Administração da Saúde Pública por Organizações Sociais (OS)

caminhos para a gestão

Autores

  • Lizandra Shimizu Secretaria Municipal de Saúde de Jataí GO
  • RAFAELA JULIA BATISTA VERONEZI SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE GOIÁS

DOI:

https://doi.org/10.26512/gs.v11i2.31417

Palavras-chave:

Absenteísmo. Técnicos de Enfermagem. Emergências.

Resumo

O objetivo do estudo foi revisar experiências na área de gestão pública em saúde, com ênfase na mudança de paradigmas da cultura organizacional pública a partir da gestão do trabalho e da inserção das Organizações Sociais no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A análise dos estudos demonstrou que, apesar de relatos de experiências gerenciais exitosas, ainda persistem muitos questionamentos e dúvidas quanto à implantação do modelo de terceirização da gestão em saúde. A transição para o modelo precisa ser amparada em criterioso estudo de viabilidade, e os resultados, da mesma forma, precisam ser rigorosamente monitorados para que se garanta transparência e lisura na aplicação de recursos públicos. Alguns estudos apontam a necessidade de a gestão pública se modernizar e introduzir saberes e inovações administrativas que agreguem qualidade e eficiência e, sobretudo, garantir a continuidade do SUS não apenas como sistema, mas como benefício social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bresser-Pereira, L. C. As Organizações Sociais. Reforma do Estado para a Cidadania. 34ª ed. São Paulo; 1998.

Soares GB, Borges FT, Santos RR et al. Organizações Sociais de Saúde (OSS): Privatização da Gestão de Serviços de Saúde ou Solução Gerencial para o SUS? Rev. Gest.Saúde. 2016; 7; 828-850.

Contreiras, H., Matta, G. C. Privatização da gestão do sistema municipal de saúde por meio de Organizações Sociais na cidade de São Paulo, Brasil: caracterização e análise da regulação. Cad. Saúde Pública. 2015, 31, 285-297.

Paim, J. S. Sistema Único de Saúde (SIUS) aos 30 anos. Ciência e Saúde Coletiva.2018; 23 (6); 1723-1728.

Krüger T.R., Reis C. Organizações sociais e a gestão dos serviços do SUS. Serviço Soc. 2019;135; 271-89.

Morais, H. M. M.; Albuquerque, M.S.V.; Oliveira, R. S.; Cazuzu, A. K. I.; Silva, N. A. F. Organizações Sociais da Saúde: uma expressão fenomênica da privatização da saúde no Brasil. Cad. Saúde Pública. 2018; 1-13.

Tibério, A. A.; Souza, E. M.; Sarti, F. M. Considerações sobre Avaliação de Estabelecimentos de Saúde sob Gestão de OSS: o caso do Hospital Geral do Grajaú. Saúde. Soc. São Paulo. 2010; 19 (3);557-568.

Barbosa, N. B.; Elias, P. E. M. As organizações sociais de saúde como forma de gestão público/privado. Ciência & Saúde Coletiva. 2010; 15 (5); 2483-2495.

Andreazzi, M. F. S.; Bravo, M. I. S. Privatização da gestão e organizações sociais na atenção à saúde. Trabalho, Educação e Saúde. 2014; 12 (3); 499-518.

Druck, G. A terceirização na saúde pública: formas diversas de precarização do trabalho. Trab. Educ. Saúde. 2016; 14(1);15-43.

Souza, H. S.; Mendes, A. N. A terceirização e o “desmonte” do emprego estável em hospitais. A terceirização e o “desmonte” do emprego estável em hospitais. Rev Esc Enferm USP. 2016; 50(2); 286-294.

Soares, G. B., Borges, F. T., Santos, R. R, Garbin, C. A. S., Moimaz, S. A. S., Siqueira, C. E. G. Organizações sociais de saúde (OSS): privatização da gestão de saúde ou solução gerencial para o SUS? Rev. Gest. Saúde (Brasília). 2016;7 (2);828-50.

Machado, C.V. et al. Gestão do trabalho nas Unidades de Pronto Atendimento: estratégias governamentais e perfil dos profissionais de saúde. Cad. Saúde Pública. 2016; 32(2); e: 00170614.

Nascimento, J. O.; Pereira, R. A.; Zittei, M. V. M.; Lugoboni, L. F. Gestão privada na saúde pública em São Paulo: um estudo de caso da utilização de Organização Social de Saúde. Revista Práticas de Administração Pública. 2017; 1;71-88

Martins, M.I.C.; Carneiro, C.C.G. Política de Gestão do Trabalho e a Atenção em Saúde: um estudo de caso sobre a experiência de contratualização da Atenção Básica no Município do Rio de Janeiro. Trabalho em saúde, desigualdades e políticas públicas. Universidade do Minho, Fundação Oswaldo Cruz. 2014; p. 101-110.

Costa, L. S.; Gadelha, C. A. G.; Borges, T. R.; Burd, P.; Maldonado, J.; Vargas, M. A dinâmica inovativa para a reestruturação dos serviços de saúde. Rev Saúde Pública.2012; 46 (supl); 76-82,

Jorge, M. J.; Carvalho, F. A.; Medeiros, R. O. Esforços de inovação organizacional e qualidade do serviço: um estudo empírico sobre unidades hospitalares. Rev. Adm. Pública. 2013; 47(2); 327-56.

Carneiro Júnior, N.; Elias, P. E. A reforma do Estado no Brasil: as organizações sociais de saúde. RAP Rio de Janeiro. 2003; 37 (2);201-26.

Publicado

2020-08-27

Como Citar

1.
Shimizu L, VERONEZI RJB. Administração da Saúde Pública por Organizações Sociais (OS): caminhos para a gestão. Rev. G&S [Internet]. 27º de agosto de 2020 [citado 1º de dezembro de 2020];11(2):132-46. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/31417

Edição

Seção

Artigos Originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##