Redes sociais na produção científica em eficiência da saúde pública

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/gs.v14i1.46146

Palavras-chave:

Análise de Redes Sociais, Eficiência Saúde Pública, Revisão Sistemática

Resumo

A análise de redes sociais aplicada a produção cientifica pode colaborar para o entendimento da evolução do conhecimento e favorecer a interpretação. O campo de interesse da produção cientifica é a eficiência da saúde pública. O objetivo do artigo é analisar as redes sociais da produção cientifica em eficiência da saúde pública. O estudo foi realizado por meio da revisão sistemática de literatura e a análise das redes sociais da produção científica. Os resultados evidenciaram que a discussão sobre a eficiência da saúde pública não é um tema recente e vem acompanhando a própria evolução dos sistemas de saúde. Os autores de destaque foram Cooper, Charnes, Ozcan, Hollingswort, Rhodes, Banker e Fare, considerados autores intermediários do campo de pesquisa. A discussão ao longo do tema foi acompanhada pela discussão dos mecanismos de análise da eficiência, que também evoluíram ao longo do tempo. Pode-se compreender que a eficiência pode ser o caminho para a otimização dos recursos de modo a atender melhor às necessidades da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleber, Universidade Federal de Lavras

Professor Titular do Departamento de Gestão do Agronegócio da Universidade Federal de Lavras (DGA/UFLA), possui graduação em Administração pela Universidade Federal de Lavras (1995), mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998) e doutorado em Agronegócios pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006). Foi coordenador do Programa de Pós-Graduação em Administração (Mestrado e Doutorado) da Universidade Federal de Lavras (PPGA/UFLA) no período de 2008 a 2010, Pró-Reitor Adjunto de Pós-Graduação em 2011 e Coordenador de Projetos do Centro de Educação a Distância (CEAD) no período de 2011 a 2012, além de ter atuado como professor em diversas instituições no Paraná (Unioeste, Univel, Unipar e Unifoz) e Rio Grande do Sul (Unisinos) e coordenador do Curso de graduação em Administração na Univel por 3 anos. Foi Líder do Tema Inovação, Cooperação e Redes Organizacionais da Divisão de Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação da ANPAD em 2015 e 2016, líder do Grupo de Estudos em Redes, Estratégia e Inovação (GEREI), cadastrado no diretório do CNPq, de 2010 a 2018, Coordenador Geral do Colóquio de Redes, Estratégia e Inovação desde sua primeira edição em 2010 até 2017, Coordenador Geral do Workshop de Redes, Estratégia e Inovação desde sua primeira edição em 2013 até 2015, atuando como pesquisador da FAPEMIG e CAPES (Líder do Projeto Pró-Administração que envolveu quatro instituições), Coordenador Institucional UAB de 2011 a 2016, Coordenador Institucional UAB Adjunto de 2016 a 2019 e Diretor de Educação a Distância da UFLA de 2016 a 2020 e Diretor do Núcleo de Inovação Tecnológica (NINTEC) da UFLA em 2020. Foi consultor ad hoc para Avaliação Institucional e de Cursos Superiores do Ministério da Educação de 2006 a 2022. Atualmente é Diretor Administrativo voluntário da Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (FAEPE), orientador de Mestrado e Doutorado em Administração, Coordenador Institucional da Universidade Aberta do Brasil (UAB) e membro do Conselho de Ética da UFLA. Tem experiência como professor, pesquisador, gestor educacional e consultor na área de Administração, atuando principalmente nos seguintes temas: Agronegócios, Redes de organizações, Capacidade relacional, Aglomerados produtivos e Gestão da tecnologia e inovação.

Referências

Neumeyer X; Santo S; Caetano A; Kalbfleisch P. Entrepreneurship ecosystems and women entrepreneurs: a social capital and network approach. Small Bus Econ, 2018, 475-89. Available from: https://doi.org/10.1007/s11187-018-9996-5

Burt R. The social structure of competition. In: Nohria N; Eccles RG. Networks and organizations: structure, form, and action. Boston: Harvard Business School Press; 1992. 57-91.

Granovetter M. The strength of weak ties. American Journal of Sociology. 1973; 6 (1), 1360- 80. Available from: https://www.jstor.org/stable/2776392

Ozcan Y; Khushalani J. Assessing efficiency of public health and medical care provision in OECD countries after a decade of reform. Central European Journal of Operations Research, 2017, 25 (2), 325-43. Available from: https://doi.org/10.1007/s10100-016-0440-0

Kirigia J; Emrouznejad A; Sambo LG; Munguti N; Liambila W. Using Data Envelopment Analysis to Measure the Technical Efficiency of Public Health Centers in Kenya. Journal of Medical Systems, 2004, 28(2), 155-166. Available from: https://doi.org/0148-5598/04/0400-0155/0

Cowhitt T; Butler T; Wilson E. Using social network analysis to complete literature reviews: a new systematic approach for independent researchers to detect and interpret prominent research programs within large collections of relevant literature. International Journal of Social Research Methodology, 2019, 1-15. Available from: https://doi.org/10.1080/13645579.2019.1704356

Lemieux V; Ouimet, M. Análise estrutural das redes sociais. Lisboa: Instituto Piaget. 2008.

Higgins S; Ribeiro A. Análise de redes em Ciências Sociais. Enap Escola Nacional de Administração Pública. 2018.

Prado J; Alcântara V; Carvalho F; Vieira K; Machado L; Tonelli D. Multivariate analysis of credit risk and bankruptcy research data: a bibliometric study involving different knowledge fields (1968–2014). Scientometrics, 2016, 102(3), 1007–29. Available from: https://doi.org/10.1007/s11192-015-1829-6

Borgatti S; Everett M; Freeman L. Ucinet. Software for Social Network Analysis. Havard: Analytic Technologies. Version 6. 2002.

Osei D; Almeida S; George M; Kirigia J; Mensah A; Kainyu L. Technical efficiency of public district hospitals and health centres in Ghana: a pilot study. Cost Effectiveness and Resource Allocation, 2005, 3(9), 1-13. Available from: https://doi.org/10.1186/1478-7547-3-9

Kuschnir R; Chorny A. Redes de atenção à saúde: contextualizando o debate. Ciência & Saúde Coletiva, 2010, 15(5), 2307–16. Available from: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000500006

Organización Panamericana de La Salud. Redes Integradas de Servicios de Salud. Washington, D.C.: PAHO, 2008. Available from: https://iris.paho.org/

Borysow I; Conill E; Furtado J. Atenção à saúde de pessoas em situação de rua: estudo comparado de unidades móveis em Portugal, Estados Unidos e Brasil. Ciência e Saúde Coletiva, 2017, 22 (3), 879-90. Available from: https://doi.org/10.1590/1413-81232017223.25822016

Filippon J; Giovanella L; Konder M; Pollock A. “Liberalizing” the English National Health Service: background and risks to healthcare entitlement. Cad. Saúde Pública, 2016, 32 (8), 1-15. Available from: https://doi.org/10.1590/0102-311X00034716

Liu H; Fang H; Zhao Z. Urban–rural disparities of child health and nutritional status in China from 1989 to 2006. Economics & Human Biology, 2013, 11(3), 294-309. Available from: https://doi.org/10.1016/j.ehb.2012.04.010

Akazili J; Adjuik M; Jehu-Appiah C; Zere, E. Using data envelopment analysis to measure the extent of technical efficiency of public health centres in Ghana. BMC International Health and Human Rights, 2008, 1(52). Available from: http://dx.doi.org/10.1186/1472-698X-8-11

Kocisová K; Sopko J. The Efficiency of public health and medical care systems in EU countries: Dynamic Network data envelopment analysis. Acta Universitatis Agriculturae et Silviculturae Mendelianae Brunensis, 2020, 68(2), 383–94.

Liu T; Li J; Chen J; Yang S. Regional Differences and Influencing Factors of Allocation Efficiency of Rural Public Health Resources in China. Healthcare, 2020, 8(270), 1-22. Available from: https://doi.org/10.3390/healthcare8030270

Pina V; Torres L. Methodological aspects in efficiency evaluation public hospitals. Financial Accountability and Management, 1996, 12(1), 21-36. Available from: https://doi.org/10.1111/j.1468-0408.1996.tb00411.x

Lavado R; Lagrada L; Gozun B. Using dea to assess the efficiency of public health units in providing health care services. Applications of Management Science, 2010, 14(1), 237-48. Available from: https://doi.org/10.1108/S0276-8976(2010)0000014015

Huang K; Provan K. Structural embeddedness and organizational social outcomes in a centrally governed mental health services network. Public Management Review, 2007, 9(2), 169-89. Available from: https://doi.org/10.1080/14719030701340218

Pina V; Torres L. Evaluating the efficiency of nonprofit organizations: an application of data envelopment analysis to the public health service. Financial Accountability and Management, 1992, 8(3), 213–24. Available from: https://doi.org/10.1111/j.1468-0408.1992.tb00439.x

Lee S; Kim C. Estimation of association between healthcare system efficiency and policy factors for public health. Applied Sciences, 2018, 8(12), 1-11. Available from: https://doi.org/10.3390/app8122674

Sulku S. The health sector reforms and the efficiency of public hospitals in Turkey: Provincial markets. European Journal of Public Health, 2012, 22(5), 634-38. Available from: https://doi.org/10.1093/eurpub/ckr163

Cooper W; Seiford L; Zhu J. Handbook on Data Envelopment Analysis, editors. Boston, MA: Springer US. 2004.

Cooper W; Seiford L; Zhu J. Data envelopment analysis: history, models, and interpretations. Boston, MA: Springer. 2011.

Charnes A; Cooper W; Rhodes E. Measuring the efficiency of decision making units. European Journal Operation Research, 1978, 2, 429-44. Available from: https://doi.org/10.1016/0377-2217(78)90138-8

Banker R; Charnes A; Cooper W. Some models for estimating technical and scale inefficiencies in data envelopment analysis. Management Sci, 1984, 30, 1078-92. Available from: https://doi.org/10.1287/mnsc.30.9.1078

Ozcan Y. Health care benchmarking and performance evaluation: an assessment using data envelopment analysis (DEA). Springer-Verlag, New York, US. 2014.

Fare R; Grosskopf S; Lundstrom M; Roos P. Evaluating Hospital Policy and Performance: Contributions from Hospital Policy and Productivity Research. Advances in Health Economics and Health Services Research, 18, 209–28. Available from: https://doi.org/10.1016/S0731-2199(07)00012-X

Fare R; Grosskopf S; Norris M; Zhang, Z. Productivity growth, technical progress, and efficiency change in industrialized countries. The American Economic Review, 1994, 84(1), 66-83. Available from: https://www.jstor.org/stable/2117971

Hollingsworth B; Peacock S. Efficiency measurement in health and health care, Routledge, New York, USA. 2008.

Hollingsworth B. Non-parametric and parametric applications measuring efficiency in health care. Health Care Management Science, 2003, 6(4), 203-18. Available from: https://doi.org/10.1023/A:1026255523228

Hollingsworth B. The measurement of efficiency and productivity of health care delivery. Health Economics, 2008, 45, 1107-28. Available from: https://doi.org/10.1002/hec.1391

Downloads

Publicado

11-09-2023

Como Citar

1.
Nascimento Érica, Castro CC de. Redes sociais na produção científica em eficiência da saúde pública. Rev. G&S [Internet]. 11º de setembro de 2023 [citado 22º de julho de 2024];14(1):83-99. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/46146

Edição

Seção

Artigos de Revisão