER, Andreas. Uma história de branqueamento ou o negro em questão. São Paulo: Editora Unesp, 2006. [ Links ]

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. [ Links ]

HOOKS, bell. An aesthetic of blackness: strange and oppositional. Lenox Avenue: A Journal of Inter-arts Inquiry, v. 1, p. 65-72, 1995. [ Links ]

HOROWITZ, Maryanne Cline. New dictionary of the history of ideas. New York: Charles Scribner’s Sons, 2005. [ Links ]

MINTZ, Sidney W.; PRICE, Richard. O nascimento da cultura afro-americana: uma perspectiva antropológica. Rio de Janeiro: Pallas; Universidade Candido Mendes, 2003. [ Links ]

MOURA, Clóvis. Sociologia política da guerra camponesa de Canudos. São Paulo: Expressão Popular, 2003. [ Links ]

_____ . Sociologia política da guerra camponesa de Canudos. São Paulo: Expressão Popular, 2000. [ Links ]

_____ . Brasil: as raízes do protesto negro. São Paulo: Global Editora, 1983. [ Links ]

_____ . Rebeliões da senzala. São Paulo: Editora Zumbi, 1959. [ Links ]

OSÓRIO, Rafael Guerreiro. Desigualdade racial e mobilidade social no Brasil: um balanço das teorias. In: THEODORO, Mário; SOARES, Sergei; JACCOUD, Luciana de Barros; OSÓRIO, Rafael Guerreiro (Orgs.). As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil: 120 anos após a abolição. Brasília: Ipea, 2008. [ Links ]

PORTELA JR., Aristeu. Democracia no Brasil: Florestan Fernandes e a transição. Áskesis - Revista dos Discentes do PPGS/UFSCar , v. 1, n. 2, p. 10-22, 2012. [ Links ]

RAMOS, Guerreiro. Introdução crítica à sociologia brasileira. Rio de Janeiro: Editorial Andes Ltda., 1957. [ Links ]

SALES JR., Ronaldo. Democracia racial: o não-dito racista. Tempo Social. Revista de Sociologia da USP, v. 18, n. 2, p. 229-258, 2016. [ Links ]

SANTOS, Joel Rufino dos. O movimento negro e a crise brasileira. Política e Administração, v. 2, Jul./Set. 1985. [ Links ]

SEGATO. Rita. The color-blind subject of myth; or, where to find Africa in the nation. Annu. Rev. Anthrop., v. 27, p. 129-151, 1998.

Downloads

Publicado

18-01-2019

Como Citar

Medeiros, P. M. (2019). Rearticulando narrativas sociológicas: teoria social brasileira, diáspora africana e a desracialização da experiência negra. Sociedade E Estado, 33(03), 709–726. https://doi.org/10.1590/s0102-6992-201833030003

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.