O cuidado prestado pela Estratégia Saúde da Família na percepção das mulheres idosas

Autores

  • Kelly Karine Pasqual Faculdade de Medicina de Marília
  • Katia Terezinha Alves Rezende Faculdade de Medicina de Marília
  • Mara Quaglio Chirelli Faculdade de Medicina de Marília

Resumo

Com o aumento da expectativa de vida, o Brasil está passando por um período de transição epidemiológica, havendo maior proporção de mulheres do que de homens com idade avançada, fenômeno conhecido como a feminização da velhice. Nosso objetivo foi analisar a concepção da mulher acima dos 60 anos sobre o cuidado em saúde promovido pela ESF. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com uso de entrevista semiestruturada para coleta de dados, realizada em Unidades de Saúde da Família localizadas no município de Marília. Os sujeitos são mulheres com idade igual ou acima dos 60 anos, seleção por amostra aleatória simples, totalizando 30 mulheres. Discussão e análise foram submetidas à análise de conteúdo, modalidade temática. A partir do agrupamento dos núcleos de sentido, foi formado o seguinte tema: o acesso às tecnologias em saúde e o vínculo na percepção das mulheres. Concluimos que a ESF tem papel fundamental, pois possibilita o acesso e o desenvolvimento da autonomia, principalmente no envelhecimento, período surante o qual o sujeito apresenta uma pluralidade de necessidades que vão além de ações instituídas, visando o cuidado integral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kelly Karine Pasqual, Faculdade de Medicina de Marília

Mestre em Saúde e Envelhecimento pela Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA.

Katia Terezinha Alves Rezende, Faculdade de Medicina de Marília

Docente Assistente em Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA.

Mara Quaglio Chirelli, Faculdade de Medicina de Marília

Docente Assistente em Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA.

Downloads

Como Citar

1.
Pasqual KK, Rezende KTA, Chirelli MQ. O cuidado prestado pela Estratégia Saúde da Família na percepção das mulheres idosas. Rev. G&S [Internet]. 31º de maio de 2016 [citado 19º de junho de 2024];7(2):Pág. 685-699. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/3524

Edição

Seção

Artigos Originais