O conceito de secularização em José Casanova em meio à disputa paradigmática na Sociologia da Religião:

uma análise da obra Public Religions in the modern World pelas chaves analíticas de Thomas Kuhn

Autores

  • Tiago Franco de Paula

Palavras-chave:

José Casanova, Paradigma, Revolução Cientifica, Secularização, Thomas Kuhn

Resumo

O presente trabalho é um esforço teórico e analítico que visa compreender a obra Public Religions in the Modern World, do sociólogo espanhol José Casanova, por meio dos conceitos histórico-sociológicos propostos por Thomas Kuhn a respeito das mudanças cientícas. Com fundamento na noção de paradigma, Thomas Kuhn construiu um modelo descritivo e analítico para explicar o empreendimento cientíco. O presente artigo busca analisar a referida obra de Casanova com base nas teorias de Kuhn, e com isso pretende-se ilustrar o modelo kuhniano e contextualizar a obra de Casanova em meio ao paradigma da secularização no campo da sociologia da religião.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BERGER, Peter L. Os múltiplos altares da modernidade: rumo a um paradigma da religião numa época pluralista. Editora Vozes Limitada. 2014.

BIRD, Alexander. Kuhn’s wrong turning. Studies in History and Philosophy of Science Part A, v. 33, n. 3, pp. 443-463, 2002.

CALHOUN, Craig; JUERGENSMEYER, Mark; VANANTWERPEN, Jonathan (Org.). Rethinking secularism. OUP USA, 2011.

CASANOVA, José. Public religions in the modern world. University of Chicago Press. 1994.

CIARALLO, Gilson. A secularização do Brasil: Autonomização, pluralização e privatização da religião. Tese (Doutorado em Sociologia). Universidade de Brasília. 2005.

FLECK, Ludwik. Gênese e desenvolvimento de um fato cientíco. Belo Horizonte: Fabrefactum. 2010.

HERVIEU-LÉGER, Danièle. O peregrino e o convertido: a religião em movimento. Petrópolis: Vozes, 2008.

KUHN, Thomas. A estrutura das Revoluções Cientícas. São Paulo: Perspectiva, 2007.

FLECK, Ludwik. Gênese e desenvolvimento de um fato cientíco. Belo Horizonte: Fabrefactum. 2010.

HERVIEU-LÉGER, Danièle. O peregrino e o convertido: a religião em movimento. Petrópolis: Vozes, 2008.

KUHN, Thomas. A estrutura das Revoluções Cientícas. São Paulo: Perspectiva, 2007.

LUCKMANN, Thomas. The invisible religion: The problem of religion in modern society. 1967.

MARIANO, Ricardo. Laicidade à brasileira: católicos, pentecostais e laicos em disputa na esfera pública. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 11, n. 2, pp. 238-258, 2011.

MENDONÇA, André Luis de Oliveira; VIDEIRA, Antonio Augusto Passos. Progresso cientíco e incomensurabilidade em Thomas Kuhn. SCIENTIAE studia, v. 5, pp. 169-183, 2007.

MENDONÇA, André Luis de Oliveira. O legado de Thomas Kuhn após cinquenta anos. SCIENTIAE studia, v. 10, pp. 535-560, 2012.

NUNES, Tiago Ribeiro. O retorno do religioso na contemporaneidade. Psicologia USP, v. 19, pp. 547-560, 2008.

PIERUCCI, Antônio Flávio. Reencantamento e dessecularização: A propósito do autoengano em sociologia da religião. VII Jornadas sobre alternativas religiosas em latinoamérica, 1997.

_________. Secularização em Max Weber: Da contemporânea serventia de voltarmos a acessar aquele velho sentido. Rev. bras. Ci. Soc., São Paulo, v. 13, n. 37, pp. 43-73, Junho 1998.

SELIGMAN, Adam B. Public religions in the modern world. Sociology of Religion, v. 55, n. 4, pp. 488-490, 1994.

TAYLOR, Charles. A secular age. Harvard university press, 2008.

WEBER, Max. Economia e Sociedade. Volume 1. Editora UnB. 2009.

Downloads

Publicado

06/28/2022

Como Citar

FRANCO DE PAULA, T. O conceito de secularização em José Casanova em meio à disputa paradigmática na Sociologia da Religião:: uma análise da obra Public Religions in the modern World pelas chaves analíticas de Thomas Kuhn. Pós - Revista Brasiliense de Pós-Graduação em Ciências Sociais, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 97–111, 2022. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/revistapos/article/view/43802. Acesso em: 7 dez. 2022.