Política nacional de humanização e gestão em saúde

marcos legais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rgs.v14i2.47703

Palavras-chave:

Gestão em Saúde;, Humanização da Assistência; , Capacitação de Recursos Humanos em Saúde.

Resumo

O estudo em tela, resultado de parte de uma pesquisa de mestrado, teve por objetivo analisar os documentos que tratam sobre a qualificação dos profissionais e a gestão em saúde, visando alcançar um atendimento em saúde mais horizontalizado e humanizado, considerando a importância da construção de um modelo de atenção à saúde voltado a ampliação do protagonismo dos profissionais da área e qualidade de vida dos sujeitos. Para tanto, serão abordadas questões referentes gestão em saúde, os recursos humanos voltados para a empatia, responsabilidade e comprometimento, assim como a estrutura em saúde, evidenciando a relevância de existir um espaço acolhedor. Trata-se de um estudo bibliográfico e qualitativo. Dentre as conclusões possíveis, destacamos que a atuação transdisciplinar e as relações horizontalizadas de poder auxiliam na descentralização do caráter unitário e totalitário que é, muitas vezes, encontrado nas instituições de saúde, dessa forma é possível que haja a valorização da dimensão concreta das práticas de saúde e a transformação dos modelos de gestão e atenção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jair Antônio Zancan, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação - PPGEDU Mestrado e Doutorado/URI. Possui Especialização em Saúde Pública, pela AVM Faculdade Integrada; Especialização em Administração Hospitalar, pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões. É graduado em Farmácia pela mesma Instituição, na qual também realizou o Aperfeiçoamento em Saúde da Família. Está cursando MBA em Gestão Pública, pela AVM Faculdade Integrada. Atua como farmacêutico na empresa AGAFARMA, de Taquaruçu do Sul/RS, da qual também é proprietário.

Dra. Silvia Regina Canan, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões

 Doutora em Educação pela UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Tem experiência docente como professora da Rede Pública e da Rede privada e atua como docente na URI

Referências

- Sgreccia E. Manual de Bioética: Fundamentos e ética biomédica. São Paulo: Loyola; 1996.

Silva BN. et al. Reflexos das relações de saber-poder no contexto da estratégia de Saúde da Família. Arch Health Invest, [S.l], v. 8, n. 5, p. 229-236, 2019

- Brasil. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde: o que se tem produzido para o seu fortalecimento? Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

- Menegassi GV. Transdisciplinaridade no sistema único de saúde. [S.l]: Rede Humaniza SUS, 2013. Disponível em: https://redehumanizasus.net/61694-transdisciplinaridade-no-sistema-unico-de-saude/

- Silva BN; et al. Reflexos das relações de saber-poder no contexto da estratégia de Saúde da Família. Revista Archives of Health Investigation. Araçatuba, v. 8, n. 5, p. 229-236, 2019.

- Rodrigues MM; Mendonça Â; Guiraud FLM. Equipes transdisciplinares e os desafios de uma prática articulada em socioeducação. [S.l]: MPPR Ministério Público do Paraná; Núcleo de Comunicação Institucional, 2008. Disponível em: https://crianca.mppr.mp.br/pagina-419.html

- Jobconvo. Gestão horizontal: como funciona? Benefícios e diferenças. Blog JobConvo. [S.l], 2021. Disponível em: https://articles.jobconvo.com/gestao-horizontal-tudo-que-precisa-saber-para-aplica-la-na-empresa/

- Carvalho ALB. et al. A gestão do SUS e as práticas de monitoramento e avaliação: possibilidades e desafios para a construção de uma agenda estratégica. Revista Ciência & Saúde Coletiva, [S.l], v. 17, n. 4, p. 901-911, 2012.

- Campos GWS. Um método para análise e cogestão de coletivos. São Paulo: HUCITEC, 2013.

- Pires TCS; Andrade LL; Reis FS. Transdisciplinaridade e humanização na formação em saúde: o acolhimento como caminho. In: Conferência Internacional Saberes para uma Cidadania Planetária, Fortaleza, maio, 2016.

- Freire P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

- Goulart BNG; Chiari BM. Humanização das práticas do profissional de saúde – contribuições para reflexão. Revista Ciência & Saúde Coletiva, [S.l], v. 15, n. 1, p. 255-268, 2010.

- Rizzotto MLF. As políticas de saúde e a humanização da assistência. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 55, n. 2, p. 196-199, mar./abr. 2002.

- Brasil. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização. Brasília: Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização, 2003

- Trad LAB.; Esperidião MA. Sentidos e práticas da humanização na Estratégia de Saúde da Família: a visão de usuários em seis municípios do Nordeste. Physis Revista de Saúde Coletiva, [S.l], v. 20, n. 4, p. 1099-1117, 2010

- Bestetti MLT. Ambiência: espaço físico e comportamento. Revista Brasileira Geriatr. Gerontol. Rio de Janeiro, v, 17, n. 3, p. 601-610, 2014.

- Bellino F. Fundamentos da bioética: aspectos antropológicos, ontológicos e morais. São Paulo: EDUSC, 1997.

- Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2008.

- Gomes R. Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, 2014.

Downloads

Publicado

30-10-2023

Como Citar

1.
Zancan JA, Canan SR. Política nacional de humanização e gestão em saúde: marcos legais. Rev. G&S [Internet]. 30º de outubro de 2023 [citado 20º de abril de 2024];14(2):188-201. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/47703

Edição

Seção

Artigos Originais