A DIALÉTICA EXISTENCIAL-RELIGIOSA DA REPETIÇÃO: ASPECTOS REFERIDOS A ARISTÓTELES E HEGEL

Autores

  • Carlos Eduardo Cavalcanti Alves Universidade Federal de Juiz de Fora

Palavras-chave:

Repetição, Existência, Kierkegaard, Movimento, Mediação

Resumo

Em A repetição, obra de autoria do pensador dinamarquês Søren Aabye Kierkegaard, o conceito de repetição é apresentado em sua negatividade. Estética, ironia e recordação, na experiência do autor pseudônimo Constantin Constantius, assim como poética, melancolia e culpa, no drama do jovem personagem, levam à conclusão de que a esfera religiosa da vida seria, de fato, o âmbito de ocorrência da repetição. A obra, contudo, termina sem elucidar como se daria a presença de tal fenômeno, que deveria ocorrer, nas palavras do próprio Constantius, pela irrupção do religioso. Com o objetivo de estabelecer bases para a compreensão da dialética que envolve a repetição, serão apresentados aspectos de sua relação com a filosofia de Aristóteles e Hegel. A análise dessas linhas de pensamento, em seu confronto com o conceito em questão, permite concluir que a repetição baseia-se no interesse do indivíduo e afirma o temporal e o eterno, em uma dialética que remete à transcendência enquanto relação existencial-religiosa.

Carlos Eduardo Cavalcanti Alves

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2205-6991

Doutorando em Ciência da Religião pela Universidade Federal de Juiz de Fora, linha de pesquisa Filosofia da Religião, pesquisando sobre o conceito de repetição em Kierkegaard.

Mestre em Ciências da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, com pesquisa sobre fé e existência na obra Temor e tremor (2016).

Teólogo com pós-graduação em Teologia pela Faculdade Teológica Batista de São Paulo, com trabalho de conclusão de curso sobre a cristologia do teólogo francês Oscar Cullmann (2001).

Administrador com MBA em Gestão Financeira (2012).

Consultor empresarial no Sebrae São Paulo.

E-mail: c.eduardocavalcanti@gmail.com

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BERTI, Enrico. Aristóteles. São Paulo: Ideias & Letras, 2015.

CAPUTO, John D. Kierkegaard, Heidegger, and the foundering of metaphysics. In: PERKINS, Robert L. (ed.). Internacional Kierkegaard Commentary: Fear and trembling and Repetition. Macon: Mercer University Press, 1993, p. 201-224.

ERIKSEN, Niels Nymann. Kierkegaard's category of repetition: a reconstruction. Berlin; New York: Walter de Gruyter, 2000.

FREITAS, Luiz G. O. F. A. Trendelenburg – a questão lógica no sistema de Hegel: dois panfletos. São Paulo: Loyola, 2018.

FURTAK, Rick A. Kierkegaard and greek philosophy. In: LIPPITT, John; PATTINSON, George (eds.). The Oxford Handbook of Kierkegaard. Oxford: Oxford University, 2013.

GADAMER, Hans-Georg. Hegel, Husserl, Heidegger. Petrópolis: Vozes, 2012.

HEGEL, Georg W. F. Enciclopédia das ciências filosóficas em compêndio (1830): a ciência da lógica. 3 ed. São Paulo: Loyola, 2012, v. 1.

HEGEL. Fenomenologia do espírito. 2 ed. Bragança Paulista: Universidade São Francisco; Petrópolis: Vozes, 2003.

JUSTO, José Miranda. Introdução e notas. In: KIERKEGAARD, Søren Aabye. A repetição. Lisboa: Relógio D’Água, 2009.

KERVÉGAN, Jean-François. Hegel e o hegelianismo. São Paulo: Loyola, 2008.

KIERKEGAARD, Søren Aabye. Pós-escrito às Migalhas filosóficas. Tradução de Álvaro Luiz M. Valls e Marília Murta de Almeida. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Universitária São Francisco, 2013, v. I.

KIERKEGAARD. Migalhas filosóficas ou um bocadinho de filosofia de João Climacus. Tradução de Álvaro Luiz M. Valls e Ernani Reichmann. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

KIERKEGAARD. ¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬O conceito de angústia. Tradução e posfácio de Álvaro L. Montenegro Valls. Petrópolis: Vozes; São Paulo: São Francisco, 2010.

KIERKEGAARD. A repetição. Tradução, introdução e notas de José Miranda Justo. Lisboa: Relógio D’Água, 2009.

KIERKEGAARD. Johannes Climacus ou é preciso duvidar de tudo. Tradução de Álvaro Luiz M. Valls e Silvia Salviano Sampaio. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

KIERKEGAARD. Søren Kierkegaard’s Journals and Papers. Tradução e edição de Edna H. Hong e Howard V. Hong. Bloomington; London: Indiana University, 1990.

MEINEN. In: Michaelis Dicionário Escolar Alemão. São Paulo: Melhoramentos, 2021. Disponível em https://michaelis.uol.com.br/escolar-alemao/busca/alemao-portugues/meinen/. Acesso em 06/06/2021.

ROOS, Jonas. Tradução e notas. In: KIERKEGAARD, Søren Aabye. A doença para a morte. No prelo, 2021.

SINNERBRINK, Robert. Hegelianismo. Petrópolis: Vozes, 2017.

SOUSA, Elisabete M. Introdução e notas. In: KIERKEGAARD, Søren Aabye. Prefácios. Lisboa: Relógio D’Água, 2018.

SOUSA. Introdução e notas. In: KIERKEGAARD, Søren Aabye. Ou-ou, um fragmento de vida. Primeira parte. Lisboa: Relógio D’Água, 2013.

STEWART, Jon. Kierkegaard's relations to Hegel reconsidered. Modern European Philosophy. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

TAYLOR, Charles. Hegel: sistema, método e estrutura. São Paulo: É Realizações, 2014.

WATKIN. Julia. Historical dictionary of Kierkegaard’s philosophy. Lanham: Scarecrow, 2001.

Downloads

Publicado

2022-06-02

Como Citar

Alves, C. E. C. (2022). A DIALÉTICA EXISTENCIAL-RELIGIOSA DA REPETIÇÃO: ASPECTOS REFERIDOS A ARISTÓTELES E HEGEL. Revista Brasileira De Filosofia Da Religião, 8(1), 118–135. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/rbfr/article/view/38740

Edição

Seção

Dossiê Kierkegaard e a Filosofia da Religião