CONTRIBUIÇÃO DA ESCUTA QUALIFICADA PARA A INTEGRALIDADE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA

Autores

  • Lindecy Pereira de Araújo Duarte Prefeitura Municipal de Quixeramobim-CE
  • Daiana de Jesus Moreira
  • Elisfabio Brito Duarte
  • Ana Nery de Castro Feitosa
  • Adriano Monteiro de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.18673/gs.v8i3.24185

Palavras-chave:

Artigos de Pesquisa

Resumo

Este artigo tem o objetivo de identificar as potencialidades que a escuta qualificada possui para a efetivação do princípio da integralidade nos processos de trabalho da Atenção Primária. Pretende ainda identificar sua contribuição para a humanização do cuidado através do desenvolvimento do diálogo na relação profissional e usuário, desvendando as necessidades de saúde da população adscrita. O Artigo apresenta ainda uma discussão sobre as vantagens da implantação da escuta qualificada nas unidades básicas de saúde, destacando quais as dificuldades que os gestores e profissionais encontram para a implantação e a operacionalização dessa ferramenta. Posteriormente aborda as recomendações e as possíveis intervenções que sistematizem a operacionalização dessa ferramenta no cotidiano de trabalho das equipes de Estratégia de Saúde da Família. É necessário aumentar o grau de corresponsabilidade dos diferentes atores que constitu­em a rede SUS na produção da saúde, provocar mudanças na cultura da atenção dos usuários e da gestão dos processos de trabalho, apoderar-se de ferramentas já existentes e debatidas que proporcionem a reorientação da execução do modelo assistencial da atenção básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lindecy Pereira de Araújo Duarte, Prefeitura Municipal de Quixeramobim-CE

Assistente Social. Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade. Especialista em Saúde Pública com Ênfase em Saúde da Família. Especialista em Educação Permanente em Saúde. Assistente Social na Prefeitura Municipal de Quixeramobim-CE.

Elisfabio Brito Duarte

Mestrando em Gestão em Saúde. 
Especialista em Gestão de Sistemas de Saúde. Especialista em Gestão de Serviços de Saúde. Gerente Administrativo do Hospital Regional do Sertão Central - HRSC / Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar - ISGH.

Ana Nery de Castro Feitosa

Prefeitura Municipal de Fortaleza
Hospital Universitário Walter Cantídio

Referências

1. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de
Atenção à Saúde. Política Nacional da Atenção
Básica. Brasília, 2011.
2. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de
Atenção à Saúde. Política Nacional de
Humanização. Brasília, 2004.
3. Lancetti, A. Clinica Peripatética. São Paulo:
Hucitec, 2006.
4. Merhy EE. Em busca do tempo perdido: A
Micropolítica do Trabalho Vivo em Saúde,
São Paulo: Hucitec, 1997.
5. Franco TB, Magalhães JH. Integralidade na
Assistência à Saúde: A Organização das Linhas de
Cuidado. In: O Trabalho em Saúde: olhando e
experienciando o SUS no cotidiano. 2. ed. São
Paulo: Hucitec, 2004.
6. Oliveira et al. A comunicação no contexto do
acolhimento em uma unidade de saúde da família
de São Carlos. São Paulo: Interface, 2008.
7. Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 2.488, de
21 de Outubro de 2011. Aprova a Política
Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a
revisão de diretrizes e normas para a organização
da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da
Família (ESF) e o Programa de Agentes
Comunitários de Saúde (PACS). Brasília: 2011.
8. Raimundo SJ et al. Escuta qualificada e gestão
social entre os profissionais de saúde.
v.25. 2ed. São Paulo: Acta Paul Enferm., 2012.
9. Ministério da Saúde (BR). Caderno da Atenção
Básica. Acolhimento à Demanda Espontânea. v.1
Brasília 2013.
10. Campos GWS. Efeitos paradoxais da
descentralização do Sistema Único de Saúde no
Brasil. In: FLEURY, S. (Org.). Democracia,
descentralização e desenvolvimento; Brasil e
Espanha. Editora FGV, 2006.
11. Paim JS. Modelos de atenção e vigilância da
saúde. In: Rouquayrol MZ, Almeida Filho N.
Epidemiologia e saúde. 6.ed. Rio de Janeiro:
MEDSI, 2003
12. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de
Atenção à Saúde, Núcleo Técnico da Política
Nacional de Humanização. Acolhimento nas
práticas de Produção e Saúde. 2.ed. Brasília 2006.
13. Cordeiro et al. Revisão sistemática: uma
narração descritiva. Rev. Col. Bras. Cir. v.3, 2007.
14. Soares TA. Os benefícios do acolhimento na
Atenção Básica de Saúde: Uma revisão de
literatura. Especialização em Atenção Básica em
Saúde da Família (Monografia). Universidade
Federal de Minas Gerais: Araçuaí, 2011.
15. Coutinho LRP, Barbieri AR, Santos, MLM.
Acolhimento na Atenção Primária À Saúde:
revisão integrativa. Saúde Debate, Rio de Janeiro.
2015; 39(105): 514-524

Downloads

Publicado

18-07-2018

Como Citar

1.
Duarte LP de A, Moreira D de J, Duarte EB, Feitosa AN de C, de Oliveira AM. CONTRIBUIÇÃO DA ESCUTA QUALIFICADA PARA A INTEGRALIDADE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA. Rev. G&S [Internet]. 18º de julho de 2018 [citado 19º de janeiro de 2022];8(3):414-29. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/10312

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)