Planejamento na incerteza: Variáveis para estimar custos médicos direitos de paciente suspeito ou confirmado para COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/gs.v11i3.32478

Palavras-chave:

Infecciones por Coronavirus; CostosDirectos de Servicios; Protocolos; PlanificaciónenSalud.

Resumo

Em março de 2020, a Organização Mundial de Saúde decretou estado de pandemia pelo novo coronavírus. O planejamento tradicional de manejo clínico e econômico pressupõe que os meios e os fins sejam conhecidos, direcionando-se para os processos que abordam essas condições de certeza e ocultando as incertezas. Para analisar os custos em saúde é necessário identificar, quantificar e valorar os recursos empregados em saúde. Dessa forma, os objetivos deste estudo foram: descrever os protocolos de manejo clínico de pacientes suspeitos e confirmados para COVID-19 no Estado do Rio Grande do Sul, no período de 30 de janeiro a 20 de maio de 2020, e identificar variáveis para o cálculo dos custos médicos diretos no atendimento desses pacientes. Foi observado o quão incertas e dinâmicas são as caracterizações do paciente suspeito, do critério de coleta e do tipo de teste a ser realizado. A partir da categorização dos custos médicos diretos, é possível criar um instrumento para estimar os custos para o Sistema Único de Saúde do paciente com suspeita ou confirmado por infecção da COVID-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Huang C, Wang Y, Li X, Ren L, Zhao J, Hu Y, et al. Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavirus in Wuhan, China. Lancet (London, England). 2020;395(10223): 497–506. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)30183-5

Guan WJ, Ni ZY, Hu Y, Liang WH, Ou CQ, He JX, et a. Clinical Characteristics of Coronavirus Disease 2019 in China. New England Journal of Medicine. 2020;382(18):1708-1720.

Pascarella G, Strumia A, Piliego C, Bruno F, Del Buono R, Costa F et al. COVID‐19 diagnosis and management: a comprehensive review. Journal of Internal Medicine. 2020. DOI: https://doi.org/10.1111/joim.13091.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia de vigilância epidemiológica emergência de saúde pública de importância nacional pela doença pelo coronavírus 2019. Disponível em: https://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/07/GuiaDeVigiEpidemC19-v2.pdf. Acessado em 07 de agosto de 2020.

Amorin MCS. Planejamento, incertezas e o uso da técnica de cenário. Organizações & Sociedade. 1997;4(9):93-101.

Christensen KS. Coping with Uncertainty in Planning. Journal of the American Planning Association. 1985;51(1): 63-73. DOI: http://10.1080/01944368508976801.

Bolan, R. Mapping the planning theory terrain. In: Planning in America: Learning from Turbulence, edited by D. R. Godschalk. Chicago: American Institute of Planners, 1974.

Cartwright TJ. Problems, solutions, strategies. Journal of the American Institute of Planners. 1973;39(3):179-187.

Kernick D. Costing interventions in primary care. Family Practice. 2000; 17(1): 66-70.

Drummond MF, Sculpher MJ, Claxton K, Stoddart GL, Torrance GW. Methods for the economic evaluation of health care programmes. Oxford University Press; 2015.

Brasil. Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Programa de Apoio do Desenvolvimento Institucional do SUS Módulo 5 – Custos e Preços na Saúde. In: Saúde Baseada em Evidências e as Decisões Judiciais. Instituto de Avaliação de Tecnologia do SUS (IATS)/HCPA; 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretrizes Metodológicas. Estudos de Avaliação Econômica em Saúde. 2a edição. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2014. Disponível em: https://tools.ispor.org/PEguidelines/source/Avaliacao_Economica_Brazil2014.pdf. Acessado em 07 de agosto de 2020.

Rio Grande do Sul. Estratégia COVID-19. Disponível em: https://www.estado.rs.gov.br/coe-covid-19-saude. Acessado em 10 de agosto de 2020.

Rio Grande do Sul. Secretaria da Saúde. Plano de Contingência e Ação Estadual do Rio Grande do Sul para Infecção Humana COVID-19. Disponível em: https://coronavirus.rs.gov.br/plano-de-contingencia. Acessado em: 09 março de 2020.

Rio Grande do Sul. Nota Informativa COE-RS/SES-RS. Declaração de transmissão comunitária do coronavírus (COVID-19) no Estado do Rio Grande do Sul, mudanças do plano de contingência para fase de mitigação e novo fluxo. Disponível em: https://atencaobasica.saude.rs.gov.br/upload/arquivos/202003/24084314-nota-informativa-fase-de-mitigacao-22-03-2020.pdf. Acessado em: 23 março de 2020.

Rio Grande do Sul. Nota Informativa COE-RS/SES-RS. Vigilância de Síndrome Gripal (SG) e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) relacionada à infecção humana pelo COVID-19, sistemas de notificação, rede laboratorial e estratégias de testagem. Disponível em: https://saude.rs.gov.br/upload/arquivos/202004/06173440-nota-informativa-06-de-abril.pdf. Acessado em: 9 de abril de 2020.

Rio Grande do Sul. Nota Informativa 9 COE-RS/SES-RS. Vigilância de Síndrome Gripal (SG) e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) relacionada à infecção humana pelo COVID-19, sistemas de notificação, rede laboratorial e estratégias de testagem. Disponível em: https://saude-admin.rs.gov.br/upload/arquivos/202005/14160259-nota-informativa-14-de-maio.pdf. Acessado em: 14 de maio de 2020.

Rio Grande do Sul. Atlas socioeconômico Rio Grande do Sul. Disponível em: https://atlassocioeconomico.rs.gov.br/distribuicao-e-densidade-demografica. Acessado em: 02 de setembro de 2020.

Publicado

2020-12-21

Como Citar

1.
Silva da Silva P, Garcia Daniel C, dos Santos Rosa R, Bordin R. Planejamento na incerteza: Variáveis para estimar custos médicos direitos de paciente suspeito ou confirmado para COVID-19. Rev. G&S [Internet]. 21º de dezembro de 2020 [citado 28º de janeiro de 2021];11(3):234-47. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/32478

Edição

Seção

Artigos Originais